19 de dezembro de 2011

Vianinha

Marins Alves de Araújo Viana (Vianinha), nasceu no dia 10 de Maio de 1909 no Rio de Janeiro, Brasil.
Foi o primeiro jogador brasileiro a ser contratado pelo Futebol Clube do Porto em 1936/37, que o resgatou ao Sporting C.P. a troco de 7 contos pela sua carta de desobrigação, recebendo 14 contos de "luvas" e um ordenado de 1500 escudos.
Chegou a Portugal em 1935/36 para ingressar nos leões de Alvalade onde conquistou o Campeonato de Portugal. Nessa temporada e num jogo a contar para o campeonato, disputado no Campo do Amial, contra o F.C. Porto, viu a sua equipa ser completamente esmagada por uns incríveis 10 golos dos portistas contra apenas 1 dos leões.
Na temporada seguinte, Vianinha ingressou no F.C. Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Março de 1937 no Campo do Ameal onde os portistas venceram o Carcavelinhos F.C. por 4-2, num jogo a contar para a 8ª jornada do Campeonato da I Liga da época de 1936/37.
Ainda nessa temporada de 1936/37, Vianinha repetiu a vitória no Campeonato de Portugal depois de derrotar a sua anterior equipa por 3-2 em Coimbra no Campo do Arnado.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por duas vezes.
Vianinha foi assim o primeiro jogador brasileiro contratado pelos Dragões mas já antes, Ambrósio Gama, também brasileiro e residente em Portugal, representou o F.C. Porto em quatro partidas oficiais.
Nas duas temporadas que Vianinha representou o F.C. Porto conquistou 3 Títulos e disputou 41 partidas oficiais.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto

5 de dezembro de 2011

Troféu Vitória


O primeiro jogo entre o Futebol Clube do Porto e o Clube Regatas Vasco da Gama (reforçado com jogadores do Botafogo F.R. e do Fluminense F.C.) disputou-se a 19 de Julho de 1931 no Estádio do Lima, tendo a formação brasileira vencido por 1-3.
Em jeito de desforra disputou-se um segundo jogo, oito dias depois, a 26 de Julho, no mesmo estádio, tendo então os Dragões cometido a proeza de vencer por 2-1 o mesmo C.R. Vasco da Gama, tornando-se desta forma o único clube português a vencer a prestigiada equipa brasileira que dias antes vencera o F.C. Barcelona no campo de Las Cortes, na Catalunha.
A vitória encheu de alegria os corações dos emigrantes portugueses no Brasil. Para testemunhar essa efusão, presentearam os jogadores e o clube, tendo eleito uma “Rainha” D. Leopoldina Mendes Belo, para se deslocar a Portugal, propositadamente, e entregar directamente as medalhas de ouro e o Troféu que hoje constitui um belíssimo documento na historia do F.C. Porto.
Trata-se de um Troféu em bronze e mármore. Uma mulher transporta na mão esquerda a bola de futebol e eleva bem alto, em sinal de oferta e vitória, a coroa de louros, na mão direita. Na placa dedicatória, dentro da Cruz de Cristo, o autor colocou o distintivo do F.C. Porto. Revela-se uma mensagem de saudade e de orgulho da colónia emigrante radicada no Brasil.
O F.C. Porto por seu lado e num gesto de agradecimento, mas também de agradecimento, ofereceu à Colónia, através da mesma “Rainha”, uma pasta em pele e uma salva de prata, estilo D. João V, tendo ao centro o distintivo do F.C. Porto esmaltado a cores próprias.