26 de setembro de 2016

Alvarenga

António Silva Alvarenga foi um futebolista que jogando a médio, representou o Futebol Clube do Porto durante a década de 40 do século passado.
Ingressou nos Dragões no início da época de 1941/42 e vestiu a camisola azul e branca até ao final da temporada de 1946/47, com uma interrupção na época de 1944/45.
A estreia em jogos oficiais ao serviço do F.C. Porto aconteceu no dia 15 de Fevereiro de 1942 no Campo da Tapadinha em Lisboa, onde os Dragões mediram forças com o Carcavelinhos F.C., numa partida a contar para a 5ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão da temporada de 1941/42 e que terminou com um empate 3-3.
Nas cinco épocas em que esteve ao serviço dos portistas, Alvarenga disputou 36 partidas.
Conquistou o Campeonato do Porto por três vezes (1942/43, 1943/44 e 1945/46), na sua primeira e também na última época, não disputou nenhum jogo a contar para o Campeonato do Porto.

Palmarés
3 Campeonatos do Porto

19 de setembro de 2016

Soares

Soares foi um dos primeiros guarda-redes da história do Futebol Clube do Porto.
Soares sucedeu a António Pinheiro, que era o guardião quando o clube foi refundado em 1906 por José Monteiro da Costa.
Foi Soares o dono da baliza portista no dia 15 de Dezembro 1907, quando o F.C. Porto recebeu os espanhóis do Real Fortuna de Vigo. Uma partida história, tanto para os Dragões como para o futebol português já que foi o primeiro jogo contra um clube estrangeiro disputado em solo nacional. A partida teve lugar no Campo da Rainha, o primeiro estádio pertencente ao F.C. Porto.

12 de setembro de 2016

Noé

Noé Pinheiro de Castro nasceu no dia 21 de Março de 1935 na Póvoa de Varzim.
Em 1957/58 ingressou no Futebol Clube do Porto, que era treinado pelo brasileiro Dorival Yustrich. Noé estreou-se com a camisola dos Dragões na partida da 9ª jornada do Campeonato Nacional no dia 3 de Novembro de 1957. Os portistas foram a Caldas da Rainha vencer a equipa anfitriã por 3-1 com Noé a apontar dois golos. Esse foi o único jogo em que participou no Campeonato da temporada de 1957/58. Noé foi utilizado ainda nessa época mas numa partida a contar para a Taça de Portugal, quando os portistas já eram treinados por Otto Bumbel. No jogo dos Quartos-de-final disputado no Estádio dos Barreiros no Funchal a 20 de Abril de 1958, o F.C. Porto venceu o C.S. Marítimo por 3-1, numa caminhada que só terminou com a conquista da Taça no Estádio do Jamor depois de levarem de vencida o S.L. Benfica por 1-0.
Noé conquistou ainda a Taça Associação de Futebol do Porto.
Em 1958/59, foi utilizado em 27 partidas e marcou 22 golos, no final da época sagrou-se Campeão Nacional.
Na temporada seguinte apenas disputou 14 partidas, onde marcou 6 golos e venceu a Taça Associação de Futebol do Porto.
Em 1960/61 repetiu a conquista da Taça Associação de Futebol do Porto e foi o melhor marcador da equipa, ao apontar 10 golos no Campeonato Nacional e 12 na Taça de Portugal nas 26 partidas que participou.
A época de 1961/62 trouxe mais uma vitória na Taça Associação de Futebol do Porto, mas apenas foi utilizado em 4 jogos e apenas com 1 golo marcado. No final dessa temporada deixou o F.C. Porto.
Ingressou no Varzim S.C. onde jogou mais duas temporadas, onde disputou 47 partidas e apontou 23 golos.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
4 Taças Associação de Futebol do Porto

5 de setembro de 2016

Ângelo César Machado

Ângelo César Machado nasceu no dia 4 de Março de 1900 em Resende.
Foi o 19º Presidente do Futebol Clube do Porto.
Advogado profissional, o Doutor Ângelo César assumiu a presidência dos Dragões no dia 9 de Setembro de 1938, cargo que ocupou até Julho de 1940.
Nos dez meses que comandou os destinos do F.C. Porto foram muitas as alterações que implementou, todas com o objectivo de reduzir as despesas já que encontrou o clube com uma situação financeira não muito saudável. Desde logo reviu o salário dos jogadores e cortou com o prémio de vitória no Campeonato do Porto, aplicou multas aos jogadores que faltavam aos treinos assim como aqueles que não cumprissem o seu dever de profissional, deu também ordem para que quando a equipa jogasse em Lisboa devia regressar ao Porto no mesmo dia, angariou-se novos sócios e foram feitas obras no Campo da Constituição para aumentar a lotação para 20 mil lugares.
No campo desportivo foi sobe a sua presidência que o F.C. Porto se sagrou pela primeira vez Bi-Campeão Nacional ao vencer os Campeonatos Nacionais de 1938/39 e 1939/40 e conquistou ainda o Campeonato do Porto de 1938/39.
Outro acontecimento que marcou a sua presidência foi a sua irradiação estipulada pela Federação Portuguesa de Futebol, já que o Doutor Ângelo César Machado era um presidente que não compactuava com as injustiças no futebol que na altura já aconteciam e era uma voz muito incomoda para o poder da capital, quer a acusar os dirigentes da F.P.F. de prejudicarem o F.C. Porto em favor dos clubes de Lisboa, assim como os árbitros. Na cidade do Porto tanto os portuenses como os próprios portistas viram essa irradiação como mais um acto de injustiça para com o clube e para demonstrar que estavam ao seu lado elegeram-no Presidente da Assembleia-Geral do F.C. Porto.
No dia 17 de Novembro de 1944 foi eleito Presidente Honorário dos Dragões.
Doutor Ângelo César Machado faleceu no dia 12 de Julho de 1972.