23 de agosto de 2010

Rui

Rui Fernando de Sousa Teixeira nasceu no dia 27 de Setembro de 1942 na Mealhada.
Deu início à sua carreira no mundo do futebol nas camadas jovens do clube da sua terra natal e depois de um curta passagem pelo C.F. Belenenses, chega no ano de 1958 aos juniores do Futebol Clube do Porto.
Começa desde logo a brilhar na baliza dos jovens Dragões e isso valeu-lhe a chamada à Selecção Nacional de juniores que em 1960 participou no Torneio Internacional da UEFA na Áustria. Em 1961 e ainda na Selecção júnior, desta vez treinada por José Maria Pedroto, Rui disputou o Campeonato Europeu que teve lugar em Lisboa e onde alcançou a vitória no torneio.
Assim não foi de estranhar que na temporada de 1961/62 e com apenas 19 anos, fizesse parte do plantel principal, mas onde encontrou a concorrência de Américo e raramente saiu do banco de suplentes.
a sua estreia na baliza da equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 26 de Novembro de 1961 no Campo da Avenida em Espinho onde os portistas venceram o S.C. Espinho por 6-1, num jogo a contar para a 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça de Portugal de 1961/62.
Só em 1964/65 é que o jovem guarda-redes começou a jogar com regularidade e dividiu a titularidade da baliza portista com Américo. Mas na temporada seguinte voltou ao banco de suplentes e apenas na temporada de 1969/70 é que foi novamente titular, mas isso não foi motivo para recordar durante muito tempo já que essa época o F.C. Porto utilizou mais 4 guarda-redes e terminou o campeonato em 9º lugar.
Na temporada de 1970/71 e com Tommy Docherty a treinador, Rui continuou a ser o dono da baliza o que aconteceu durante mais duas temporadas.
Em 1973/74 e com a chegada do técnico Bella Guttman, foi mais uma vez relegado para o banco de suplentes e teve que medir forças com Tibi.
1976 foi o ano do regresso de José Maria Pedroto ao F.C. Porto e também o de Rui ao banco de suplentes.
Rui ainda representou os Dragões durante a temporada de 1977/78, onde disputou 1 jogo. O que lhe possibilitou sagrar-se Campeão Nacional, tendo terminado a sua carreira no final dessa época.
Nas 17 temporadas que representou, como sénior, o F.C. Porto, Rui conquistou 1 Campeonato Nacional, venceu 2 Taças de Portugal em 1967/68 e 1976/77, assim como 5 Taças Associação de Futebol do Porto (1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e 1965/66). Participou em 181 partidas oficiais.
Continua a fazer parte da estrutura do F.C. Porto como treinador de guarda-redes, onde já integrou várias equipas técnicas em diferentes escalões da formação azul e branca.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal) 2 Taças de Portugal 5 Taças Associação de Futebol do Porto

8 de agosto de 2010

Jesualdo Ferreira

Manuel Jesualdo Ferreira nasceu no dia 24 de Maio de 1946 em Mirandela.
Quando jovem, estudou em Chaves onde jogou nos juniores da equipa local. Mudou-se depois para Lisboa onde terminou o curso de Desporto.
Deu início à carreira de treinador em 1981/82 no União Desportiva de Rio Maior. Passou depois pelo S.C. União Torreense, Académica Coimbra, Atlético C.P., Silves F.C., C.F. Estrela da Amadora, até chegar ao S.L. Benfica onde nas temporadas de 1987/88, 1988/89, 1992/93 e 1993/94 foi treinador adjunto. Em 1994/95 aventurou-se no estrangeiro e viajou para França onde comandou o F.C. Bordeaux. Na temporada seguinte rumou a Marrocos para orientar o Association des Forces Armées Royales Rabat. No ano de 1997 regressou a Portugal para treinar a Selecção Nacional de sub-21, lugar que ocupou até 2000. Em 2000/01 tomou conta do F.C. Alverca, para na temporada seguinte voltar ao S.L. Benfica mas desta vez como técnico principal. Saiu do clube de Lisboa depois de eliminação na Taça de Portugal aos pés do Gondomar S.C. em pleno estádio da Luz. S.C. Braga foi o destino seguinte de Jesualdo Ferreira, clube que treinou durante três épocas e onde conheceu algum sucesso a nível nacional.
Em 2006/07 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Chegou ao Estádio do Dragão poucos dias antes do início do campeonato mas isso não o impediu de no final da temporada se sagrar Campeão Nacional.
Na temporada seguinte volta a vencer o Campeonato Nacional.
Em 2008/09 conquista a Taça de Portugal ao derrotar na final o F.C. Paços de Ferreira por 1-0 e ganha de novo o Campeonato Nacional.
Na época de 2009/10 começa por vencer a Supertaça Cândido de Oliveira e termina ao conquista a Taça de Portugal depois de ver a sua equipa a triunfar sobre o G.D. Chaves por 1-0 na final no Estádio do Jamor.
Nos Dragões manteve-se durante 4 temporadas. Venceu 3 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira. Tornou-se assim o primeiro treinador português a vencer três Campeonatos Nacionais consecutivos.
Os sucessos alcançados enquanto técnico do F.C. Porto valeram-lhe ainda vários prémios individuais, tais como a medalha de ouro da Autarquia de Mirandela em 2007. O Globo de Ouro para treinador do ano de 2008 e o prémio C.N.I.D. de melhor treinador no ano de 2009.
Em 2010/11 rumou a Espanha para assumir o comando técnico do Málaga C.F., no entanto a sua passagem por terras espanholas não correu da melhor forma e foi dispensado ainda antes do meio da temporada, mas ficou pouco tempo no desemprego já que poucos dias depois assumiu o comando do Panathinaikos A.O. da Grécia até ser dispensado em Novembro de 2012. Ainda em 2012, regressou a Portugal para passar a ser o Coordenador Técnico de todo o futebol do Sporting C.P., dias depois ocupou o cargo de treinador do clube leonino. Em 2013/14 regressa ao S.C. Braga mas apenas se manteve no clube bracarense até Fevereiro de 2014. Rumou depois ao Egipto para comandar o Zamalek S.C., levando o clube do Cairo a sagrar-se Campeão do Egipto e vencedor da Taça do Egipto da temporada 2014/15. No final do ano de 2015 deixou o clube do Cairo para ingressar no Al-Sadd S.C. do Catar, onde conquistou a Taça do Catar em 2017.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Egito
2 Taças de Portugal
1 Taça do Catar
1 Supertaça Cândido de Oliveira

1 de agosto de 2010

Taça Teresa Herrera

O Torneio Teresa Herrera é um dos mais prestigiados e antigos do mundo, A primeira edição foi disputada em 1946 e teve como vencedor a equipa do Sevilha F.C.
A origem do torneio, criado pela Câmara de Corunha, foi com o objectivo de obter fundos para o Hospital Dolores, que tinha sido fundado no final do século XVIII por Teresa Margarita Herrera y Posada.
Ao longo dos anos da sua existência, o torneio tem sido disputado por grandes clubes mundiais, como o F.C. Barcelona, C.A. Peñarol, Manchester United F.C. , F.C. Bayern de Munique, Fluminense F.C., entre outros.
O Futebol Clube do Porto já teve a honra de participar no torneio por seis vezes e conquistou o troféu em 1991.
Os Dragões foram o primeiro clube português a participar na prova em 1948. Nesse ano apenas se realizou um jogo, foi contra o F.C. Barcelona e os espanhóis venceram por 2-1.
Em 1964 o F.C. Porto voltou à Galiza juntamente com o Sporting C.P., A.S. Roma e R.C. Deportivo da Coruña, e mais uma vez a formação espanhola levou a melhor com uma vitória por 2-0.
Em 1980 os restantes convidados foram o R.S. Gijón, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Desta vez os carrascos foram os madrilistas que ganharam por 2-1.
Em 1985 o F.C. Porto foi mais uma vez convidado juntamente com o Atlético de Madrid, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Os portistas vencem os brasileiros por 1-0 mas depois na final foram derrotados pelo Atlético de Madrid.
Em 1991 já a história foi bem diferente. O F.C. Porto começa por vencer o Real Madrid F.C. por 2-1 e depois na final derrotaram o R.C. Deportivo da Coruña, que tinha vencido o F.C. Ajax, e trouxeram assim a bela taça para a vitrina do estádio das Antas.
A última participação do Futebol Clube do Porto na Torneio Teresa Herrera foi em 1994. R.C. Deportivo da Coruña, U.C. Sampdoria e Real Madrid F.C. foram as equipas. Os Dragões perderam para a equipa da casa por 2-1 e no jogo de atribuição do 3º lugar foram derrotados pelos italianos por idêntico resultado.
O torneio teve desde o seu início a organização a cargo da Câmara de Corunha, a partir de 2000 a organização do evento passou para o R.C. Deportivo da Coruña.
A taça é uma réplica da Torre de Hércules que é o farol mais antigo do mundo ainda a funcionar. É o Monumento nacional espanhol mais antigo e ilustre da região da Galiza e que figura no escudo da Corunha.