9 de dezembro de 2013

Valdir

Valdir Araujo de Sousa, nasceu no dia 29 de Abril de 1941 em Salvador da Bahia; Brasil.
Depois de, no início da sua carreira, ter representado o Fluminense F.C., onde realizou boas exibições e dessa forma despertou o interesse e a cobiça de vários clubes, Valdir viaja para a Europa no verão de 1963, com a cidade do Porto como destino.
Ingressa no Futebol Clube do Porto na temporada de 1963/64 e manteve-se nas Antas até ao final da época de 1965/66.
Conquistou por três vezes a Taça Associação de Futebol do Porto.
Pelo meio, Valdir fica ligado à história dos Dragões já que foi um dos titulares na equipa que obteve a primeira vitória em provas europeias, quando o F.C. Porto recebeu no Estádio das Antas o Olimpique de Lyon e venceu por 3-0, estando então no decorrer da temporada de 1964/65, temporada onde Valdir foi o melhor marcador portista do campeonato ao apontar 10 golos em 12 partidas.
Na época de 1966/67 ingressou no Varzim S.C.
Em 1967/68 regressou ao F.C. Porto, mas apenas vestiu a camisola azul e branca por mais essa temporada, já que voltou ao clube poveiro no ano seguinte.
No total das quatro épocas em que representou o F.C. Porto, Valdir apontou 28 golos em 37 jogos.
Em 1970/71 e depois de ter servido o Varzim S.C., ruma ao Algarve.
As terras do sul de Portugal parece que o cativaram, pois à excepção da temporada de 1975/76 onde voltou ao Porto mas para representar o S.C. Salgueiros, Valdir sempre jogou por clubes algarvios. Primeiro o S.C. Farense, depois o Silves F.C., C.F. Esperança de Lagos e o Lusitano F.C., clube onde assumiu a função de treinador-jogador na temporada de 1977/78 e conseguiu levar o clube de Vila Real de Santo António à 3ª Divisão Nacional.
No final da época de 1978/79 deu por terminada a sua carreira de futebolista.

Palmarés
3 Taças Associação de Futebol do Porto

25 de novembro de 2013

Torneio Port of Roterdam

O torneio Port of Rotterdam, foi uma competição entre clubes organizada pelo clube holandês Feyenoord.
O torneio original que tinha a designação de Rotterdam AD-Tournament, foi criado pelo jornal “Algemeen Dagblade” e começou a ser disputado no ano de 1978.
Em 1991 teve a sua última edição mas voltou a ser disputado no ano de 2007 e 2008, para festejar os 100 anos do Feyenoord, já com o nome Port of Rotterdam Tournament.
O torneio sempre foi disputado por 4 clubes e nas suas 16 edições teve a presença de apenas duas equipas portuguesas que foram o Futebol Clube do Porto e também o S.L. Benfica.
Os lisboetas estiveram presentes na primeira edição, onde conseguiram o 3º lugar e também em 1989 onde foram os últimos classificados.
Os Dragões estrearam-se em 1990 com um 4º lugar e voltaram em 2007 para conquistar o troféu como vencedor do torneio onde também estiveram a competir para além dos anfitriões do Feyenoord, os ingleses do Liverpool F.C. e os chineses do Shanghai Shenhua F.C.
No primeiro jogo os portistas empataram a zero com o Feyenoord e depois venceram os chineses por 3-0, com golos de Tarik e Leandro Lima (2).

18 de novembro de 2013

Catolino

Adelino Augusto Catolino Monteiro nasceu no dia 16 de Abril de 1921 na cidade do Porto.
Foi mais um dos muitos jogadores que brilharam com a camisola do Futebol Clube do Porto.
Vestiu pela primeira vez a camisola azul e branca na temporada de 1944/45, que usou durante quatro épocas consecutivas.
Esteve presente na festa de despedida do seu companheiro de equipa, Artur de Sousa (Pinga).
Na temporada de 1945/46, era um dos titulares quando os portistas receberam à terceira jornada o Atlético C.P. O resultado final foi um inimaginável 11-0, isto tendo em conta que os alcantarenses eram uma das melhores equipas nacionais da época.
O azar acabou por lhe bater à porta, já que sofreu uma lesão relativamente grave que o afastou dos relvados durante bastante tempo.
Já na temporada de 1946/47, esteve presente na vitória sobre o S.C. Salgueiros por 18-0, numa partida a contar para o Campeonato do Porto que os portistas venceram pela última vez, já que essa foi também a ultima edição desse campeonato.
Em Agosto de 1947 o F.C. Porto viajou até Espanha a convite do Valência C.F. Catolino apontou o único golo com que os portistas venceram os campeões espanhóis no seu próprio terreno.
Outro dia de glória que Catolino viveu foi a 6 de Maio de 1948, quando no Estádio do Lima os Dragões venceram a poderosa equipa do Arsenal F.C. por 3-2.
Venceu ainda o Campeonato do Porto por três vezes (1944/45, 1945/46 e 1946/47) e a Taça Associação de Futebol do Porto em 1947/48.
No final da época de 1947/48 deixou o F.C. Porto.

Palmarés
3 Campeonatos do Porto
1 Taça Associação de Futebol do Porto

fonte: A Bola

4 de novembro de 2013

Vitor Pereira

Vitor Manuel de Oliveira Lopes Pereira nasceu no dia 26 de Julho de 1968 em Espinho.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens do S.C. Espinho, passou depois pelo A.A. Avança, C.D. Estarreja, U.D. Oliveirense, S.C. São João de Ver e ainda pelo Fiães S.C.
É formado em Educação Física através da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto. Terminou o curso de treinador de nível IV com uma média de 17,9 valores, sendo o segundo melhor da turma.
Foi nos finais da década de 90 que Vítor Pereira passou a colocar em pratica os seus conhecimentos de treino. O início deu-se no Gondomar S.C., depois seguiu-se o C.D. Arrifanense e mais tarde o S.C. Esmoriz.
Teve a sua primeira passagem pelo Futebol Clube do Porto nas épocas de 2000/01 e 2001/02 para orientar os sub-19.
Em 2002/03 orientou os sub-15 do Padroense F.C.
Regressou na época seguinte ao F.C. Porto para igualmente comandar os sub-15 portistas durante 2 temporadas, tendo levado os jovens Dragões à conquista do Campeonato Nacional em 2004/05.
Comandou de seguida a equipa principal do A.D. Sanjoanense e do S.C. Espinho, para voltar a orientar os jovens da formação do F.C. Porto em 2007/08.
Rumou aos Açores para comandar o C.D. Santa Clara nas temporadas de 2008/09 e 2009/2010. Em ambas as épocas esteve perto de levar os açorianos à 1ª Divisão.
Em 2010/11 voltou ao F.C. Porto para integrar a equipa técnica comandada por André Villas-Boas. Uma época em que os portistas só não venceram a Taça da Liga.
Na temporada seguinte assumiu o comando técnico dos Dragões e começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira. Durante a época teve que ultrapassar algumas dificuldades, tais como a vontade de alguns jogadores em abandonar o clube ou a fraca prestação nas provas europeias, mas no final conseguiu conduzir os Dragões à vitória no Campeonato Nacional.
2012/13 Teve um início idêntico à temporada anterior, ou seja, com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira. Se na Liga dos Campeões a derrota aos pés dos espanhóis do Málaga deixou um sabor amargo, tal como aconteceu na Taça da Liga, já o campeonato nacional teve um desfecho diferente, com uma recta final electrizante onde o acreditar e o querer consagrou os portistas como Tricampeões Nacionais.
Vitor Pereira é um dos três treinadores campeões em Portugal sem ter perdido um único jogo. Um dos sete treinadores que fora Bi-Campeões pelo F.C. Porto e o único que venceu dois campeonatos com uma só derrota.
No final da temporada de 2012/13 e mais uma vez, deixa o F.C. Porto.
O seu destino foi a Arábia Saudita onde passou a comandar o Al-Ahli S.C. clube que orientou até Maio de 2014. Em Janeiro de 2015  ingressou no P.A.E. Olympiakos, pegou no clube grego quando estava em segundo na tabela classificativa e levou-o à conquista do campeonato grego ainda antes de terminar a temporada, ao que juntou a conquista da Taça da Grécia em Maio de 2015. No inicio da temporada de 2015/16 assumiu o comando técnico do Fenerbahçe S.K. mas acabou por não ser feliz em terras turcas e em Dezembro de 2016 assumiu o comando técnico dos bávaros do T.S.V. 1860 Munique. 

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Grécia
1 Taça da Grécia
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Campeonato Nacional Juniores C

fonte: Expresso

28 de outubro de 2013

Joaquim Vidal Pinheiro

Joaquim Vidal Pinheiro foi um jogador do Futebol Clube do Porto que se notabilizou no decorrer da década de 1910.
Futebolista carismático e um dos melhores atletas do clube, Vidal Pinheiro, depois de ajudar à conquista da Taça José Monteiro da Costa, viu-se na obrigação de rumar aos campos de batalha da I Grande Guerra, integrando o contingente português.
Hoje considerado como um dos Heróis da Flandres, Vidal Pinheiro acabou por ser uma das muitas vitimas que tombou nas trincheiras na terrível batalha de 9 de Abril de 1918.
A notícia da sua morte seria conhecida em Portugal em Maio. Os seus companheiros de equipa, ao despedirem-se do bravo oficial do exército para que tantas vitórias contribuiu, prometeram ao capitão Vidal Pinheiro que à sua chegada como herói, haveriam todos de dar grande festa em sua honra. O destino, implacável, frustrara a promessa. E quando no campo surgiu o jornal com a notícia, fria, chocante, da sua morte, todos os que por cá ficaram, sofrendo também, verteram lágrimas de saudade e comoção. E nem o facto de ter «morrido ao serviço da Pátria» calou alguns desabafos de revolta.

fonte: A Bola

21 de outubro de 2013

Bela Andrasik

Bela Andrasik nasceu na Hungria no ano de 1914.
Chegou a Portugal, para ingressar no Futebol Clube do Porto, no início do ano de 1940. Tinha 26 anos e vinha rotulado como um guarda-redes dos melhores da Europa.
Já na cidade do Porto, teve que esperar pela autorização da F.P.F. para poder defender a baliza dos Dragões, isto depois de terem sido disputados as partidas contra os lisboetas do Carcavelinhos F.C., C.F. Belenenses e S.L. Benfica, jogos que os portistas venceram.
No final dessa época de 1939/40, festejou a conquista do Campeonato Nacional.
Em 1940/41 e 1942/43 conquistou o Campeonato do Porto
Representou o F.C. Porto durante mais três temporadas.
No ano de 1943, desapareceu sem deixar rasto. Mais tarde é que se veio a descobrir que mantinha ligações anti-nazis e que se viu obrigado a deixar Portugal antes que as forças comandadas por Salazar lhe deitassem a mão.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos do Porto

fonte: A Bola

14 de outubro de 2013

Secretário

Carlos Alberto de Oliveira Secretário, nasceu no dia 12 de Maio de 1970 em São João da Madeira.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do Sanjoanense A.C. e pelos juniores do Sporting C.P., durante uma temporada. Secretário ingressou nos juniores do Futebol Clube do Porto na época de 1986/87.
Em 1988/89 subiu ao escalão de sénior e foi emprestado ao Gil Vicente F.C. Nas duas temporadas seguintes e também por empréstimo representou o F.C. Penafiel. Foi depois emprestado ao F.C. Famalicão e ao S.C. Braga.
Na temporada de 1993/94 fixou-se em definitivo no plantel dos Dragões. Na sua primeira época com a camisola do F.C. Porto venceu a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça de Portugal. Na temporada seguinte sagrou-se Campeão Nacional, título que voltou a conquistar na época de 1995/96.
Em 1996/97 transferiu-se para o Real Madrid C.F. e no final dessa época venceu o campeonato espanhol, para em Agosto de 1997 ganhar a Supertaça de Espanha.
No início do ano de 1998 regressa ao F.C. Porto ainda a tempo de festejar mais um título de Campeão Nacional e mais uma Taça de Portugal conquistada.
Seguiram-se mais seis temporadas ao serviço dos Dragões, onde Secretário conquistou mais três títulos de Campeão, três Taças de Portugal, quatro Supertaças, uma Taça UEFA e uma Liga dos Campeões.
Na época de 2004/05 ingressou no F.C. Maia e terminou a sua carreira no final dessa temporada.
Curiosamente foi no F.C. Maia, na temporada de 2007/08, que Secretário se estreou como treinador, passou depois pelo comando do A.D. Lousada, F.C. Arouca e S.C. Salgueiros 08.
No dia 25 de Julho de 2014 voltou a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto e a pisar o relvado do Estádio do Dragão para o jogo de homenagem e despedida a Deco.

Palmarés
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
6 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
5 Taças de Portugal
6 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Campeonato de Espanha
1 Supertaça de Espanha

7 de outubro de 2013

Leopoldo

Leopoldo José Nogueira Amorim (Bacalhau), nasceu no dia 19 de Novembro de 1948 na cidade do Porto.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do Sport Progresso, ingressou, ainda júnior, no Futebol Clube do Porto.
Na temporada de 1968/69 estreou-se na equipa principal dos Dragões. O treinador, na época, era José Maria Pedroto que depois de afastar da equipa titular os jogadores Américo, Custódio Pinto, Eduardo Gomes e Alberto por os interesses da vida profissional dos jogadores colidirem com os estágios que o técnico portista passou a implementar. Dessa forma, Leopoldo teve a sua estreia na equipa principal portista numa partida contra a C.U.F. onde teve mesmo a honra de envergar a braçadeira de capitão, numa partida que os portistas venceram a formação do Barreiro por 1-0, com o golo da autoria de Djalma.
Nas Antas, manteve-se até ao final da temporada de 1974/75.
Leopoldo ingressou no Varzim S.C. e mais tarde rumou ao V. Guimarães onde voltou a encontrar o técnico José Maria Pedroto.
Depois de deixar a carreira de futebolista passou a treinador. Teve uma passagem pelos iniciados do F.C. Porto, tendo mesmo levado os jovens Dragões à conquista do campeonato nacional. Mais tarde passou por vários clubes de menor dimensão, já como técnico de seniores.

23 de setembro de 2013

Álvaro Sequeira

Álvaro José Sequeira Júnior, foi um dos mais valiosos atletas que representaram o Futebol Clube do Porto.
Começou por se distinguir tanto na natação como no pólo aquático e foi através dessas duas modalidades que foi um dos dois primeiros nadadores do F.C. Porto a representarem a Selecção Nacional de Natação e Polo Aquático, o outro atleta foi Canto Moniz.
Em 1928/29, Álvaro Sequeira sagra-se Campeão Nacional de pólo aquático, o primeiro da modalidade para o clube.
Ao mesmo tempo que se destacava nestas modalidades, jogava também futebol. Começou pelas equipas inferiores mas já fazia parte do plantel portista que venceu o segundo Campeonato de Portugal da história dos Dragões, em Viana do Castelo na temporada de 1924/25.
Mais activa foi a sua participação na conquista do Campeonato de Portugal de 1931/32, desta vez com a consagração a ter lugar em Coimbra, no Campo do Arnado.
Para além dos dois Campeonatos de Portugal que conquistou, Álvaro Sequeira venceu também o Campeonato do Porto por dez vezes, nas dez temporadas em que vestiu a camisola do F.C. Porto.
Álvaro Sequeira foi assim mais um, verdadeiro atleta que honrou a camisola do F.C. Porto em varias modalidades.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto

16 de setembro de 2013

José Carlos


José Carlos Nascimento, nasceu no dia 19 de Março de 1965 em Goiânia, Brasil.
Foi no ano de 1983 que teve a sua estreia como profissional sénior, ao serviço dos cariocas do C.R. Flamengo.
Vestiu a camisola rubro-negro do clube do Rio de Janeiro durante sete temporadas e onde venceu por duas vezes o Campeonato Brasileiro (1983 e 1987), um Campeonato Estadual (1986), três Taças Guanabara (1984, 1988 e 1989), duas Taças Rio (1985 e 1986). Conquistou ainda cinco torneios internacionais. Em 1987 o Torneio Internacional de Angola e o Torneio Air Gabon Em 1988 o Troféu Colombino em Espanha e a Copa Kirin no Japão. Já em 1989 venceu o Torneio de Hamburgo.
Foi também nesse ano de 1989 que se transferiu para o Futebol Clube do Porto. As conquistas continuaram a acompanhar o defesa-central que se sagrou Campeão Nacional na sua primeira temporada com a camisola azul e branca.
Na época de 1990 /91 esteve emprestado ao Gil Vicente F.C.
Regressou às Antas na temporada seguinte e por lá ficou durante mais cinco épocas, tendo acrescentado ao seu palmares mais quatro Campeonatos Nacionais (1991/92, 1992/93, 1994/95 e 1995/96), uma Taça de Portugal (1993/94) e duas Supertaças Cândido de Oliveira (1992/93 e 1993/94).
No final da temporada de 1995/96 deixou o F.C. Porto e regressou ao Brasil para ingressar no C.R. Vasco da Gama.
Voltou a Portugal em 1996/97 para representar o S.C. Marítimo onde jogou nessa época e onde deu por terminada a sua carreira de futebolista no final dessa mesma temporada.

Palmares
5 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
2 Campeonatos Brasileiros
1 Campeonato Estadual
3 Taças Guanabara
2 Taças Rio

9 de setembro de 2013

Barbosa

António Fernando Barbosa da Silva, nasceu no dia 3 de Novembro de 1931.
Depois de ter passado pelo Boavista F.C., Barbosa ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1956/57.
Foi um dos integrantes do plantel portista na estreia dos Dragões nas provas europeias, quando no dia 20 de Setembro de 1956 o Estádio das Antas recebeu a visita dos espanhóis do Athletic Club Bilbao, partida que os bascos venceram por 2-1.
Na temporada seguinte, Barbosa ajudou a conquistar a Taça de Portugal, com uma vitória sobre o S.L. Benfica por 1-0 na final no estádio do Jamor no dia 15 de Junho de 1958.
Na época de 1958/59 o F.C. Porto venceu o Campeonato Nacional (apesar de um árbitro com o nome de Inocêncio Calabote, tudo fazer para entregar o Título a outro clube), dessa forma, Barbosa sagrou-se Campeão Nacional.
Ainda jogou no F.C. Porto mais três temporadas, tendo conquistado por cinco vezes a Taça Associação de Futebol do Porto.
Deixou as Antas no final da época de 1961/62.

Palmarés:
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

26 de agosto de 2013

Armando Manhiça

Armando António dos Santos Manhiça, nasceu no dia 12 de Abril de 1943 em Lourenço Marques, actual Maputo; Moçambique.
Começou a jogar à bola no Académica de Chamanculo, tendo passado depois para o Sporting de Lourenço Marques.
No início da temporada de 1964/65, chegou a Portugal para vestir a camisola do Sporting C.P.
No clube de Alvalade jogou durante seis temporadas e conquistou dois campeonatos nacionais. Chegando, nesse periodo, à Selecção Nacional por duas ocasiões.
Em 1970/71 Transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
Nas Antas jogou durante três épocas.
Apesar de ter passado pelos Dragões numa altura em que os títulos sempre fugiram, Armando Manhiça ainda viveu alguns momentos altos, como numa tarde fria de invernia em Janeiro de 1971, quando o F.C. Porto esmagou o S.L. Benfica por 4-0. Com quatro golos de Lemos. Ou a 1ª eliminatória da Taça UEFA de 1972/73 em que os Dragões venceram por duas vezes o F.C. Barcelona por 3-1 nas Antas e 1-0 na Catalunha.
No ano de 1973 sofreu um acidente que o obrigou a colocar um ponto final na carreira de futebolista. Seguia de carro atrás de um pequeno camião quando se soltou uma peça que o viria a atingir. O F.C. Porto viria uns dias depois a realizar um jogo amigável em sua homenagem, com as receitas da partida a serem entregas em seu favor.
Mais tarde ainda se dedicou à carreira de treinador, tendo passado pelo comando técnico da Selecção de Guiné-Bissau.
Armando Manhiça faleceu no dia 12 de Setembro de 2009 depois de doença prolongada.
Era Membro Honorário da Casa do F.C. Porto de Maputo e do Núcleo Sportinguista de Moçambique.

19 de agosto de 2013

José Bacelar

José Bacelar deixou o nome ligado ao Futebol Clube do Porto.
Jogou nas primeiras equipas do clube e foi um dos impulsionadores da Taça José Monteiro da Costa, competição que ajudou a conquistar em 1911.
Venceu por várias vezes o Campeonato do Porto assim como a Taça Associação de Futebol do Porto.
Depois de deixar o futebol, o que aconteceu por volta de 1920, passou a praticar Ténis, tendo sido um dos melhores jogadores portistas dessa competição.
Mais tarde continuou ligado ao clube como dirigente onde foi presidente da Assembleia-geral.
Na época da construção do Estádio das Antas, José Bacelar, então sócio numero 1 do F.C. Porto, pagou do próprio bolso o primeiro dia de salário a todos os operários do novo estádio, um gesto que lhe custou 675$00.
Esteve ainda ligado à Associação de Futebol do Porto e em homenagem ao seu contributo ao desporto e ao futebol em particular, foi implantada a Taça José Bacelar, uma prova disputada pelas camadas jovens de vários clubes.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto
2 Taças Associação de Futebol do Porto

fonte: A Bola

12 de agosto de 2013

Sapunaru

Cristian Sapunaru nasceu no dia 5 de Abril de 1984 em Bucareste, Roménia.
Começou a sua aventura de futebolista nos escalões de formação do F.C. Progresul Bucuresti no ano de 1990, para na temporada de 2002/03 ter a sua estreia como sénior no plantel principal do clube romeno.
Em 2003/04 representou o F.C. Callatis Mangalia mas na temporada seguinte regressou ao seu anterior clube onde jogou durante mais duas épocas.
Em 2006/07 transferiu-se para o F.C. Rapid Bucuresti.
Foi durante as duas temporadas que passou no clube da capital romena que Sapunaru conquistou os seus primeiros troféus, com a Taça da Roménia na primeira época e a Supertaça em 2007/08. Foi também nesse período que as suas exibições lhe valeram várias chamadas à Selecção da Roménia e também despertaram o interesse de vários clubes um pouco por toda a Europa.
Em 2008/09 ingressou no Futebol Clube do Porto.
Sapunaru vestiu a camisola dos Dragões durante quatro temporadas (interrompidas por 6 meses, entre Janeiro e Junho de 2009, quando foi injustamente castigado pela Liga de Clubes, tendo sido emprestado nesse período ao F.C. Rapid Bucuresti).
Nas quatro épocas em que representou o F.C. Porto, Sapunaru sagrou-se Campeão Nacional por três vezes, conquistou a Taça de Portugal também por três ocasiões, venceu três Supertaças Cândido de Oliveira e conquistou a Liga Europa.
No início da temporada de 2012/13, rumou a Espanha para ingressar no Real Zaragoza. Em 2013/14 transferiu-se para o Elche C.F., na época seguinte voltou à Romenia e ao F.C. Rapid Bucuresti. Em 2015/16 transferiu-se para o C.S. Pandurii e em 2016/17 ingressou no F.C. Astra Giurgiu.
Apesar de já não estar ligado aos Dragões e mesmo sendo um jogador estrangeiro, Sapunaro conquistou a estima dos adeptos portistas e não esqueceu o clube que tantos títulos lhe proporcionou.

Palmarés
1 Liga Europa
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça da Roménia
1 Supertaça da Roménia

5 de agosto de 2013

Eduardo Gomes

Eduardo de Oliveira Gomes, nasceu no dia 12 de Agosto de 1942 em Matosinhos.
Depois de ter percorrido todos os escalões da formação do Leixões S.C., ascendeu à categoria de sénior no início da temporada de 1961/62, tendo permanecido mais quatro épocas no clube de Matosinhos.
Em 1965/66 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto, na altura treinado por José Maria Pedroto.
A estreia com a camisola dos Dragões teve lugar no Estádio das Antas no dia 11 de Setembro de 1965, quando o F.C. Porto recebeu o F.C. Barreirense, tendo os homens do Barreiro levado a vitória por 1-0 no que foi o primeiro jogo do Campeonato Nacional de 1965/66.
Logo na sua primeira temporada ao serviço dos portistas, conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto.
Nas Antas esteve durante seis temporadas onde foi na maior parte das vezes utilizado como extremo-direito. Foi nessa posição que actuou no Estádio do Jamor, na final da Taça de Portugal da temporada de 1967/68. Eduardo Gomes foi um dos titulares que derrotaram o V. Setúbal por 2-1 e levaram para a vitrina do Estádio das Antas o troféu, dez anos depois da última conquista na mesma prova.
Na temporada seguinte chegou a capitão da equipa orientada pelo “Mestre” Pedroto. Um prémio e uma prova do seu profissionalismo e empenho ao serviço do F.C. Porto.
Em Janeiro de 1970, mais precisamente no dia 25, Eduardo Gomes integrou a comitiva portista que partiu para o Brasil a convite do São Paulo F.C. a fim de participar no jogo de inauguração do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, mais conhecido por Estádio do Morumbi. O resultado da partida foi um empate a 1-1 que foi presenciado por cerca de cem mil adeptos.
No total das seis épocas em que representou os Dragões, Eduardo Gomes disputou 100 partidas oficiais e apontou 5 golos, também em jogos oficiais.
No final da época de 1970/71 deixou os Dragões.
Mais tarde e já como treinador passou por vários clubes: S.C. Coimbrões, Custóis F.C., C.D. Trofense, S.C. Arcozelo, C.F. Valadares e Aliados Futebol Clube Lordelo.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Taça Associação de Futebol do Porto

Agradecimento especial a Carina Gomes, neta de Eduardo Gomes, pela colaboração.

29 de julho de 2013

Eduardo Dumont Villares

Eduardo Dumont Villares, primo do aeronauta Santos Dumont (que foi o primeiro Homem a projectar, construir e voar em balões dirigíveis com motor a gasolina), foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Dumont Villares foi um dos titulares da equipa que recebeu pela primeira vez um clube estrangeiro em Portugal, quando no dia 15 de dezembro de 1907 o F.C. Porto teve a visita do Real Fortuna de Vigo.
O atletismo também era modalidade que praticava, principalmente os 110 metros barreiras e o salto em altura, conseguindo a marca de 1,55 metros nesse mesmo ano de 1907.
Outra modalidade onde se destacou foi na natação. É do ano de 1908 o primeiro registo de uma vitória portista na natação, quando Eduardo Dumont Villares venceu a Taça Leixões.
Mais tarde passou a ser um dos dirigentes do F.C. Porto e foi o primeiro Presidente da Assembleia Geral.
Em 1930 foi eleito Presidente do F.C. Porto, cargo que exerceu até 1931.
Foi eleito novamente em 1934, tendo presidido os destinos do clube até ao ano de 1936. Foi nesse seu segundo mandato que os portistas venceram a primeira edição do Campeonato Nacional na temporada de 1934/35.

22 de julho de 2013

Vital

Francisco António Lucas Vital, nasceu no dia 27 de Junho de 1954 em Braga.
Iniciou a sua aventura no mundo do futebol na temporada de 1968/69 nos juvenis do Caldas S.C., clube onde também jogou na temporada seguinte mas já no escalão de júnior. Passou depois as três épocas seguintes ainda nos juniores, mas do S.L. Benfica.
Na temporada de 1973/74, a sua primeira como sénior, jogou pelo F.C. Famalicão. Transferiu-se depois para o G.D. Riopele onde jogou entre 1974/75 a 1976/77.
Em 1977/78 ingressou no Futebol Clube do Porto.
Chegou às Antas na hora certa já que fez parte do plantel que venceu o campeonato nacional dezanove anos depois da então ultima conquista. Nessa temporada e em vinte partidas que disputou, conseguiu apontar cinco golos.
Na época de 1978/79 sagrou-se de novo Campeão Nacional, onde disputou vinte e três jogos, tendo apontado sete golos.
Na temporada seguinte disputou apenas doze partidas, com seis golos apontados, já que se transferiu, a meio da época, para o Real Betis de Sevilha.
Regressou a Portugal no início da época de 1980/81. Foi jogar para o S.L. Benfica onde venceu o campeonato nacional e a Taça de Portugal.
Na temporada seguinte ingressou no Boavista F.C. Depois passou pelo S.C. Farense, C.F. Belenenses, F.C. Tirsense e em 1985/86 ingressou no F.C. Vizela, onde jogou três temporadas e onde terminou a carreira de futebolista no final da época de 1987/88.
Foi por uma vez internacional, na partida que Portugal disputou contra a Selecção do Chipre, em 1977. Contribuiu com um golo para a vitória nacional por 4-0.
Passou depois a treinador onde orientou vários clubes, com destaque para a passagem que teve pelo Sporting C.P. 1997/98.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal

8 de julho de 2013

Troféu Daihatsun

Em Julho de 2007, o Futebol Clube do Porto viajou até Itália para disputar o torneio comemorativo dos 100 anos do Atalanta B.C.
A juntar aos Dragões e à formação anfitriã, esteve ainda presente a equipa do Estrela Vermelha de Belgrado.
Este torneio triangular, que foi disputado no estádio “Atleti Azzuri D´italia”, teve a curiosidade de cada equipa disputar apenas 45 minutos de jogo entre si, para ver quem arrecadava o Troféu Daihatsun, nome do patrocinador da formação da casa na época.
O F.C. Porto com duas vitórias por 1-0, primeiro frente aos sérvios e depois contra os italianos, trouxe assim para a cidade Invicta a bela taça que estava em disputa.
Os golos das duas vitórias dos Dragões foram apontados por Adriano e por Lisandro López, respectivamente.

1 de julho de 2013

João Moutinho

João Filipe Iria Santos Moutinho nasceu no dia 8 de Setembro de 1986 em Portimão.
Com apenas sete anos começou a jogar nas escolas do Portimonense S.C. clube que representou até ao ano de 1999. Ainda nesse ano transferiu-se para o Sporting C.P. onde fez todos os escalões de formação até integrar o plantel principal leonino na temporada de 2004/05. Nessa sua primeira época como profissional, ganhou o prémio de “Jogador Revelação do Campeonato”. Um prémio que já adivinhava a regularidade e as boas exibições que viria a apresentar nos anos seguintes.
Esteve seis temporadas ao serviço do Sporting C.P. onde conquistou duas Taças de Portugal e duas Supertaças Cândido de Oliveira.
Em 2010/11 ingressou no Futebol Clube do Porto, com os portistas a desembolsarem 11 milhões de euros, no que foi a mais cara transferência de sempre entre clubes nacionais.
Apelidado de “maça podre” pelos dirigentes do clube de Alvalade, João Moutinho passou desde logo a impor-se na equipa comandada por André Villas-Boas e os títulos não demoraram a chegar. Começou logo em Agosto com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, para terminar da melhor forma a sua primeira temporada de azul e branco ao vencer o Campeonato Nacional, a Taça de Portugal e a Liga Europa.
A temporada seguinte começou tal como a anterior, com a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira e terminou com a conquista de mais um Campeonato Nacional.
Em 2012/13 e para não fugir à regra a época dos portistas teve início com mais uma Supertaça conquistada. O campeonato foi mais disputado do que os anteriores mas no final, João Moutinho sagrou-se Tricampeão.
Foram três temporadas de Dragão ao peito com oito títulos conquistados, onde se tornou um dos símbolos do F.C. Porto tendo ganho o respeito dos sempre exigentes sócios portistas.
No final da época de 2012/13, transferiu-se para o A.S. Mónaco.
João Moutinho representou a Selecção Nacional por várias vezes. Marcou presença no Campeonato do Mundo de 2014 (Brasil) e nos Campeonatos da Europa de 2008 (Austria e Suiça), 2012 (Polónia e Ucrania) e 2016 (França) onde Portugal se sagrou Campeão da Europa.

Palmarés
1 Campeonato da Europa Selecções (Portugal)
1 Liga Europa
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
5 Supertaças Cândido de Oliveira

17 de junho de 2013

Malagueta

Serafim dos Anjos Mesquita Pedro (Malagueta), nasceu no dia 12 de Fevereiro de 1947 em Benguela; Angola.
Deu início à sua carreira de futebolista nas camadas jovens do Sport Benguela e Benfica, um clube da sua terra natal.
No começo da temporada de 1966/67 chegou a Portugal para representar o Futebol Clube do Porto que era na época treinado por José Maria Pedroto.
Malagueta passou pelas Antas em dois períodos diferentes. No primeiro, vestiu a camisola portista durante três temporadas, entre 1966/67 e 1968/69, onde apesar de ser ainda bastante jovem e não jogar com muita regularidade, fez parte do plantel que venceu a Taça de Portugal na temporada de 1967/68, com os Dragões a derrotarem o V. Setúbal por 2-1 na final disputada no Estádio do Jamor.
Em 1969/70, transferiu-se para o F.C. Barreirense, clube onde se manteve três épocas.
Em 1972/73 regressou ao F.C. Porto, que era comandado pelo técnico chileno Fernando Riera.
Na temporada seguinte ingressou no S.C. Espinho onde jogou até ao final da época de 1977/78, para depois se transferir para o G.D. Peniche, clube que representou em 1978/79, tendo terminado a sua carreira no final dessa mesma temporada.
A sua curiosa alcunha herdou-a do seu pai que tinha sido também futebolista e ficava com as faces bastantes rosadas com o esforço do decorrer dos jogos.
Malagueta faleceu em Junho de 1986 em Benguela.

Palmarés
1 Taça de Portugal

3 de junho de 2013

Akos Teszler

Akos Teszler nasceu na Hungria e foi o segundo treinador a vencer o Campeonato de Portugal com o Futebol Clube do Porto.
Chegou a Portugal no ano de 1923, pela mão do presidente portista Domingos Almeida Soares, para substituir e então treinador francês Adolphe Cassaigne.
Foi o primeiro treinador remunerado do F.C. Porto e de imediato revolucionou todo o mecanismo da equipa portista, fazendo dos Dragões um mágico paradigma do «futebol-espectáculo».
Depois de ter levado o F.C. Porto à final do Campeonato de Portugal na temporada de 1923/24, onde perdeu para o S.C. Olhanense por 4-2, Teszler trouxe para o clube o seu compatriota Mihaly Siska, guarda-redes que viria a ser um dos símbolos dos Dragões.
Em 1924/25, Akos Tszler levou os portistas a nova final do Campeonato de Portugal, mas desta vez o desfecho foi bem diferente do que tinha acontecido na temporada anterior já que o F.C. Porto venceu o Sporting C.P. por 2-1 em Viana do Castelo.
Em 1926, quando se suspeitava que recebia mil escudos por mês, foi-lhe negado em Assembleia-geral um aumento de salário, isto quando os treinadores das equipas da capital já ganhavam o dobro, partiu para os Estados Unidos onde viveu toda a sua vida.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
5 Campeonatos do Porto

fonte: A Bola

27 de maio de 2013

Folha

António José dos Santos Folha, nasceu no dia 21 de Maio de 1971 em Vila Nova de Gaia.
O S.C. Canidelo foi o primeiro clube que representou, no ano de 1981 quando contava com apenas dez anos.
Em 1982, ingressou no Futebol Clube do Porto, onde fez todas as etapas dos escalões de formação.
Na temporada de 1989/90 subiu a sénior e foi emprestado ao Gil Vicente F.C., tendo jogado no clube da cidade de Barcelos durante duas épocas.
Em 1991/92, regressou ao F.C. Porto para se estrear com a camisola azul e branca como sénior. Nessa temporada, onde participou em 9 partidas, venceu a Supertaça Cândido de Oliveira e sagrou-se Campeão Nacional.
Na temporada seguinte foi de novo emprestado, o clube escolhido foi o S.C. Braga.
Em 1993/94, voltou às Antas e desta vez pra ficar no plantel portista durante sete temporadas e meia. No final desses sete anos, o balanço foi extremamente positivo, já que conquistou por cinco vezes o Campeonato Nacional, com a particularidade de ter sido um dos seis jogadores a vencerem esses campeonatos consecutivos. Venceu também por duas vezes a Taça de Portugal e três Supertaças Cândido de oliveira.
Em Janeiro de 2001 rumou à Bélgica para representar o Royal Standard de Liège. Na época de 2002/03 transferiu-se para os gregos do AEK e em 2003/04 regressou a Portugal para jogar pelo F.C. Penafiel, onde terminou a sua carreira no final da temporada de 2004/05.
Em 2005/06 continuou ligado ao clube da cidade dos “albardeiros”, mas como treinador-adjunto, cargo que ocupou ainda na temporada seguinte.
O seu profissionalismo mostrado quando esteve ao serviço do F.C. Porto enquanto jogador, valeu-lhe o convite para integrar a equipa técnica da formação dos Dragões que só foi interrompido na temporada de 2010/11 quando desempenhou igual cargo no Padroense F.C., tendo regressado ao F.C. Porto na temporada seguinte.

Palmarés
6 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
4 Supertaças Cândido de Oliveira

20 de maio de 2013

13 de maio de 2013

José Magalhães Bastos

José Magalhães Bastos foi um defesa que jogou nas primeiras equipas da história do Futebol Clube do Porto.
Viveu de perto as primeiras conquistas do clube ao vencer a Taça Clube União do Norte e depois a Taça José Monteiro da Costa.
Foi numa edição dessa Taça, que José Magalhães Bastos teve uma atitude que mereceu vários elogios. Na época, as equipas não costumavam entrar em campo como agora sucede. Os jogadores entravam como lhes apetecia, uns agora, outros logo. Magalhães Bastos, como académico, trazia a sua capa por cima do equipamento, e os estudantes contavam com ele para jogar contra o F.C. Porto, o seu grupo de sempre. Os próprios portistas tiveram o seu receio. O árbitro do encontro apitou para alinhar os jogadores e todos os olhares se fixaram no grande defesa portuense. Este, muito calmo, possivelmente risonho, o que nele era muito habitual, dirigiu-se para um dos lados do campo, tira de cima do corpo de magnifico atleta a capa que o cobria, entregou-a a um amigo e partiu com a equipa gloriosa do F.C. Porto a tomar o seu posto na defesa sagrada da sua bandeira.
Foi um momento de extraordinária emoção. Amadores puríssimos, alguns rapazes não reprimiram as lágrimas, pois custava-lhes muito perder a companhia de um elemento que estimavam profundamente. E os estudantes simpáticos de Coimbra compreenderam que esta atitude revelava o Homem que mais tarde viria a ser um Juiz distintíssimo.
Mas as conquistas não se ficaram por essas duas Taças. Em 1915 e a juntar à vitória no Campeonato do Norte de Portugal, ganhou a Taça de Honra, Taça Jornalistas Sportivos e Taça Salão Sport. Conquistou também vários Campeonatos do Porto e a Taça Associação de Futebol do Porto.
Esteve também presente em Lisboa, em 1920, na primeira vitória do F.C. Porto sobre o S.L. Benfica por 3-2.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto
2 Taças Associação de Futebol do Porto

fonte: Diário de Noticias

6 de maio de 2013

Catullo Gadda

Catullo Gadda nasceu no dia 23 de Março de 1881 em Itália.
Praticou futebol no seu pais ao serviço do A.C. Milan, onde venceu o campeonato italiano.
Engenheiro químico de profissão, Catullo Gadda estava em Portugal em visita de trabalho, quando se deparou com um grupo de rapazes que davam uns pontapés numa bola. Pediu permissão para se juntar a eles e desde logo começou a fazer parte do grupo. Grupo esse onde se encontrava José Monteiro da Costa, que refundou o Futebol Clube do Porto no ano de 1906 e teve em Catullo Gadda a ajuda que precisava para o clube dar os primeiros passos.
Catullo Gadda foi dessa forma, o mais completo futebolista e o que possuía mais conhecimentos da modalidade nos inícios da história do F.C. Porto.
Foi um dos jogadores portistas que disputou o primeiro jogo internacional realizado em Portugal quando o F.C. Porto recebeu o Fortuna Fotball Club de Vigo no dia 15 de Dezembro de 1907.
É considerado como o primeiro treinador portista, já que era ele que orientava os companheiros de equipa.

fonte: A Bola

29 de abril de 2013

Sucena

David Figueiredo Guerra Sucena nasceu no dia 9 de Setembro de 1945 em Águeda.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do R.D. Águeda, ingressou no Futebol Clube do Porto ainda júnior e foi nessa escalão que se sagrou campeão nacional na temporada de 1963/64. 
Na temporada de 1965/66 já se estreou no plantel principal dos Dragões, tendo conquistado a Taça Associação de Futebol do Porto dessa época.
Vestiu a camisola azul e branca do F.C. Porto durante cinco épocas, com a qual conquistou a Taça de Portugal de 1967/68, depois dos portistas terem vencido o V. Setúbal por 2-1.
No final da temporada de 1969/70, deixou o F.C. Porto e voltou ao R.D. Águeda. Foi campeão distrital da 1ª divisão na época de 1973/74 e no final da temporada seguinte deu como terminada a sua carreira de futebolista.
Mais tarde foi treinador e dirigente do R.D. Águeda. Era treinador-adjunto na temporada de 1983/84, quando o Recreio Desportivo de Águeda esteve no principal escalão do futebol nacional.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Taça Associação de Futebol do Porto

22 de abril de 2013

Joaquim Machado

Joaquim Machado, nasceu no dia 20 de Fevereiro de 1923 em Leça da Palmeira.
Foi no clube da sua terra, Leça F.C., que começou a jogar futebol.
No início da temporada de 1945/46, ingressou no Futebol Clube do Porto.
Com a camisola dos Dragões, jogou durante nove temporadas, de 1945/46 a 1954/55 e tornou-se um dos principais jogadores portistas da época, o que lhe valeu a chamada à Selecção Nacional.
Conquistou por duas vezes o Campeonato do Porto e uma Taça Associação de Futebol do Porto.
Joaquim Machado esteve presente numa partida amigável que ficou para a história do F.C. Porto. Foi no dia 6 de Maio de 1948, no Estádio do Lima, quando os Dragões receberam a visita dos ingleses do Arsenal F.C. Os londrinos tinham passado por Lisboa onde venceram todos os jogos lá disputados, mas na cidade Invicta a história seria muito diferente já que o F.C. Porto derrotou os ingleses por 3-2, com Joaquim Machado a ser um dos melhores em campo e a ter influência em todos os golos dos portistas.
Outro marco importante que ficou na história do clube e também de Joaquim Machado foi a inauguração do Estádio das Antas, a 28 de Maio de 1952.
Já a 1 de Maio de 1954, foi titular na equipa portista que viajou até Lisboa para a inauguração do Estádio da Luz. Na partida amigável para assinalar o evento os Dragões venceram por 3-1.
Outro jogo de relevo e que ficou para a história, aconteceu no dia 17 de Abril de 1955, quando os espanhóis do Real Madrid C.F. visitaram o Estádio das Antas e saíram derrotados por 5-2.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto
1 Taça Associação de Futebol do Porto

fonte: A Bola

15 de abril de 2013

Ivo Lemos

Ivo Lemos foi uma figura importante na refundação do Futebol Clube do Porto.
Homem de confiança de José Monteiro da Costa, Ivo Lemos foi também um grande jogador das primeiras equipas dos Dragões.
Foi com ele na formação titular que o F.C. Porto venceu 2-1, pela primeira vez, um clube internacional, no caso o Real Fortuna de Vigo no dia 3 de Abril e 1910.
Ivo Lemos foi também um dos elementos da Comissão Organizadora da Taça José Monteiro da Costa, juntamente com José Fernandes da Silva, Adelino Costa, Marques e Silva, Vitorino Costa, José Bacelar e Fróis Cruz. Taça que conquistou em 1916.
Antes disso, ainda em 1912, os portistas voltaram a receber os espanhóis do Real Fortuna de Vigo e voltaram a vencer, desta vez por 4-1. Em Abril do mesmo ano o F.C. Porto recebeu pela primeira vez na sua história o S.L. Benfica. E em Outubro, os Dragões venceram pela primeira vez na capital de Portugal os lisboetas do Club Internacional de Foot-Ball por 3-2
Entre Janeiro e Fevereiro de 1913, Ivo Lemos participou no primeiro torneio internacional que alguma vez foi organizado em Portugal. O torneio serviu de inauguração oficial do Campo da Constituição e para além da presença do F.C. Porto, contou com as formações do S.L. Benfica, Vigo F.C. e Oporto Crichet.
Depois de deixar os relvados, Ivo Lemos continuou ligado ao F.C. Porto.
Em 1918, foi de sua iniciativa que os sócios aprovaram uma moção para a criação de um quadro de honra para todos os atletas e sócios do F.C. Porto que viessem a morrer em campo de batalha.
Dedicou-se depois à carreira de árbitro e foi o primeiro internacional português nessa função.

fontes: A Bola e Diário de Noticias

1 de abril de 2013

Bené

Benedito Lacerda Ribeiro, mais conhecido no mundo do futebol como “Bené”, nasceu no dia 16 de Fevereiro de 1941 em Santos; Brasil.
Chegou a Portugal no início da temporada de 1963/64 para ingressar no V. Setúbal, mas os sadinos já tinham as vagas para jogadores estrangeiros preenchidas e Bené acabou por rumar ao S.C. Leixões. Em Matosinhos permaneceu durante sete temporadas.
Em 1970/71 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto. Nas quatro épocas que esteve nas antas, Bené não conseguiu vencer nenhum título, mas viveu algumas partidas gloriosas e que ficaram na história do clube e na memória de quem as viu.
Uma das mais vibrantes foi talvez o jogo contra o S.L. Benfica no dia 31 de Janeiro de 1971, em que os Dragões venceram por 4-0, com Lemos a apontar todos os golos e três deles com assistência de Bené.
Já em 1972, os portistas viajaram até ao Brasil onde foram medir forças com o C.R. Vasco da Gama. No estádio do Maracanã, o F.C. Porto venceu o encontro por 1-0.
Na temporada de 1974/75, Bené ingressou no S.C. Espinho, para na temporada seguinte regressar a Matosinhos e ao Leixões S.C., porem, na época de 1976/77, transferiu-se para o S.C. Lamego. Em 1977/78, mais uma vez voltou ao Leixões S.C., onde terá terminado a sua carreira de futebolista ao mais alto nível.

25 de março de 2013

Alexandre Cal

Alexandre Cal foi um dos grandes futebolistas que representaram o Futebol Clube do Porto nos finais da década de 1910 e inícios da década de 1920.
Em 1921/22, ajudou os Dragões e vencerem o primeiro Campeonato de Portugal organizado pela União Portuguesa de Futebol, antecessora da Federação Portuguesa de Futebol.
Mas Alexandre Cal já antes tinha alcançado outros feitos de grande relevo ao conseguir vencer pela primeira vez o S.L. Benfica em Lisboa no dia 4 de Abril de 1920. Alguns dias antes, no Campo da Constituição, o F.C. Porto já tinha vencido outra equipa da Capital por 4-1, o Império Lisboa Clube.
Essas duas vitórias foram, no entanto, branqueadas pelos jornais da Capital. Situação que revoltou os jogadores portistas com Alexandre Cal, na condição de capitão-geral, a escrever uma carta no jornal “O Primeiro de Janeiro”, na edição do dia 17 de Março de 1920:
«Quero frisar que os jogadores do F.C. Porto não só se portaram de uma maneira brilhante em ambos os desafios, como foram extremamente correctos para com os seus adversários e para com o publico, não tendo abandonado o campo de jogo no decorrer da segunda parte do primeiro desafio por má vontade, mas sim porque o publico se manifestou ruidosamente e invadiu o campo, não consentindo a continuação do jogo (contra o Império). Eu não viria de modo algum falar neste assunto se a “Imprensa Desportiva” da Capital pusesse um pouco de parte o seu facciosismo e fizesse, com imparcialidade e lealdade, o relato de ambos os desafios. Mas assim não procedeu e os jornais que têm a sua “secção desportiva” e que pelo menos costumam anunciar aos seus leitores os resultados dos desafios, deixando desta vez de o fazer, excepto um que falou do resultado do primeiro desafio, mas que não disse a expressão da verdade. Com efeito, o F.C. Porto não perdeu com o Império como esse jornal publicou; se tivesse contado os factos como eles se passaram, deveria ter dito que o jogo entre o F.C. Porto e o Império não chegou a terminar porque o publico, indignado, principalmente com a arbitragem, protestou ruidosamente, incitando os jogadores a abandonarem o campo, sendo este logo invadido pela assistência, não consentindo que o jogo continuasse e aclamando com entusiasmo os jogadores portuenses, sendo até o guarda-redes levado ao colo pela multidão e delirantemente ovacionado. Esta é que é a pura verdade: o F.C. Porto não perdeu com o Império.
O segundo desafio, jogado contra o Benfica, foi ganho pelo F.C. Porto por 3-2. Este resultado não veio em nenhum jornal dos que mantém “secção desportiva”. A razão deste silencio? É simples: Lisboa, em futebol, há dez anos ou mais que estava habituado a vencer o Porto, conseguindo quase sempre mais ou menos fáceis vitórias. Este ano, o Porto, quis vencer e venceu, e para isso trabalhou com vontade, desfazendo assim a ideia que muitos tinham de ser impossível tão cedo o Norte triunfar do Sul. Eis a razão porque foi tão pouco falada a vitória dos portuenses.
Quanto aos jornais desportivos, um deles, que por sinal costuma trazer uma resenha bastante desenvolvida dos bons desafios, limita-se a fazer uma pequena apreciação que por acaso não condiz nada com o título, e essa mesma feita em tipo pequeno, como que a ver se passa despercebida. Inclusivamente, em lugar de dizer, “o F.C. Porto venceu o Benfica”, diz: “team do Porto vence o Benfica”. Faço esta pequena observação, que poderia parecer sem importância, mas é para que todos fiquem sabendo que o grupo que foi a Lisboa é única e exclusivamente de elementos do F.C. Porto e não com alguns do Oporto Cricket Club, como um jornal desportivo da capital fez constatar, talvez por más informações…»

fonte: A Bola 

11 de março de 2013

Carlos Megre

Carlos Megre foi mais um dos primeiros futebolistas a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto nos primeiros anos de existência do clube.
Foi provavelmente o primeiro avançado de relevo a passar pelos Dragões.
Durante o tempo em que fez parte do plantel portista, Carlos Megre ajudou a conquistar a Taça Clube União do Norte, também a Taça José Monteiro da Costa, assim como o Campeonato do Porto nas temporadas de 1914/15 e 1915/16 e ainda a Taça Associação de Futebol do Porto em 1915/16.
Depois de muitas partidas disputadas e também de muitos golos apontados, com o passar dos anos começou a praticar ténis, sempre ao serviço do F.C. Porto e sempre com a mesma dedicação com que praticava futebol, já que venceu vários campeonatos.
Na altura da inauguração do Estádio das Antas, Carlos Megre era o sócio numero 3 do F.C. Porto.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto
1 Taça Associação de Futebol do Porto

4 de março de 2013

Aly Cissokho

Aly Cissokho nasceu no dia 15 de Setembro de 1987 em Blois; França.
Com sete anos entrou para as escolas de formação do A.M.J. Blois. Aos onze anos mudou-se para o outro clube da sua terra, o Blois Football 41, clube que representou até 2003. Seguiu-se o Saint-Jean-de-la-Ruelle e na temporada de 2004/05 integrou a equipa do F.C. Gueugnonnais.
Foi no clube da cidade de Gueugnon que Cissokho se estreou como profissional na época de 2006/07, tendo representado o clube francês até ao final da temporada de 2007/08.
Em Julho de 2008 chegou a Portugal por indicação do treinador Daúto Faquirá para representar o V. Setúbal, no entanto não ficou durante muito tempo na cidade do Sado.
Em Janeiro de 2009 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto, com os portistas a pagarem 300 mil euros aos sadinos.
Nos Dragões disputou 20 jogos (15 para o campeonato, 4 na Liga dos Campeões e 1 na Taça da Liga). Sagrou-se Campeão Nacional e conquistou a Taça de Portugal. Foi o dono do lado esquerdo da defesa da equipa orientada per Jesualdo Ferreira e no final da temporada tinha já os grandes clubes europeus a segui-lo.
Os italianos do A.C. Milan avançaram para o contratar, a troco de 15 milhões de euros. Cissokho acabou por não rumar a Itália devido a complicações nos exames médicos.
Foi então que surgiram os franceses do Olympique Lyon prontos a pagarem também os 15 milhões de euros para levarem de novo Cissokho para o seu país natal.
O Futebol Clube do Porto perdia um dos seus titulares mas obtinha um retorno enorme, isto em apenas seis meses que o jogador vestiu a camisola azul e branca.
Cissokho representou o Olympique Lyon durante três temporadas, tendo conquistado 1 Taça de França e 1 Supertaça francesa.
Em 2012/13 rumou a Espanha para representar o Valência C.F., na temporada seguinte rumou a Inglaterra para representar o Liverpool F.C., onde esteve duas épocas. Em 2014/15 transferiu-se para o Aston Villa F.C.
No inicio da temporada de 2015/16 regressou a Portugal e ao F.C. Porto por empréstimo do clube ingles. Acabou por disputar apenas três partidas e regressou a Inglaterra em Dezembro. 

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça de França
1 Supertaça de França

25 de fevereiro de 2013

Artur Freire

Artur Freire foi um dos principais jogadores que vestiram a camisola do Futebol Clube do Porto durante a década de 1920.
Jogador feito nas escolas do clube, Artur Freire já fazia parte do plantel portista que venceu a primeira edição do Campeonato de Portugal em 1921/22.
Mais fundamental foi a sua contribuição para a conquista do Campeonato da temporada de 1924/25, conquistado em Viana do Castelo, no campo de Monserrate e depois de uma vitória por 2-1 sobre o Sporting C.P.
esteve durante seis temporadas ao serviço do F.C. Porto e também conquistou por seis vezes o Campeonato do Porto.
Depois de deixar o futebol dedicou-se à carreira de Professor primário. Mais tarde foi ainda jornalista e chegou mesmo a redactor do Jornal de Noticias.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
6 Campeonatos do Porto

18 de fevereiro de 2013

Taça José Monteiro da Costa

A Taça José Monteiro da Costa foi a primeira competição que o Futebol Clube do Porto venceu.
Foi na temporada de 1910/11, que um pequeno grupo de sócios do F.C. Porto resolveram levar por diante a ideia de homenagear o então presidente portista, com o seu nome a ser atribuído ao troféu que iria premiar o vencedor do Campeonato do Norte.
A taça, que foi concebida pela firma portuense Monteiro & Filhos, que era em prata e que teve um custo de sessenta escudos, só iria ser atribuída ao clube que vencesse a competição por três vezes.
Com as vitórias no Campeonato do Norte de 1914, 1915 e 1916, o F.C. Porto conseguiu conquistar o belo troféu.
Os Dragões já tinham vencido as edições de 1911, 1912 e estavam bem encaminhados para em 1913 levarem para casa o troféu, mas a vitória da Académica de Coimbra acabou por adiar por mais alguns anos a conquista da taça.
A Taça José Monteiro da Costa, que era disputada por: F.C. Porto, Académica Coimbra, Boavista F.C., Leixões S.C. e Académico F.C., teve a ultima edição em 1916.
José Monteiro da Costa, infelizmente já não viu o seu clube do coração vencer o troféu que levava o seu nome, já que faleceu, devido a doença, no dia 30 de Janeiro de 1911, poucos dias antes do início da competição.

4 de fevereiro de 2013

Floriano Pereira

Floriano Pereira foi um dos principais futebolistas que representou o Futebol Clube do Porto no início da sua existência.
Na década de 1910 ajudou a conquistar a Taça José Monteiro da Costa, o Campeonato do Norte, Campeonato do Porto e ainda algumas Taças, como a da Associação de Futebol do Porto, Taça de Honra, Taça Jornalistas Sportivos e Taça Salão Sport.
Em 1920, no dia 4 de abril, alinhou na equipa que em Lisboa derrotou pela primeira vez o S.L. Benfica, por 3-2. Com golos de Alexandre Cal e Joaquim Reis.
Fez parte do plantel portista que venceu o primeiro Campeonato de Portugal organizado no país na temporada de 1921/22.
Na época de 1924/25, quando era já capitão de equipa, voltou a ajudar os Dragões a repetir o triunfo no campeonato português.
Floriano Pereira, tal como Vidal Pinheiro e o escocês Harrison, foram os três jogadores portistas chamados para a Iª Grande Guerra. Dos três, apenas Floriano Pereira e Harrison tiveram a sorte de regressarem. Vidal Pinheiro não teve a mesma sorte e perdeu a vida no massacre que as tropas portuguesas sofreram na noite do dia 8 para 9 de abril de 1918.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
9 Campeonatos do Porto
2 Taças Associação de Futebol do Porto

28 de janeiro de 2013

André Villas-Boas

Luis André de Pina Cabral e Villas-Boas nasceu no dia 17 de outubro de 1977 na cidade do Porto.
Bisneto de José Geraldo Coelho Vieira Pinto do Vale Peixoto de Villas-Boas (Visconde de Guilhomil), começou desde cedo, como a maioria dos jovens, a interessar-se pelo mundo do futebol.
Passou pelos juniores do Ramaldense F.C. e pelo C.F. Marchal Gomes da Costa.
Em 1994 e aproveitando o facto de ter como vizinho o então treinador do Futebol Clube do Porto, Bobby Robson, o jovem André teve a “ousadia” de escrever uma carta ao técnico inglês onde fazia referencia que com Domingos em vez de Yuran a equipa portista ficaria mais eficaz. Robson convidou Villas-Boas a ver o treino dos Dragões para então ele poder ver o porquê de Yuran ser o titular.
Depois deste primeiro encontro, Bobby Robson foi o responsável pelo início da carreira de treinador de Villas-Boas, já que por sua influência o jovem André teve entrada numa escola inglesa com apenas 17 anos, quando o podia fazer depois dos 18 anos.
Em 1999 e terminado o curso rumou as Ilhas Virgens Britânicas para ser o coordenador do futebol juvenil, tendo sido mais tarde promovido a diretor técnico.
Ainda no ano de 1999, ingressou no F.C. Porto para orientar a formação de sub-15 e depois a de sub-17. Mudou mais tarde de funções e passou a observador e foi nesse cargo que integrou a equipa técnica de José Mourinho tendo acompanhado o treinador setubalense no F.C. Porto, no Chelsea F.C. e no F.C. Inter de Milão.
Em outubro de 2009 dá um novo rumo à sua carreira e assume o comando técnico da Académica de Coimbra.
Na temporada de 2010/11 regressa ao F.C. Porto mas desta vez para ser ele o técnico principal. Começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira depois de uma vitória por 2-0 sobre o recente Campeão Nacional, devolveu o campeonato aos Dragões onde em 30 jornadas os portistas venceram 27 partidas e empataram 3, Venceu a Taça de Portugal com uma categórica vitória na final por 6-2 sobre o V. Guimarães e levou de volta os portistas às vitórias internacionais com a conquista da Liga Europa. Uma época de sonho e que fez o milionário Roman Abramovich abrir os cordões à bolsa para o levar de volta a Stamford Bridge.
Tal como tinha acontecido no F.C. Porto, Villas-Boas voltava ao Chelsea F.C. para ser e treinador principal, no entanto o sucesso não acompanhou o técnico português e em março de 2012 é dispensado.
Em 2012/13 assumiu o comando do Tottenham Hotspur F.C. No inicio de 2014 surpreendentemente foi dispensado dos londrinos e ingressou no F.K. Zenit da Russia onde reencontrou Hulk, ambos sagraram-se campeões da liga russa em 2014/15. Já no inicio da época de 2015/16 conquistou a Supertaça da Russia e terminou essa mesma temporada e a sua ligação ao clube russo com a vitória na Taça da Russia. Em Novembro de 2016 abraçou um novo desafio na sua carreira ao comandar a equipa técnica dos chineses do Shanghai SIPG F.C.

Palmarés
1 Liga Europa
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Russia
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça da Russia
1 Supertaça da Russia

21 de janeiro de 2013

Camilo Moniz

Camilo Moniz foi um dos primeiros futebolistas a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto.
Representou os Dragões entre os anos de 1908 e 1923 e dessa forma, ajudou a conquistar a primeira taça do F.C. Porto na temporada de 1912/13, a Taça Clube União do Norte, que para além dos portistas era também disputada por Leixões S.C., Boavista F.C. e S.C. Salgueiros.
Venceu ainda por duas vezes a Taça Associação de Futebol do Porto, conquistou por oito ocasiões o Campeonato do Porto e foi Campeão de Portugal em 1921/22.
Foi também um prestigiado jogador de Ténis, sempre ao serviço do F.C. Porto.
Ocupou vários cargos administrativos. Foi secretário-geral, vice-presidente e em Setembro de 1936 presidiu os destinos do clube. Mais tarde, passou pelo conselho técnico do clube e foi vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol.
Depois de falecer, em jeito de o homenagear, a Associação de Futebol do Porto, organizou uma competição com o seu nome.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
8 Campeonatos do Porto
2 Taças Associação de Futebol do Porto

14 de janeiro de 2013

Balbino da Silva

José Balbino da Silva nasceu no dia 23 de Março de 1896 em Lisboa.
Jogador que atuava a interior-direito mas que também chegou a jogar na esquerda e no centro do ataque portista, Balbino tinha um excelente toque de bola e foi um dos melhores que na década de 1920 passou pelo Futebol Clube do Porto, tendo se sagrado Campeão de Portugal nas temporadas de 1921/22 e 1924/25 ao serviço dos Dragões.
Com a camisola azul e branca ainda venceu por doze vezes o Campeonato do Porto.
Depois de deixar o F.C. Porto ainda passou pelo Casa Pia A.C.
Apesar de ser natural de Lisboa, Balbino, quando abandonou o futebol, regressou à cidade do Porto onde viveu até ao final da sua vida.
Foi ainda o segundo jogador internacional portista, já que marcou presença no dia 16 de Dezembro de 1922 numa partida realizada em Espanha contra a Seleção local e em que Portugal saiu derrotado por 3-0.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
12 Campeonatos do Porto

7 de janeiro de 2013

Gualter

Manuel Gualter Martins da Costa nasceu no dia 6 de agosto de 1945 na cidade de Guimarães.
Desde tenra idade que o futebol o fascinou, e assim foi sem surpresa que, ainda adolescente, ingressou nas camadas jovens do V. Guimarães.
De início, ainda teve que dividir os pontapés na bola com o trabalho de mecânico, mas o futebol acabou por levar a melhor.
Na temporada de 1963/64 estreou-se na equipa principal dos vimarenenses, onde se manteve durante seis temporadas e onde começou a despertar a cobiça dos principais clubes nacionais.
No início da temporada de 1969/70 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto e teve o jogo de estreia com a camisola dos Dragões no estádio do Restelo no dia 7 de setembro, numa partida que terminou com um empate 1-1.
Do jogo da sua estreia oficial pelo F. C. Porto, contra o Belenenses, no Restelo, Gualter guarda este episódio curiosíssimo:
- Julgando envergar, ainda, a camisola do V.Guimarães e porque o Belenenses alinhou nesse jogo de camisola branca, passei quase toda a primeira parte a colaborar (involuntariamente, já se vê) com o extremo esquerdo da equipa lisboeta. Correndo pela extrema-direita como era meu hábito quando jogador do Vitória, acabava por passar a bola ao número 11 de Belém, muito convencido de que estava a jogar para um colega. Só mais tarde quando dei pela confusão, é que passei a produzir algo mais para a equipa azul e branca, mas sem nunca ter atingido a produção normal.
Em dezembro de 1969 sofreu uma grave lesão que lhe poderia ter custado a carreira. Voltou aos relvados em março do ano seguinte e começou desde essa altura a ser um dos jogadores fundamentais do plantel portista.
Apesar de não ter conquistado nenhum título, Gualter venceu algumas partidas importantes. À cabeça vem logo o jogo em que o F.C. Porto goleou o S.L. Benfica por 4-0 com todos os golos a serem apontados pelo Lemos. Ainda a primeira eliminatória da Taça UEFA da temporada de 1972/73 em que os portistas venceram nos dois jogos o F.C. Barcelona.
No final da temporada de 1973/74 deixou o F.C. Porto.
Faleceu no dia 29 de Julho de 2015.