19 de dezembro de 2011

Vianinha

Marins Alves de Araújo Viana (Vianinha), nasceu no dia 10 de Maio de 1909 no Rio de Janeiro, Brasil.
Foi o primeiro jogador brasileiro a ser contratado pelo Futebol Clube do Porto em 1936/37, que o resgatou ao Sporting C.P. a troco de 7 contos pela sua carta de desobrigação, recebendo 14 contos de "luvas" e um ordenado de 1500 escudos.
Chegou a Portugal em 1935/36 para ingressar nos leões de Alvalade onde conquistou o Campeonato de Portugal. Nessa temporada e num jogo a contar para o campeonato, disputado no Campo do Amial, contra o F.C. Porto, viu a sua equipa ser completamente esmagada por uns incríveis 10 golos dos portistas contra apenas 1 dos leões.
Na temporada seguinte, Vianinha ingressou no F.C. Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Março de 1937 no Campo do Ameal onde os portistas venceram o Carcavelinhos F.C. por 4-2, num jogo a contar para a 8ª jornada do Campeonato da I Liga da época de 1936/37.
Ainda nessa temporada de 1936/37, Vianinha repetiu a vitória no Campeonato de Portugal depois de derrotar a sua anterior equipa por 3-2 em Coimbra no Campo do Arnado.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por duas vezes.
Vianinha foi assim o primeiro jogador brasileiro contratado pelos Dragões mas já antes, Ambrósio Gama, também brasileiro e residente em Portugal, representou o F.C. Porto em quatro partidas oficiais.
Nas duas temporadas que Vianinha representou o F.C. Porto conquistou 3 Títulos e disputou 41 partidas oficiais.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto

5 de dezembro de 2011

Troféu Vitória

O primeiro jogo entre o Futebol Clube do Porto e o Clube Regatas Vasco da Gama (reforçado com jogadores do Botafogo F.R. e do Fluminense F.C.) disputou-se a 19 de Julho de 1931 no Estádio do Lima, tendo a formação brasileira vencido por 1-3.
Em jeito de desforra disputou-se um segundo jogo, oito dias depois, a 26 de Julho, no mesmo estádio, tendo então os Dragões cometido a proeza de vencer por 2-1 o mesmo C.R. Vasco da Gama, tornando-se desta forma o único clube português a vencer a prestigiada equipa brasileira que dias antes vencera o F.C. Barcelona no campo de Las Cortes, na Catalunha.
A vitória encheu de alegria os corações dos emigrantes portugueses no Brasil. Para testemunhar essa efusão, presentearam os jogadores e o clube, tendo eleito uma “Rainha” D. Leopoldina Mendes Belo, para se deslocar a Portugal, propositadamente, e entregar directamente as medalhas de ouro e o Troféu que hoje constitui um belíssimo documento na historia do F.C. Porto.
Trata-se de um Troféu em bronze e mármore. Uma mulher transporta na mão esquerda a bola de futebol e eleva bem alto, em sinal de oferta e vitória, a coroa de louros, na mão direita. Na placa dedicatória, dentro da Cruz de Cristo, o autor colocou o distintivo do F.C. Porto. Revela-se uma mensagem de saudade e de orgulho da colónia emigrante radicada no Brasil.
O F.C. Porto por seu lado e num gesto de agradecimento, mas também de agradecimento, ofereceu à Colónia, através da mesma “Rainha”, uma pasta em pele e uma salva de prata, estilo D. João V, tendo ao centro o distintivo do F.C. Porto esmaltado a cores próprias.

21 de novembro de 2011

Dr. Pôncio Monteiro

Pôncio Monteiro nasceu no ano de 1940 na cidade da Régua.
Filho de um comerciante de Vinho do Porto e portista desde miúdo, por influência do pai, fez-se sócio do F.C. Porto ainda jovem quando foi estudar para a cidade do Porto onde se formou em economia.
Amigo desde longa data de Jorge Nuno Pinto da Costa, foi vice-presidente na área Administrativo-Financeira do Futebol Clube do Porto em dois mandatos do líder portista.
Em 1988 foi galardoado com o Dragão de Ouro para o Dirigente do Ano.
Foi também vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol.
Foi um dos protagonistas, em defesa do F.C. Porto, dos programas desportivos “Donos da Bola”, “Jogo Falado” e “Prolongamento”.
Fez mais tarde parte do Conselho Superior do F.C. Porto.
No verão de 2006 sofreu um grave problema de saúde do qual recuperou com a força que lhe era conhecida.
Faleceu no dia 21 de Dezembro de 2010 depois de ter sofrido um AVC.

14 de novembro de 2011

Pocas

Manuel dos Anjos (Pocas), nasceu no dia 18 de Março de 1914 em Chaves.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1935/36 e vestiu a camisola dos Dragões durante mais de dez anos.
A sua estreia aconteceu no dia 3 de Novembro de 1935 no Estádio do Lima onde o F.C. Porto recebeu e venceu o S.C. Salgueiros por 5-0, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1935/36.
A primeira época ao serviço do F.C. Porto ficou desde logo marcada pela vitória sobre o Real Betis de Sevilha, campeão espanhol em título, por 4-2 com os golos portistas a serem apontados por António Santos, Pinga (2) e Carlos Nunes.
Na temporada seguinte, Pocas conquistou o Campeonato de Portugal depois da vitória sobre o Sporting C.P. por 3-2 no Campo do Arnado, em Coimbra.
Em 1938/39 venceu o novo Campeonato da 1ª Divisão, título que voltou a conquistar na temporada seguinte.
Venceu o Campeonato do Porto por nove vezes.
Outras vitórias que ficaram para a história enquanto fazia parte do plantel portista aconteceram em Março de 1936 quando o Sporting C.P. saiu do Campo do Ameal com uma derrota por 10-1. Já em Maio de 1939 os portistas viajaram até a Galiza e venceram o R.C. Celta de Vigo por 5-1.
Outro facto marcante na sua carreira, aconteceu no dia 31 de Janeiro de 1943. Na partida da 4ª jornada do Campeonato Nacional o F.C. Porto recebeu o S.C. Olhanense no Campo da Constituição, Pocas substituiu o seu colega da equipa Valongo na baliza dos Dragões, depois do guarda-redes portista ter perdido os sentidos num choque com o atacante algarvio logo aos dois minutos de jogo. O resultado da partida foi 3-2 favorável ao F.C. Porto, que jogou 88 minutos com 10 elementos e um guarda-redes improvisado.
Foram 12 anos dedicados ao F.C. Porto com 290 partidas oficiais realizadas e 13 Títulos conquistados.
Pocas representou também a Selecção Nacional, foi suplente utilizado, numa partida contra a Espanha no dia 16 de Março de 1941.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
10 Campeonatos do Porto

31 de outubro de 2011

Estádio Olímpico de Tóquio


O Estádio Olímpico de Tóquio foi inaugurado no ano de 1958, tendo recebido nesse mesmo ano os Jogos Asiáticos.
Em 1964 foi o recinto dos XVII Jogos Olímpicos de Verão, a primeira vez em que o evento se realizou no continente asiático.
Entre 1993 e 1998 recebeu a final da Liga Japonesa de Futebol Profissional e em 2009 realizou a final da Liga dos Campeões da Ásia.
Entre 1980 e até 2001 foi o palco da Taça Intercontinental e assim no ano de 1987 recebeu a visita do Futebol Clube do Porto (Campeão da Europa) e do A.C. Peñarol (Campeão da América do Sul).
No dia 13 de Dezembro desse ano e sobre um relvado coberto de neve, o F.C. Porto venceu por 2-1 a formação uruguaia e conquistou pela primeira vez o título de Campeão Intercontinental. Valeram os golos de Fernando Gomes, a fechar a 1ª parte e do argelino Rabat Madjer já no porlongamento.

24 de outubro de 2011

Tarik Sektioui

Tarik Sektioui nasceu no dia 13 de Maio de 1977 em Fés, Marrocos.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do Maghreb Association Sportive Fés, Tarik Sektioui teve a sua estreia como sénior na temporada de 1996/97. No ano seguinte rumou a França para ingressar no A.J. Auxerre e por lá ficou durante uma época e meia. A meio do campeonato de 1998/99 foi emprestado pelo clube francês ao C.S. Marítimo. Na temporada seguinte mudou de clube e passou a vestir a camisola dos suíços do Neuchâtel Xamax F.C.. Em 1999/2000 transferiu-se para o Willem II da Holanda, onde permaneceu durante cinco temporadas. Em 2004/05 mudou de ares e passou a vestir a camisola do AZ Alkmaar durante duas épocas.
No início da temporada de 2006/07 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 25 de Agosto de 2006 no Estádio do Dragão quando os portistas receberam e venceram o União de Leiria por 2-1, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2006/07.
Começou a temporada a vencer a Supertaça Cândido de Oliveira no entanto acabou por ser emprestado a meio dessa temporada aos holandeses do R.K.C. Waalwijk, mas isso não impediu de no final da temporar festejar a conquista do Campeonato Nacional onde fez 5 jogos e apontou 1 golo.
Na época seguinte regressou ao Dragão para se afirmar no plantel portista tendo feito boas exibições e apontado alguns bons golos, como o que marcou frente ao Olympique Marselha no estádio do Dragão numa partida a contar para a Liga dos Campeões, em que depois de ter deixado para trás cinco adversários, abriu o caminho para a vitória do F.C. Porto. Nessa época voltou a sagrar-se Campeão Nacional.
Em 2008/09 conquistou pela terceira vez o Campeonato Nacional, ao que juntou a vitória na Taça de Portugal.
Tarik deixou os Dragões no final da temporada de 2008/09. Nos três anos que representou o F.C. Porto, conquistou 5 Títulos, disputou 57 jogos oficiais e marcou 12 golos.
Em 2009/10 ingressou no Ajman Club dos Emirados Árabes Unidos e na temporada seguinte voltou a Marrocos e ao seu primeiro clube o Maghreb Association Sportive Fés, onde conquistou a Taça das Confederações CAF, o que foi o seu ultimo título já que deu por terminada a sau carreira de futebolista pouco depois.
Tarik representou ainda a Selecção de Marrocos por 19 vezes e marcou 6 golos. Esteve presente na Taça das Nações Africanas de 2008.

Palmarés
1 Taça das Confederações CAF
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Tala de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

17 de outubro de 2011

Costuras

José Monteiro (Costuras), nasceu no dia 23 de Outubro de 1913 em Sesimbra.
Desconhece-se onde terá começado a jogar futebol e em que clube, o que se sabe é que na temporada de 1933/34, ingressou no Boavista F.C. tendo representado o clube do Bessa durante quatro épocas onde se sagrou Campeão Nacional da II Divisão na época de 1936/37.
Em 1937/38 chegou ao Futebol Clube do Porto e logo passou a ser um dos principais jogadores da equipa orientada por Mihaly Siska.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 16 de Janeiro de 1938 no Campo da Tapadinha onde os portistas defrontaram o Carcavelinhos F.C. tendo derrotado os lisboetas por 1-0, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da I Liga.
Na temporada seguinte, Costuras confirmou o que tinha mostrado na temporada anterior e ainda foi ele o melhor marcador do campeonato, com 18 golos marcados, ajudando o F.C. Porto a conquistar o Campeonato Nacional.
Venceu também o Campeonato do Porto nas duas temporadas em que esteve ao serviço dos Dragões.
Depois dessa temporada de 1938/39, Costuras deixou o F.C. Porto e tal como no início, não se conhece o caminho que levou a sua vida.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Nacional da 2ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos do Porto

2 de outubro de 2011

Relicário

A terra dos três anteriores estádios que pertenceram ao Futebol Clube do Porto, Rainha, Constituição e Antas, foi colocada neste belo relicário, que está “guardada” por dois dragões em cada uma das cabeceiras.
Esta bonita peça pode ser vista no museu do Futebol Clube do Porto.

25 de setembro de 2011

José Tavares Bastos

José Tavares Bastos. Natural da Madalena, Vila Nova de Gaia.
Começou a jogar futebol no S.C. Espinho antes de ingressar no Futebol Clube do Porto onde conquistou o título na primeira edição do Campeonato de Portugal de 1921/22, com os Dragões a vencer
o Sporting C.P. por 3-1 na finalíssima disputada no Estádio do Bessa. Tavares Bastos por essa altura era já um dos mais velhos jogadores do F.C. Porto mas segundo rezam as crónicas, era também um verdadeiro génio com a bola nos pés e era de uma total entrega ao jogo, com sacrifício e dedicação sem limites. De feitio alegre, muito comunicativo, granjeou a simpatia de todos.
Representou o Futebol Clube do Porto durante quatro temporadas e em todas conquistou o Campeonato do Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonato do Porto

18 de setembro de 2011

Franjo Petrak

Franjo Petrak nasceu na Croácia (antiga Jugoslávia) no dia 19 de Novembro de 1911.
No seu país alinhou pelo FK Hajduk Rodic MB Kula, clube que representou durante dez temporadas, entre 1929/30 a 1938/39.
Na época de 1939/40 chegou ao Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 24 de Dezembro de 1939 no Campo do Bessa onde o F.C. Porto e o Boavista F.C. empataram 1-1, numa partida a contar para a 10ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1939/40.
Esteve duas temporadas ao serviço dos Dragões e formou com o seu compatriota Slavko Kordnya, uma dupla atacante de enorme sucesso, como mostram os 44 golos apontados pelos dois jogadores (Kordnya 29, Petrak 15), num total de 76 golos marcados pelo F.C. Porto no campeonato de 1939/40 em que se sagrou Campeão Nacional.
Na temporada seguinte Petrak apontou mais 13 golos, com os portistas a terminarem o campeonato nacional no segundo lugar. Acabou no entanto por conquistar o Campeonato do Porto. No final dessa época deixou o F.C. Porto para ingressar no G.D. Estoril Praia.
No clube canarinho, Petrak jogou durante quatro temporadas, tendo vencido o Campeonato Nacional da II Divisão em 1941/42 e em 1943/44.
No final da temporada de 1944/45 colocou um ponto final da sua carreira de futebolista.
Faleceu em 1978.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos Nacionais 2ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto

28 de agosto de 2011

Edmilson

Edmilson Gonçalves Pimenta nasceu no dia 17 de Setembro de 1971 em Santa Teresa, Brasil.
Foi no pequeno clube da sua terra, o Colatina S.E. que começou a jogar futebol mais a sério no ano de 1990. Dois anos depois mudou-se para o E.C. Democrata onde jogou até 1993. No verão desse mesmo ano mudou-se para Portugal, para ingressar no C.D. Nacional, no entanto na ilha da Madeira apenas permaneceu uma temporada já que de seguida foi contratado pelo S.C. Salgueiros onde confirmou as boas exibições com 15 golos marcados em 34 jogos e despertou o interesse dos maiores clubes nacionais.
No inicío da temporada de 1995/96 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 6 de Agosto de 1995 no Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde os portistas empataram 0-0 com o Sporting C.P. num jogo a contar para a 1ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira, prova que o F.C. Porto viria a conquistar.
Edmilson vestiu a camisola dos Dragões durante duas épocas tendo sido um dos principais jogadores do plantel portista entre 1995 e 1997.
Nas Antas, o avançado brasileiro venceu os dois Campeonatos Nacionais que disputou e ainda juntou a conquista de duas Supertaças Cândido de Oliveira.
Mas não foram só os Títulos que fizeram de Edmilson um dos melhores jogadores portistas, também esteve em jogos históricos, como a vitória por 3-2 sobre o A.C. Milan no Estádio San Siro no jogo inaugural da Liga dos Campeões de 1996/97. Uma semana mais tarde, o F.C. Porto derrotou o S.L. Benfica por 5-0 no Estádio da Luz e vence a Supertaça Cândido de Oliveira.
Ao serviço dos Dragões, Edmilson conquistou 4 Títulos, disputou 85 jogos oficiais e marcou 29 golos.
Na temporada de 1997/98 rumou a França para representar o Paris Saint-Germain F.C. mas nem tudo foram rosas na cidade das luzes e no início de 1998 estava de volta a Portugal mas desta vez para jogar no Sporting C.P.. No clube leonino jogou até 2001 e venceu mais um campeonato nacional (1999/2000) e uma Supertaça Cândido de Oliveira (1999/2000).
Depois regressou ao Brasil para ingressar no S.E. Palmeiras, onde actuou apenas um ano, para em 2002 vestir a camisola do Espírito Santo S.E. Em 2003/04 retornou a Portugal para jogar pelo Portimonense S.C.. Em 2005 de novo estava no Brasil para voltar a representar o Espírito Santo S.E.. Passou no ano seguinte pela Bélgica onde representou o R.C. Sportif Visétois. Em 2006/07 mais uma vez voltou a Portugal para jogar pelo A.D.C.R.S. Guilhabreu, mas ainda em 2007 regressou de vez ao seu país natal para voltar a representar o Espírito Santo S.E.. No final desse ano não voltou a pisar os relvados até 2012, quando voltou a jogar pelo Espirito Santo Sociedade Esportiva, clube no qual foi Presidente entre 2012 e 2013.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Supertaças Cândido de Oliveira

21 de agosto de 2011

Taça Joan Gamper

O Troféu Joan Gamper é um torneio de verão organizado pelo F.C. Barcelona em homenagem ao fundador e primeiro presidente do clube da Catalunha, o suíço Hans-Max Gamper Haessig, que ficou conhecido em Barcelona como Joan Gamper.
O torneio começou por se disputar no ano de 1966 e até aos dias de hoje sempre se realizou.
Entre 1966 e 1996, o troféu era disputado entre quatro equipas, com partidas a eliminar e desempate por penaltis em caso de igualdade. A partir de 1997 e até hoje, o F.C. Barcelona apenas convida um clube para um único jogo.
Portugal já foi representado em duas vezes, nos anos de 1987 e 1999, com o Futebol Clube do Porto e o Sporting C.P. respectivamente.
Os Dragões começaram por eliminar os anfitriões por 2-1, para depois encontrarem na final o F.C. Bayern Munique. Os alemães deixaram pelo caminho os holandeses do F.C. Ajax, com a vitória a chegar no desempate dos penaltis por 5-3, depois do 1-1 no tempo regulamentar. Assim, menos de três meses depois da final de Viena os novos Campeões Europeus voltavam a medir forças com os Bávaros. O triunfo do F.C. Porto por 2-0 mostrou que a vitória do dia 27 de Maio não tinha sido obra do acaso e dessa forma os portistas conquistaram o belo troféu de prata, com base em mármore e acabamentos em ouro.
O outro representante de Portugal já não teve a mesma sorte porque foi derrotado por 2-1.

14 de agosto de 2011

Álvaro Cardoso Pereira

Álvaro Cardoso Pereira nasceu no dia 7 de Novembro de 1904 na cidade do Porto.
Foi um médio-centro que durante 10 anos, entre 1926/27 – 1935/36, vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 10 de Outubro de 1926 no Campo da Constituição quando os Dragões receberam e venceram o S.C. Salgueiros por 2-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1926/27.
Alinhou na equipa que derrotou o S.L. Benfica por 8-0 no campeonato de Portugal de 1932/33 e também contra o First Viena, um dos gigantes da Europa na época que caíram aos pés dos Dragões no Estádio do Lima.
Álvaro Pereira com a camisola do F.C. Porto venceu por uma vez o Campeonato de Portugal na temporada de 1931/32, ao vencer o C.F. Belenenses na Final disputada no Campo do Arnado em Coimbra. E o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1934/35. Pelo meio conquistou por dez vezes o Campeonato do Porto.
Foi internacional por Portugal por 7 vezes. Teve a sua estreia no dia 30 de Novembro de 1930 contra a Espanha e a ultima vez que vestiu a camisola da Selecção Nacional foi a 18 de Março de 1934 também contra a selecção espanhola.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
10 Campeonatos do Porto

31 de julho de 2011

Reboredo

Francisco Reboredo Mosquera nasceu no dia 14 de Setembro de 1914 em Buenos Aires, Argentina.
Chegou a Portugal em Março de 1937 para ingressar no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Março de 1937 no Campo do Ameal onde os portistas receberam e venceram o S.L. Benfica por 2-1, numa partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato da I Liga de 1936/37.
Ainda nessa temporada ajudou a conquistar o Campeonato de Portugal ao vencer na final o Sporting C.P. por 3-2, um jogo disputado em Coimbra no Campo do Arnado no dia 4 de Julho de 1937.
Na temporada de 1938/39 os Dragões foram os vencedores do primeiro Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com Reboredo a ser uma das figuras da equipa orientada por Siska.
Com a camisola dos Dragões ainda venceu três Campeonatos do Porto.
Ao serviço do F.C. Porto, Reboredo jogou durante 3 épocas, tendo conquistado 5 Títulos, disputou 58 partidas oficiais e marcou 46 golos.
Em 1939/40 mudou-se para Espanha para ingressar no R.C. Deportivo da Coruña, clube que representou durante cinco temporadas até terminar a carreira de futebolista em 1948.
Seguiu mais tarde a carreira de treinador e voltou ao F.C. Porto onde foi durante vários anos o responsável pelos juvenis. Assumiu o comando técnico da equipa principal portista em 1949/50 nos últimos quatro jogos da época. Em 1959/60 orientou os Dragões nas duas partidas do campeonato. Na temporada seguinte foi de novo chamada pela direcção portista para treinar a equipa a partir de Março. Em 1961/62 mais uma vez foi o treinador do F.C. Porto de Janeiro até ao final da temporada.
Na época de 1963/64 foi treinar o V. Setúbal para depois rumar a Alvalade onde fez parte da equipa técnica que levou o Sporting C.P. à vitória na Taça dos Clubes Vencedores das Taças.

Palmarés
1 Campeonato Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
3 Campeonatos do Porto

24 de julho de 2011

Estádio do Lima


O Estádio do Lima foi inaugurado no dia 16 de Março de 1924.
Propriedade do Académico Futebol Clube, serviu de casa emprestado ao Futebol Clube do Porto em diversas ocasiões principalmente na década de 1940.
Na época, o Estádio do Lima, era um dos melhores do país, com a sua bancada central coberta e bancada em cimento no topo Norte, para além de zona de “peão”. Possuía ainda pista de ciclismo, atletismo, campo de basquetebol e um pavilhão.
Foi neste estádio que no dia 6 de Maio de 1948 se escreveu uma das mais brilhantes páginas da história do Futebol Clube do Porto. Os dragões receberam e derrotaram os londrinos do Arsenal F.C. por 3-2.

17 de julho de 2011

Amaury

Amaury da Silva nasceu no dia 6 de Março de 1942 em Marília (Marilha), Brasil.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens de pequenos clubes da sua terra, até que ingressou no Associação Atlética São Bento de Marília e com 17 anos é chamado à equipa principal. Dois anos mais tarde assina o seu primeiro contrato a nível profissional para representar o Guarani F.C.. As boas exibições ao serviço do clube de Campinas valeram-lhe a chamada à Selecção do Brasil e também a transferência para o Flamengo F.C.
No dia 16 de Junho de 1965 chegou a Portugal para ingressar no Futebol Clube do Porto. A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 6 de Outubro de 1965 no Estádio das Antas onde os portistas venceram os franceses do Stade Français por 1-0, num jogo a contar para a 2ª mão da 1ª eliminatória da Taça das Cidades com Feira da temporada de 1965/66.
Ajudou os azuis e brancos a vencer a Taça Associação de Futebol do Porto.
Amaury representou o F.C. Porto apenas 1 época (1965/66). Disputou 30 partidas oficiais (19 campeonato, 8 Taça de Portugal e 3 Taça Cidades com Feira). Marcou 8 golos.
No final dessa temporada de 1965/66, Amaury regressou ao Brasil para vestir a camisola do Santos F.C. a troco de 2.400 contos.

Palmarés
1 Taça Associação de Futebol do Porto

3 de julho de 2011

Nuno Espírito Santo

Nuno Herlander Simões Espírito Santo nasceu no dia 25 de Janeiro de 1974 em São Tomé, São Tomé e Príncipe.
Com 18 anos integrou o plantel principal do V. Guimarães para a temporada de 1992/93. Foi posteriormente emprestado durante uma época ao S.C. Vila Real para voltar ao clube vimaranense na temporada seguinte onde actuou durante mais dois anos tendo começado a despertar a cobiça de vários clubes, nacionais e estrangeiros. Mas o próximo destino de Nuno foi Espanha. No país vizinho jogou seis temporadas e representou o R.C. Deportivo da Coruña, Mérida U.D. e C.A. Osasuna.
No verão de 2002 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 2 de Setembro de 2002 no Estádio do Bessa onde os portistas visitaram e venceram o Boavista F.C. por 1-0, num jogo a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 2002/03.
No seu primeiro ano de azul e branco, Nuno sagrou-se Campeão Nacional, conquistou a Taça de Portugal (competição onde marcou um golo de penalti contra o Varzim S.C. na vitória portista por 7-0), e venceu a Taça UEFA.
A temporada que se seguiu trouxe mais vitórias. Começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, seguiu-se a revalidação do Título de Campeão Nacional e terminou com a saborosa conquista da Liga dos Campeões em Gelsenkirchen ao derrotar o A.S. Mónaco por 3-0 na final.
2004/05 Começou igual à temporada anterior, com a vitória da Supertaça Cândido de Oliveira, em Dezembro o F.C. Porto, na qualidade de Campeão Europeu, rumou ao Japão para medir forças com o C.D. Once Caldas, Campeão Sul-Americano. Aos 103 minutos, Nuno foi chamado para substituir Vítor Baía e teve dessa forma inesperada a responsabilidade de defender a baliza portista no desempate por penaltis que o F.C. Porto acabaria por vencer por 8-7 e dessa forma conquistou o troféu Intercontinental.
Na época seguinte, Nuno transferiu-se para o F.K. Dínamo de Moscovo, para voltar a Portugal no início de 2007 onde representou o C.D. Aves.
Regressou ao F.C. Porto em 2007/08 para jogar mais três temporadas e onde voltou a sagrar-se Campeão Nacional por duas vezes, conquistou também duas Taças de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira.
No final da época de 2009/10 colocou um ponto final na sua carreira de jogador.
Nuno Espírito Santo jogou 6 temporadas de Dragão ao peito, conquistou 13 Títulos e disputou 60 jogos oficiais.
Na temporada seguinte fez parte da equipa técnica do seu antigo treinador, Jesualdo Ferreira, no Málaga C.F., tendo-se seguido o Panathinaikos A.O. Em 2012/13, assumiu o comando técnico do Rio Ave F.C. Na temporada de 2013/14 conduziu o clube de Vila do Conde à final da Taça da Liga e à Final da Taça de Portugal. Em 2014/15 rumou a Espanha para comandar o Valencia C.F. tendo deixado o clube espanhol em Novembro de 2015.
Em Junho de 2016 regressou ao F.C. Porto para assumir o comando técnico da equipa principal dos Dragões, acabando por sair no final da temporada de 2016/17. Na temporada seguinte rumou a Inglaterra para comandar o Wolverhampton F.C.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
5 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira

19 de junho de 2011

Quim

Joaquim Carvalho de Azevedo (Quim), nasceu no dia 23 de Agosto de 1959 em Vila do Conde.
Fez toda a sua formação futebolística nas camadas jovens do Rio Ave F.C. e na temporada de 1978/79 teve a sua estreia como sénior. Representou o clube da sua terra até ao final da época de 1983/84.
Em 1984/85 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 26 de Agosto de 1984 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Rio Ave F.C. por 3-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1984/85.
Quim esteve ao serviço do F.C. Porto durante cinco temporadas e onde venceu praticamente tudo o que havia para vencer, desde Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Supertaça Cândido de Oliveira. Mais saborosas foram as vitórias da Taça Intercontinental, Supertaça Europeia, com a Taça dos Clubes Campeões Europeus no topo depois de vencido o F.C. Bayern de Munique por 2-1 na final disputada em Viena.
A temporada de 1988/89 foi a ultima que passou nas Antas. Nessas cinco épocas de azul e branco, Quim conquistou 9 Títulos, participou em 86 jogos oficiais e marcou 4 golos.
Em 1989/90 ingressou no F.C. Tirsense, na temporada seguinte viajou para o sul do país para representar os algarvios do S.C. Farense durante duas temporadas, depois voltou a Vila do Conde e ao Rio Ave F.C. para jogar mais duas épocas até terminar a carreira em 1993/94.
Quim também vestiu a camisola da Selecção Nacional por 4 vezes.
Em 1997/98 deu inicio à carreira de treinador ao assumir o comando técnico do A.D. Esposende. Teve passagens por Canelas Gaia F.C., S.C. Vila Real, F.C. Pampilhosa e C.U. Micaelense que foi o ultimo clube que orientou na temporada de 2006/07.

Palmarés
1 Taça Clubes Campeões Europeus
1 Taça Intercontinental
1 Supertaça Europeia
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

12 de junho de 2011

Sebastião Ferreira Mendes


Sebastião Ferreira Mendes foi o 12º Presidente do Futebol Clube do Porto. Comandou o clube em dois períodos diferentes. Primeiro entre 1927/28 e mais tarde, entre 1932/34.
Em 1928 teve dois dos seus melhores atletas em plano de destaque. Valdemar Mota, extremo-direito, ao serviço da Selecção Nacional esteve em Amesterdão nos Jogos Olímpicos, tornou-se assim no primeiro portista a ter essa honra. Acácio Mesquita, avançado-centro, praticava também atletismo e foi campeão nacional de triplo-salto.
No segundo mandato de Sebastião Ferreira Mendes, o F.C. Porto iniciou-se na modalidade de Andebol e vê a sua sede ser transferida, em 1933, para a então denominada Praça do Município, que nos dias de hoje é Praça General Humberto Delgado.
Em 1932 os Dragões vencem o seu terceiro Campeonato de Portugal depois de derrotarem na finalíssima o C.F. Belenenses por 2-1 com golos de Pinga e Carlos Mesquita.
Pinga que quando ingressou no F.C. Porto foi trabalhar para fábrica de Sebastião Ferreira Mendes, o que motivou alguma polémica, com o seu anterior clube, o Marítimo S.C. a acusar os portista de falsificação de documentos.
Em 1935 e já depois de deixar os comandos do F.C. Porto, Sebastião Ferreira Mendes, juntamente com Bento Correia, foram a voz de um grupo de sócios que deram inicio a uma subscrição pública para oferecer medalhas aos campeões de 1934/35.
No dia 13 de Setembro de 1938 Sebastião Ferreira Mendes tornou-se no primeiro portista a ser condecorado com o título de Presidente Honorário do clube.

5 de junho de 2011

Fernando Perdigão

Fernando Julio Perdigão nasceu no dia 11 de Novembro de 1932 em Lourenço Marques, Moçambique.
Começou a sua carreira desportiva no clube da sua terra, o Clube Desportivo de Lourenço Marques.
No início da temporada de 1952/53 chegou ao Futebol Clube do Porto.
Além de um excelente futebolista, Fernando Perdigão era também praticante de atletismo, nesta ultima modalidade e ainda júnior, foi recordista de saltos em altura e Campeão Nacional já na categoria de sénior.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 22 de Abril de 1953 no Estádio Municipal de Coimbra onde o F.C. Porto empatou 1-1 com a Académica, numa partida a contar para a 21ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1952/53.
Representou o F.C. Porto durante onze temporadas tendo-se sagrado Campeão Nacional em 1955/56 e 1958/59. Conquistou também por duas vezes a Taça de Portugal nas épocas de 1955/56 e 1957/58.
Venceu também a Taça Associação de Futebol do Porto por seis vezes (1956/57, 1957/58, 1959/60, 1960/61, 1961/62 e 1962/63).
Foi um dos títulares da equipa portista que participou pela primeira vez nas competições europeias ao defrontar o Athletic Club Bilbao, num jogo a contar para a 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus na época de 1956/57.
Perdigão representou a Selecção Nacional de futebol numa altura em que eram raros os jogadores do F.C. Porto a terem essa honra.
No final da década de 60 regressou a Moçambique e ao C.D. Lourenço Marques no qual ainda jogou mais alguns anos, terminou a sua carreira de jogador-treinador no Clube Desportivo Indu-Português.
Voltou mais tarde para Portugal, foi viver para a cidade de Aveiro onde faleceu no dia 16 de Fevereiro de 2007.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
6 Taças Associação de Futebol do Porto

22 de maio de 2011

OBRIGADO

A todos aqueles que tornaram esta época de 2010/11 numa época de sonho, um grande OBRIGADO.

15 de maio de 2011

Estádio Olímpico de Sevilha


O Estádio Olímpico de Sevilha, denominado Estádio Olímpico La Catuja, é um recinto multiusos situado na cidade de Sevilha no sul de Espanha.
Inaugurado no dia 5 de Maio de 1999 pelo Rei de Espanha, Juan Carlos I, o estádio recebeu nesse mesmo ano o Campeonato Mundial de Atletismo.
Com 72.000 lugares é o terceiro maior estádio de Espanha, ficando atrás do Camp Nou de Barcelona e do Santiago Bernabeu de Madrid. No entanto esses lugares permanecem vazios praticamente durante o ano inteiro devido à falta de eventos e assim uma obra de 120 milhões de euros fica quase abandonada.
O Estádio é gerido pela Sociedad Estadio Olímpico de Sevilla S.A., composta pela Junta de Andalucia (40%), o Governo Nacional de Espanha (25%), o Ayuntamiento de Sevilla (19%), pela Diputación provincial de Sevilla (13%) e 3% repartido pelos clubes de futebol da cidade e por dois bancos.
Para além do já referido Campeonato Mundial de Atletismo de 1999, o estádio recebeu a Final da Taça do Rei de 1998/99 entre o Valência F.C. e o Atlético de Madrid, ainda algumas partidas da Selecção Espanhola de Futebol e a Final da Taça Davis de Ténis de 2004.
O Estádio Olímpico de Sevilha fica também gravado na história do Futebol Clube do Porto já que no dia 21 de Maio de 2003 recebeu a final da Taça UEFA. Os Dragões defrontaram e venceram a formação escocesa do Celtic F.C., por 3-2 com golos de Derlei (2) e Alenitchev e venceram assim pela primeira vez a segunda prova mais importante organizada pela UEFA.

8 de maio de 2011

Festa

Alberto Augusto Antunes Festa nasceu no dia 21 de Julho de 1939 em Santo Tirso.
Foi no F.C. Tirsense que começou a jogar futebol, desde a formação até chegar à equipa principal.
Em 1960/61 chegou ao Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 5 de Novembro de 1961 no Estádio Padinha em Olhão onde os portistas empataram 1-1 com o S.C. Olhanense, numa partida que valeu para a 5ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1961/62.
No dia 16 de Setembro e 1964, foi um dos titulares da equipa portista que venceu o Olimpique Lyonnais por 3-0 na 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças e que marcou o primeiro triunfo do F.C. Porto nas competições europeias.
Em 1966 foi um dos três “Magriços” das Antas, juntamente com Américo e Custódio Pinto, que marcaram presença no Campeonato do Mundo de Futebol de Inglaterra.
Em 1968 ainda fez parte do plantel que conquistou a Taça de Portugal depois da vitória do F.C. Porto sobre o V. Setúbal por 2-1 na Final do Jamor.
Ganhou por cinco vezes a Taça Associação de Futebol do Porto (1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e 1965/66).
Vestiu a camisola azul e branca durante oito temporadas onde foi o defesa direito dos Dragões.
Na temporada de 1968/69, Festa regressou ao F.C. Tirsense para competir durante mais quatro épocas, até terminar a sua carreira no final da temporada de 1971/72.

Palmarés
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

2 de maio de 2011

Campo do Ameal


O Campo do Ameal, pertencente ao Club Sport Progresso, serviu de palco a diversas partidas do Futebol Clube do Porto nas décadas de 1920 e 1930.
O complexo desportivo do clube de Paranhos, era na época um dos mais modernos e mais belos com um imponente relógio na cobertura da bancada central a servir de imagem de marca.
Os Dragões viram-se na obrigação de recorrer ao recinto do seu vizinho já que o Campo da Constituição começava a ser pequeno principalmente nos jogos mais importantes.
O Campo do Ameal ficou dessa forma ligado à história do F.C. Porto e onde não faltaram momentos de glória.

18 de abril de 2011

Azumir

Azumir Luis Casimiro Veríssimo nasceu no dia 7 de Junho de 1935 no Rio de Janeiro, Brasil.
Começou por jogar futebol no Madureira S.C. Passou depois pelo Bangu A.C., C.R. Flamengo, Botafogo F.R., Fluminense F.C. e C.R. Vasco da Gama.
Em 1961 ingressou no Futebol Clube do Porto. A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 5 de Novembro de 1961 no Estádio Padinha em Olhão onde os portistas empataram 1-1 com o S.C. Olhanense, num jogo que valeu para a 5ª jornada do Campeonato Nacional da temporada de 1961/62. Campeonato onde Azumir foi o melhor marcador com 23 golos apontados. Foi assim o primeiro jogador do F.C. Porto a vencer a “Bola de Prata”. Os golos que apontou é que não chegaram para levar os Dragões à conquista do campeonato que ficaram a 2 pontos do Sporting C.P.
Na época seguinte, Azumir voltou a ser o melhor marcador da equipa com 17 golos, que infelizmente não chegaram para voltar a vencer o troféu de melhor artilheiro do campeonato.
Em 1963/64 Azumir apenas marcou 3 golos em 5 partidas disputadas.
Nas três temporadas em que representou o F.C. Porto venceu por três vezes a Taça Associação de Futebol do Porto. Disputou 76 jogos oficiais e marcou 71 golos.
Em 1964/65 rumou ao S.C. Covilhã. Seguiu-se o F.C. Barreirense, clube que representou durante duas temporadas e na época de 1967/68 ingressou no C.D. Beja. Passou ainda pelo F.C. Tirsense onde terminou a sua carreira.
Faleceu no dia 2 de dezembro de 2012 no Rio de Janeiro, após doença prolongada.

Palmarés
3 Taças Associação de Futebol do Porto

3 de abril de 2011

Kordnya

Slavko Kordnya nasceu em 1911 em Zagreb na Croácia.
Começou a sua carreira ao mais alto nível no ano de 1932 no clube da sua terra, o Concórdia de Zagreb, clube que representou até ao final da temporada de 1935/36. Depois viajou para a Suíça para vestir a camisola do B.S.C. Young Boys. Na temporada seguinte a França foi o destino que se seguiu. Primeiro jogou no A.S. Saint-Etiénne e na época de 1938/39 ingressou no F.C. Antibes.
Na temporada de 1939/40 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Janeiro de 1940 no Campo da Constituição onde os portistas venceram o V. Setubal por 11-0 (3 golos de Kordnya), um jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1939/40.
Ao serviço dos Dragões, Kordnya sagrou-se Campeão Nacional em 1939/40 e foi ainda o melhor marcador do campeonato nacional com 29 golos apontados. O F.C. Porto conquistou o título de 1939/40 com 34 pontos em 36 possíveis. Só não fez o pleno devido à derrota contra o Sporting C.P.
Na temporada de 1940/41 conquistou o Campeonato do Porto e no final dessa época regressou ao seu país e ao Concórdia de Zagreb onde jogou até ao ano de 1945 e onde voltou a festejar um título de campeão.
Faleceu em 1970.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Croácia
1 Campeonato do Porto

27 de março de 2011

Eduardo Luis


Eduardo Luís Marques Kruss Gomes nasceu no dia 6 de Dezembro de 1955 em Loures.
Começou por jogar futebol no C.D. Olivais e Moscavide, mais tarde passou para os juniores do S.L. Benfica, onde jogou até ao fim da época de 1973/74.
Na temporada de 1974/75 passou a sénior e rumou ao C.S. Marítimo por empréstimo. Na época seguinte voltou à Luz e fez parte do plantel que venceu o Campeonato Nacional. Em 1976/77 voltou ao C.S. Marítimo e por lá se manteve durante seis épocas.
Na temporada de 1982/83 ingressou no Futebol Clube do Porto, treinado na altura por José Maria Pedroto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 5 de Setembro de 1982 no Estádio 1º de Maio em Braga onde os portistas venceram os bracarenses por 2-1, num jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato Nacional de 1982/83.
Eduardo Luís esteve 7 temporadas ao serviço dos Dragões, venceu três Campeonatos Nacionais, duas Taças de Portugal, três Supertaça Cândido de Oliveira, uma Taça Associação de Futebol do Porto. Esteve ainda presente na primeira final europeia da história do F.C. Porto, no ano de 1984 em Basileia quando os portistas defrontaram os italianos da Juventus F.C.
Mas o momento alto da sua carreira aconteceu no dia 27 de Maio de 1987. Nesse dia o F.C. Porto jogou contra o F.C. Bayern Munique em Viena, capital da Áustria, um jogo a contar para a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Os Dragões venceram por 2-1 e assim Eduardo Luís conquistou o troféu mais apetecido da Europa. Depois ainda venceu a Taça Intercontinental e um mês mais tarde a Supertaça Europeia.
No final da temporada de 1988/89, Eduardo Luís deixou o F.C. Porto.
Ao serviço dos Dragões disputou 154 jogos oficiais, marcou 3 golos e conquistou 11 Títulos.
No inicio da temporada de 1989/90 transferiu-se para o Rio Ave F.C., na época seguinte rumou ao A.D. Ovarense onde jogou durante mais duas temporadas, para terminar a carreira em 1991/92 ao serviço do clube de Ovar.
Eduardo Luís passou na temporada que se seguiu a treinador do A.D. Ovarense. Depois orientou vários clubes de escalões secundários.
Enquanto jogador, vestiu a camisola da Selecção Nacional por 8 vezes e foi um dos eleitos a integrar a comitiva lusa para disputar o Campeonato da Europa de 1984.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
1 Supertaça Europeia
4 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

13 de março de 2011

Jorge Couto

Jorge António Pinto do Couto nasceu no dia 1 de Julho de 1970 em Argoncilhe; Santa Maria da Feira.
Começou por jogar futebol por passatempo na Venezuela, onde esteve alguns anos, quando voltou a Portugal ingressou como juvenil na equipa do A.D. Argoncilhe. Depois foi jogar para o Lusitano F.C. Lourosa.
Em 1985/86 ingressou nos juniores do Futebol Clube do Porto.
Na temporada de 1988/89 passou a sénior mas foi jogar no Gil Vicente F.C. por empréstimo dos portistas.
Na época seguinte já integrou o plantel azul e branco treinado por Artur Jorge.
A sua estreia como sénior na equipa principal do F.C. Porto aconteceu no dia 26 de Agosto de 1989 no Estádio Vieira de Carvalho, na Maia, onde os portistas a jogar como visitante, venceram o F.C. Penafiel por 2-0, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1989/90.
Jorge Couto depressa se afirmou na equipa principal dos Dragões, na qual permaneceu durante sete temporadas tendo-se sagrado Campeão Nacional por cinco vezes, venceu duas Taça de Portugal e quatro Supertaças Cândido de Oliveira. Com a camisola dos Dragões, Jorge Couto marcou golos importantes, como o da vitória contra o V. Setúbal no Estádio das Antas que valeu o Título de Campeão Nacional em 1989/90, ou em Alvalade na época de 1990/91 com um chapéu desde o meio campo que ajudou à vitória por 2-0 sobre o Sporting C.P.
No final da época de 1995/96 deixou o F.C. Porto. ao serviço dos Dragões, Jorge Couto conquistou 11 Títulos, disputou 181 partidas oficiais e marcou 18 golos.
Em 1996/97 transferiu-se para o Boavista F.C.. Nos axadrezados venceu uma Taça de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira. Jorge Couto ficou ainda na história do emblema do Bessa por ser um dos jogadores que venceram o único Campeonato Nacional que o clube portuense conquistou, em 2000/01.
Jorge Couto representou também a Selecção Nacional. Defendeu as cores de Portugal em 6 jogos oficiais.
No final da época de 2002/03 colocou um ponto final na sua carreira de futebolista.
Em 2015/16 regressou ao Bessa para assumir o cargo de treinador-adjunto, já na temporada de 2017/18 passou a treinador principal da equipa b dos axadrezados.

Palmarés
6 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
5 Supertaças Cândido de Oliveira

6 de março de 2011

Djalma

Djalma Nascimento de Freitas nasceu no dia 27 de Novembro de 1941 no Bairro Caxangá na cidade do Recife, Brasil.
Aos 15 anos entrou para as camadas jovens do Caxangá E.C. onde passou desde logo a jogar a avançado centro. Com apenas 17 anos deu o salto para a equipa principal do Caxangá E.C. e começou o assédio dos principais clubes pelo jovem jogador e foi sem surpresa que se transferiu para o América F.C. para na temporada seguinte rumar ao S.C. Recife.
Ao serviço do S.C. Recife, Djalma conquistou no ano da sua estreia pelo clube a Copa do Norte e o Torneio de Inicio do Campeonato Pernambucano de 1959.
Em 1961 esteve quatro meses emprestado ao S. Paulo F.C. onde agradou aos responsáveis do clube paulista que o tentaram contratar, só que o S.C. Recife pedia muito dinheiro e assim a transferência não se realizou. Djalma continuou no clube de Pernambuco e ainda 1961 venceu o Campeonato Estadual Pernambucano, tendo também sido o melhor marcador com 36 golos. No final desse ano esteve perto de ingressar no S.C. Covilhã pois o presidente do S.C. Recife era natural da cidade da Covilhã e a transferência esteve praticamente acertada, mas à última da hora o negócio foi desfeito. Djalma continuou a vestir a camisola do S.C. Recife e venceu de novo o Campeonato Estadual e ainda a Copa do Norte-Nordeste e a Copa do Norte, troféu que conquistou também no ano seguinte.
Em Junho de 1965 Djalma chega a Portugal para ingressar no V. Guimarães. Logo no jogo de estreia para o Campeonato Nacional apontou 2 golos na vitória dos minhotos sobre o V. Setúbal por 4-2. Mas onde ficou vincada a sua marca foi nas partidas contra o S.C. Braga nessa temporada de 1965/66. Na primeira volta os vimaranenses venceram por 6-2 com Djalma a apontar todos os golos da sua equipa, na segunda volta novo triunfo do V. Guimarães em Braga e por 3-5 com mais 5 golos de Djalma.
Na temporada de 1966/67 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
Os portistas pagaram 150 contos mais as cedências a título definitivo do defesa Joaquim Jorge e Naftal e os empréstimos para a temporada de 1966/67 de Miranda e Lazaro. Djalma assinou um contrato por 3 anos e passou a ser o jogador do clube mais bem pago ao receber 60 contos na primeira época, 70 na segunda e 80 na terceira.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Setembro de 1966 no Estádio do Varzim onde os portistas venceram por 3-0 os poveiros, com djalma em grande evidencia ao ser o autor de dois golos, num jogo que contou para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1966/67.
Nas três épocas que esteve ao serviço dos Dragões, Djalma foi o melhor marcador do Campeonato Nacional de 1966/67 e 1967/68. Conquistou a Taça de Portugal em 1967/68 onde foi titular da equipa que derrotou o V. Setúbal por 2-1.
No final de 1968/69 deixou o F.C. Porto onde actuou em 101 jogos e marcou 63 golos.
Continuou de azul e branco mas passou a defender a camisola do C.F. Belenenses. Os problemas indisciplinares que eram frequentes em Djalma continuaram em Belém e depois de ter convencido o médico do clube de que estava lesionado para não viajar com a equipa para África, teve um grave acidente de viação ao conduzir sobe efeitos do álcool, tendo-se despistado e atropelado fatalmente três pessoas. Foi detido, condenado a quase dois anos de prisão, mas o bom comportamento e as influencias do então Presidente da Republica, que era adepto do Belenenses, encurtaram a pena para alguns meses. Saiu já em 1970 e apenas disputou uma partida nesse campeonato de 1969/70. Na temporada seguinte actuou em 8 jogos e marcou 2 golos.Foi depois dispensado pelo C.F. Belenenses e ingressou por empréstimo no Oriental de Lisboa e em 1971/72 no A.C. Marinhense.
Em 1973/74 foi jogar para o S.C. Espinho onde ajudou o clube da costa verde a subir à 1ª Divisão Nacional. Mas os problemas continuaram e a caminho do Café Velásquez no Porto foi abalroado por um camião. Esteve às portas da morte. Foi operado durante 12 horas e esteve 18 dias em coma. Ficou sem dois dedos na mão esquerda e com a perna direita mais curta. Fugiu do hospital e foi beber para um bar, o empregado reconheceu-o e ligou para o hospital, para onde voltou e foi amarrado à cama.
Ainda voltou a jogar até um médico o avisar que uma pancada mais forte na perna lhe poderia custar a amputação.
Em 1976 o Futebol Clube do Porto realizou um jogo de homenagem no Campo do Riopele para angariar fundos para Djalma voltar ao Brasil.
Em 1995 visitou Portugal a convite do F.C. Porto.

Palmarés
1 Taça de Portugal
2 Campeonatos Estaduais
3 Copas do Norte
1 Copa do Norte-Nordeste

27 de fevereiro de 2011

Adelino Teixeira

Adelino de Jesus Teixeira nasceu no dia 4 de Junho de 1952 em Oliveira de Azeméis.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens do A.D. Sanjoanense até que em 1968 mudou de camisola para defender as cores do Leixões S.C. Estreou-se a nível Professional no clube de Matosinhos na temporada de 1970/71. Representou os matosinhenses durante quatro temporadas.
Em 1974/75 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
a sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Setembro de 1974 no Estádio Das Antas quando os portistas receberam e venceram o G.D. CUF por 2-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1974/75.
Adelino Teixeira vestiu a camisola dos Dragões durante as nove temporadas que se seguiram e onde conquistou 1 Taça de Portugal, 2 Campeonatos Nacionais, 2 Supertaças Cândido de Oliveira e 1 Taça Associação de Futebol do Porto.
Era um jogador útil para os treinadores devido à sua capacidade de adaptação a qualquer posição tanto a meio-campo como na defesa.
No dia 27 de Setembro de 1978, Adelino Teixeiro foi um dos títulares na equipa portista que derrotou os gregos do AEK de Atenas por 4-1, no que foi a primeira vitória dos azuis e brancos na Taça dos Clubes Campeões Europeus.
No final da temporada de 1982/83 deixou o F.C. Porto. Com a camisola azul e branca, Adelino Teixeira conquistou 6 Títulos, disputou 238 jogos oficiais e marcou 5 golos.
em 1983/84 rumou ao Bessa. No Boavista F.C. jogou mais duas épocas e meia, já que ingressou ainda no decorrer de 1985/86 no F.C. Penafiel, clube onde terminou a sua carreira de futebolista no final dessa mesma temporada.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

20 de fevereiro de 2011

Taça Cidade de Sevilha

No ano em que se realizou a Exposição Universal de Sevilha 1992, a cidade espanhola da Andaluzia organizou a Taça Cidade de Sevilha.
Nesse torneio participaram para além das duas equipas da Andaluzia (Sevilha F.C. e o Real Bétis), o F.C. Barcelona, Atlético de Madrid, C.R. Vasco da Gama e o Futebol Clube do Porto.
No primeiro encontro, os Dragões levaram de vencida a equipa do Sevilha F.C. por 2-0, enquanto que no segundo jogo o resultado final foi em empate 2-2 contra o Atlético de Madrid, mas que ainda assim valeu ao F.C. Porto a chegada à final do torneio onde encontrou o Real Bétis.
Na final os portistas conquistaram nova vitória por 2-0 e dessa forma trouxeram para a cidade Invicta o belo troféu que estava em disputa.

13 de fevereiro de 2011

Estádio do Prater


Inaugurado em 1931, o Estádio do Prater foi alvo de profundas alterações e remodelações que dotaram aquele recinto (tal como o Estádio do Dragão), como um dos poucos estádios cinco estrelas da Europa, classificação máxima atribuída pela UEFA.
A sua remodelação permitiu-lhe oferecer 50 mil lugares sentados e cobertos, para além de ter sido dotado das mais recentes tecnologias e infra-estruturas, sendo frequentemente utilizado como palco de grandes competições e eventos culturais. Situado na maior zona de lazer da cidade, o Prater, o estádio fica muito perto do Rio Danúbio, o principal ex-libris natural de Viena, rio que permitiu a Viena desenvolver-se e tornar-se no principal centro urbano, económico, político e social da Áustria.
Em 1992 passou a designar-se Estádio Ernst Happel, como forma de homenagear o antigo jogador e treinador austríaco.
O Estádio da cidade de Viena vai também ficar na história do Futebol Clube do Porto. Pois foi nesse belo recinto que os Dragões conquistaram pela primeira vez uma prova internacional ao baterem os alemães do F.C. Bayern de Munique por 2-1 na Final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1987.
Os portistas voltaram ao Prater no dia 31 de Outubro de 2002 para defrontarem e vencerem o Áustria Wien por 1-0.
Mais recentemente, no dia 2 de Dezembro de 2010 o F.C. Porto regressou à capital da Áustria para medir forças com o Rapid Vienna e o resultado voltou a sorrir aos azuis e brancos.
Um Estádio de alguma forma talismã ao F.C. Porto que soma em vitórias as suas três deslocações ao Prater.

Jogos do F.C. Porto
27 Maio 1987: F.C. Porto 2-1 F.C. Bayern Munique
31 Outubro 2002: Áustria Wien 0-1 F.C. Porto
2 Dezembro 2010: Rapid Vienna 1-3 F.C. Porto

6 de fevereiro de 2011

Nascimento Cordeiro

José Maria Nascimento Cordeiro foi o 30º Presidente da história do Futebol Clube do Porto. Entre os anos de 1961 e 1965.
Em 1961 o clube atravessava sérias dificuldades financeiras. Foi então eleita uma Comissão Administrativa e o novo Presidente, Nascimento Cordeiro, conseguiu recuperar as finanças do clube numa época bastante difícil, já que qualquer que fosse a despesa necessária, era sempre um enorme problema.
Ainda assim foi no seu mandato que procedeu à iluminação do Estádio das Antas. A inauguração foi no dia 1 de Setembro de 1962 e o convidado foi o Club Atlético de Bilba.
Foi ainda durante o seu mandato que os portistas conseguiram a primeira vitória em provas da UEFA, aconteceu no dia 16 de Setembro de 1964 quando o O. Lyon perdeu por 3-0 na visita ao Estádio das Antas.

16 de janeiro de 2011

Otto Bumbel

Pedro Otto Bumbel nasceu no dia 6 de Julho de 1914 em Taquara no Brasil.
Treinou o Futebol Clube do Porto no ano de 1958.
Estreou-se no comando técnico dos Dragões na época de 1957/58 no dia 30 de Março no Estádio das Antas, quando os portistas receberam e venceram o S.C. Braga por 3-0, no jogo da 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça de Portugal.
Conseguiu para o F.C. Porto a segunda Taça de Portugal da história do clube ao vencer o S.L. Benfica por 1-0 no Estádio Nacional, com Hernâni a apontar o golo da vitória.
Nas meias-finais, depois de deixar pelo caminho o S.C. Braga e o Marítimo S.C. os Dragões eliminaram o Sporting C.P. (2-2 e 3-0). Numas segundas meias-finais , abertas aos clubes ultramarinos, o F.C. Porto deixou pelo caminho o Desportivo de Lourenço Marques (6-2 e 9-1).
Na final, arbitrada por Álvaro Rodrigues o F.C. Porto alinhou com: Pinho; Virgílio e Barbosa; Ângelo Sarmento, Miguel Arcanjo e Albano Sarmento; Carlos Duarte, Gastão, Osvaldo Silva, Hernâni e Perdigão.
Na temporada de 1958/59 ainda treinou o F.C. Porto nos sete primeiros jogos do Campeonato Nacional, até ceder o seu lugar a Bela Guttmann em Outubro de 1958, ainda assim contribuiu para os portistas se sagrarem Campeões Nacionais dessa época.
Otto Bumbel apesar de ter treinado o F.C. Porto apenas em 14 jogos oficiais conquistou 2 Títulos.
Depois de deixar o F.C. Porto, Otto Bumbel rumou a Espanha onde orientou: Valência, Racing de Santander, Elche, Sevilha, Atlético de Madrid, Málaga e Racing de Ferrol. A principal razão para Otto Bumbel estar muito tempo fora do Brasil, deveu-se à sua ida para a Costa Rica em 1951 para treinar o C.D. Saprissa, como Bumbel também era militar, foi dado como desertor e não voltou ao Brasil num período de 10 anos para evitar ser detido.
Depois de finalmente voltar ao seu país, trabalhou como jornalista para alguns jornais europeus.
No dia 5 de Agosto de 1998, foi encontrado morto em sua casa, onde terá falecido três dias antes.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça de Espanha

9 de janeiro de 2011

Flávio

Flávio Almeida da Fonseca nasceu no dia 9 de Setembro de 1944 em Porto Alegre; Brasil.
Ainda criança, começou por jogar futebol num pequeno clube do seu bairro, até que em 1959 conseguiu entrar para as escolas de formação do S.C. Internacional. Com apenas 17 anos estreou-se na equipa principal do clube de Porto Alegre tendo-se sagrado campeão gaúcho.
Em 1965 rumou ao S.C. Corinthians. Representou o clube de São Paulo durante cinco anos, onde o ponto mais alto aconteceu em 1967 quando foi o melhor marcador do campeonato estadual com 21 golos, tendo assim batido o recorde de Pelé.
Em 1969, Flávio transferiu-se para o Fluminense F.C. e sagrou-se campeão carioca nesse mesmo ano. Ainda venceu o Torneio Roberto Gomes Pedrosa em 1970 e voltou a conquistar o campeonato carioca de 1971. Nesses três anos ao serviço do Fluminense F.C., Flávio marcou 92 golos em 115 partidas.
Na temporada de 1971/72 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A direcção presidida por Afonso Pinto de Magalhães desembolsou 2.375 contos, uma fortuna na época, e foram muitos os adeptos portistas que receberam com euforia o jogador na sua chegada ao aeroporto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Setembro de 1971 no Estádio Municipal de Tomar, quando os azuis e brancos visitaram e venceram o União de Tomar por 2-0, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1971/72. foi ainda nesse jogo que Flávio também se estreou nos golos ao abrir o marcador aos 29 minutos de jogo.
Com a camisola do F.C. Porto, Flávio não conquistou nenhum troféu. Nas quatro temporadas que representou os Dragões, formou com Abel a dupla atacante que ainda hoje é recordada por muitos adeptos. Nesse período, Flávio foi por duas vezes o melhor marcador da equipa (1971/72 e 1972/73). Marcou 54 golos e disputou 90 jogos oficiais.
Em 1975 voltou ao Brasil e ao S.C. Internacional ainda a tempo de voltar a ser campeão gaúcho, campeão brasileiro e melhor marcador do campeonato brasileiro.
Em 1977 ingressou no S.C. Pelotas, onde foi o melhor marcador do campeonato gaúcho. Ainda em 1977 mudou-se para o Santos F.C. seguiu-se depois o Figueirense F.C., Brasília F.C. e o Clube Jorge Wilstermann da Bolívia.
Segundo a edição especial “Os Grandes Artilheiros” da revista brasileira “Placar”, Flávio é o 8º maior goleador do mundo com 1.070 golos marcados.

Palmarés
3 Campeonatos Gaúchos
2 Campeonatos Cariocas
1 Campeonato Brasileiro
1 Torneio Roberto Gomes Pedrosa