16 de janeiro de 2011

Otto Bumbel

Pedro Otto Bumbel nasceu no dia 6 de Julho de 1914 em Taquara; Brasil.
Treinou o Futebol Clube do Porto na temporada de 1957/58.
No campeonato, igualou os 43 pontos do Sporting C.P. mas perdeu no “goal-average”. Mas conseguiu para o F.C. Porto a segunda Taça de Portugal da história do clube (2 vitórias em 3 épocas), ao vencer o S.L. Benfica por 1-0 no Estádio Nacional. O golo foi da autoria de Hernâni.
Nas meias-finais, depois de deixar pelo caminho o S.C. Braga e o Marítimo S.C. os Dragões eliminaram o Sporting C.P. (2-2 e 3-0). Numas segundas meias-finais , abertas aos clubes ultramarinos, o F.C. Porto deixou pelo caminho o Desportivo de Lourenço Marques (6-2 e 9-1).
Na final, arbitrada por Álvaro Rodrigues o F.C. Porto alinhou com: Pinho; Virgílio e Barbosa; Ângelo Sarmento, Miguel Arcanjo e Albano Sarmento; Carlos Duarte, Gastão, Osvaldo Silva, Hernâni e Perdigão.
Depois de deixar o F.C. Porto, Otto Bumbel rumou a Espanha onde orientou: Valência, Racing de Santander, Elche, Sevilha, Atlético de Madrid, Málaga e Racing de Ferrol.
A principal razão para Otto Bumbel estar muito tempo fora do Brasil, deveu-se à sua ida para a Costa Rica em 1951 para treinar o C.D. Saprissa. Como Bumbel também era militar, foi dado como desertor e não voltou ao Brasil num período de 10 anos para evitar ser detido.
Depois de finalmente voltar ao seu país, trabalhou como jornalista para alguns jornais europeus.
No dia 5 de Agosto de 1998, foi encontrado morto em sua casa, onde terá falecido três dias antes.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Taça de Espanha

9 de janeiro de 2011

Flávio

Flávio Almeida da Fonseca nasceu no dia 9 de Setembro de 1944 em Porto Alegre; Brasil.
Ainda criança, começou por jogar futebol num pequeno clube do seu bairro, até que em 1959 conseguiu entrar para a formação do S.C. Internacional. Com apenas 17 anos estreou-se na equipa principal do clube de Porto Alegre tendo-se sagrado campeão gaúcho.
Em 1965 rumou ao S.C. Corinthians. Representou o clube de São Paulo durante cinco anos, onde o ponto mais alto aconteceu em 1967 quando foi o melhor marcador do campeonato estadual com 21 golos, tendo assim batido o recorde de Pele.
Em 1969, Flávio transferiu-se para o Fluminense F.C. e sagrou-se campeão carioca nesse mesmo ano. Ainda venceu o Torneio Roberto Gomes Pedrosa em 1970 e voltou a conquistar o campeonato carioca de 1971. Nesses três anos ao serviço do Fluminense F.C., Flávio marcou 92 golos em 115 partidas.
Na temporada de 1971/72 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto. A direcção presidida por Afonso Pinto de Magalhães desembolsou 2.375 contos, uma fortuna na época, e foram muitos os adeptos portistas que receberam com euforia o jogador na sua chegada ao aeroporto.
Com a camisola do F.C. Porto, Flávio não conquistou nenhum troféu. Nas quatro temporadas que representou os Dragões, formou com Abel a dupla atacante que ainda hoje é recordada por muitos adeptos. Nesse período, Flávio foi por duas vezes o melhor marcador da equipa (1971/72 e 1972/73), e marcou mais de 70 golos.
Em 1975 voltou ao Brasil e ao S.C. Internacional ainda a tempo de voltar a ser campeão gaúcho, campeão brasileiro e melhor marcador do campeonato brasileiro.
Em 1977 ingressou no S.C. Pelotas, onde foi o melhor marcador do campeonato gaúcho. Ainda em 1977 mudou-se para o Santos F.C. seguiu-se depois o Figueirense F.C., Brasília F.C. e o Clube Jorge Wilstermann da Bolívia.
Segundo a edição especial “Os Grandes Artilheiros” da revista brasileira “Placar”, Flávio é o 8º maior goleador do mundo com 1.070 golos marcados.

Palmarés
3 Campeonatos Gaúchos
2 Campeonatos Cariocas
1 Campeonato Brasileiro
1 Torneio Roberto Gomes Pedrosa