28 de novembro de 2016

Adriano

Adriano Vieira Louzada, nasceu no dia 3 de Janeiro de 1979 em Rio Branco, capital do estado do Acre, Brasil.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do A.C. Juventus, ingressou no plantel principal do clube da sua terra no ano de 1997. Ainda no decorrer desse ano, transferiu-se para o Associação Portuguesa de Desportos, onde jogou até 1998 altura em que mudou de ares e passou a vestir a camisola do A.A. Flamengo de São Paulo. No ano seguinte voltou ao A. Portuguesa de Desportos e logo depois teve uma breve passagem pelo Botafogo F.C. de Ribeirão Preto. Em 2000 transferiu-se para o S.E. Palmeiras, onde esteve até 2002, no entanto ainda teve uma rápida passagem pelo E.C. Vitória de Salvador. No inicio da temporada de 2002/03 rumou a Portugal para representar o C.D. Nacional. No emblema da ilha da Madeira, Adriano passou a ser um dos melhores avançados do futebol portugues mas acabou por regressar ao Brasil em 2005 para defender as cores do Cruzeiro E.C.
Em Janeiro de 2006 volta a Portugal para ingressar no Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 21 desse mesmo mês de Janeiro, quando os portistas receberam e venceram no Estádio do Dragão o Associação Naval 1º de Maio por 1-0, num jogo a contar para a 19ª jornada do Campeonato Nacional de 2005/06. Já o primeiro golo que apontou com a camisola azul e branca foi no dia 11 de Fevereiro de 2006 na visita ao Estádio do Restelo onde os Dragões venceram o C.F. Belenenses por 2-0 com ambos os golos a serem marcados por Adriano, numa partida que valeu para a 22ª jornada do Campeonato Nacional.
Adriano esteve quatro épocas ao serviço do F.C. Porto. Nesse período sagrou-se por quatro vezes Campeão Nacional, conquistou por uma vez a Taça de Portugal (onde foi o autor do único golo na final dessa competição, na época de 2005/06) e venceu a Supertaça Cândido de Oliveira de 2006, onde também apontou um golo dos três que os portistas marcaram ao derrotarem o V. Setúbal.
Em 2009 transferiu-se para o S.C. Braga mas não foi feliz no clube bracarense e mais uma vez regressou ao Brasil onde jogou no Sport Club do Recife e depois no E.C. Santo André. Voltou mais uma vez a Portugal, na época de 2011/12, para representar o U.D. Oliveirense, que na altura disputava a 2ª Liga. Em 2013 regressou novamente ao Brasil onde foi jogar no Grémio Barueri. Passou mais tarde pelo Rio Branco F.C., Galvez E.C., Atlético Acreano e em 2016 regressou ao Rio Branco F.C.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais (1ª Divisão)
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

21 de novembro de 2016

Afonso Themudo

Afonso da Silveira Brandão Freire Themudo foi o 13º presidente do Futebol Clube do Porto.
Assumiu as funções de presidente no ano de 1926, sucedendo a Domingos d´Almeida Soares, deixando o cargo em 1927.
Tenente-Coronel do Exercito, Afonso Themudo enquanto presidente portista viu a equipa dos Dragões a conquistar o Campeonato do Porto de 1926/27, assim como vitórias importantes contra equipas estrangeiras. Os Campeões da Baviera do Verein Razenspiele Furth saíram derrotados por 3-2 do Campo do Covelo e já em Janeiro de 1927 foram os franceses do Bordeaux University Club que não conseguiram impedir a vitória do F.C. Porto por 4-0.
Afonso Themudo que tinha vários familiares desportistas, ainda viu durante o seu mandato, o seu filho Pedro Themudo, jogar na equipa principal do F.C. Porto.

14 de novembro de 2016

Taça U.D. Oliveirense

No dia 13 de Novembro de 1932, o Futebol Clube do Porto foi o convidado do União Desportiva de Oliveirense para a inauguração do seu estádio.
Os Dragões, na qualidade de Campeões de Portugal, disputaram uma partida no novo campo de jogos do emblema de Oliveira de Azemeis contra o S.C. Espinho, onde derrotaram os Tigres da Costa Verde por 2-1.
O U.D. Oliveirense presenteou os portistas com um belo troféu em vidro, em forma de jarra, onde se destaca o emblema do F.C. Porto.

7 de novembro de 2016

Diógenes Boavida

Diógenes António Assis Boavida nasceu no dia 23 de Junho de 1927 em Luanda, Angola.
Praticante de desporto e principalmente de futebol quando ainda era jovem, continuou a prática de futebol quando veio para Portugal para seguir os estudos de advocacia.
Em 1948/49 ingressou no Futebol Clube do Porto, treinado na altura pelo argentino Alejandro Scopelli.
Diógenes Boavida, era irmão de Américo Boavida que tinha passado pelo F.C. Porto em 1945/46 e 1946/47, esteve apenas na temporada de 1948/49 ao serviço dos Dragões tendo realizado oito partidas oficiais e marcado três golos. No entanto fez parte da comitiva portista que viajou até Angola no verão de 1949. Em terras angolanas os Dragões realizaram dez partidas e venceram todas, passaram por Benguela, Leopoldville, Lobito, Luanda, Nova Lisboa e Sá da Bandeira. Os portistas foram recebidos com todas as honras e foram presenteados com o Troféu Salvador Correia de Sá, uma oferta do Futebol Clube de Luanda.
Diógenes Boavida na época seguinte seguiu para Coimbra onde veio a terminar os estudos, tendo ainda ingressado na Associação Académica de Coimbra onde jogou durante o tempo que passou na cidade dos estudantes, mais tarde rumou a Lisboa para vestir a camisola do C.F. Belenenses.
Já depois de ter deixado o futebol e quando era já um respeitado advogado, foi sempre um dos lutadores para a independência de Angola e em Janeiro de 1975 fez parte da delegação oficial da MPLA que assinou o acordo para a independência.
Foi depois Ministro da Justiça no governo de transição e também nos governos seguintes.
Faleceu no dia 25 de Fevereiro de 2012.