24 de julho de 2017

Mário Silva

Mário Fernando Magalhães da Silva nasceu no dia 24 de Abril de 1977 em Paranhos na cidade do Porto.
Era ainda criança quando entrou para as escolas do Boavista F.C. onde percorreu todos os escalões de formação até se estrear como sénior pelos axadrezados na temporada de 1995/96. Esteve seis épocas ao serviço do clube do Bessa e venceu a Taça de Portugal de 1996/97 e a Supertaça em 1997/98.
Em 2000/01 viajou para França onde foi ingressar no F.C. Nantes. Vestiu a camisola do clube francês apenas nessa temporada mas foi o bastante para no final da época se sagrar campeão de França.
Em 2001/02 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Fez a sua estreia com a camisola dos Dragões no dia 25 de Setembro de 2001 num jogo a contar para a Liga dos Campeões em que os portistas venceram no Estádio das Antas os galeses do Barry Town F.C. por 8-0.
Nas três temporadas em que esteve nas Antas, Mário Silva disputou 63 partidas e marcou 1 golo, foi na vitória do F.C. Porto por 3-0 sobre o Celtic F.C., no jogo da 4ª jornada do Grupo E da Liga dos Campeões de 2001/02. Conquistou 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal, 1 Taça UEFA e 1 Liga dos Campeões.
Em 2004/05 rumou a Espanha para jogar no R.C. Recreativo de Huelva. Na temporada seguinte transferiu-se para o Cádiz C.F. Em 2006/07 regressou ao Boavista F.C. onde jogou duas épocas e em 2008/09 foi para o Chipre onde ingressou no DOXA Katokopia F.C. e onde deu por terminada a sua carreira de futebolista.
Em 2010/11 estreou-se como treinador dos Juniores do Boavista F.C. passou ainda nessa temporada a adjunto na equipa principal para na temporada seguinte ser ele assumir o comando técnico dos boavisteiros. Em 2012/13 voltou ao Futebol Clube do Porto para adjunto dos sub-17. Na temporada seguinte assumiu idêntico cargo no Padroense F.C. onde esteve durante quatro épocas. Em 2017/18 regressou ao F.C. Porto, mas desta vez para ser o treinador principal dos sub-17 portistas.
Em Junho de 2014, Mário Silva ajudou o F.C. Porto a conquistar mais troféu, no caso o Liga Fertibéria onde alinhou ao lado de antigas glórias dos Dragões. Já no dia 25 de Julho de 2014 voltou ao relvado Estádio do Dragão e a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto para o jogo de homenagem e despedida de Deco.

Palmarés
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de França
2 Taças de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

17 de julho de 2017

Elisabeth de Mesquita

António Elisabeth de Mesquita foi um dos primeiros jogadores a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto.
Integrou a primeira equipa dos Dragões quando José Monteiro da Costa refundou o clube em Agosto de 1906, sendo acompanhado pelos seus parceiros do antigo Grupo do Destino.
Com o futebol a dar os primeiros passos em Portugal, Elisabeth de Mesquita participou em algumas partidas amigáveis que os portistas iam organizando, principalmente contra o Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club e também o Boavista Footballers.
Jogador e sócio do F.C. Porto, Elisabeth de Mesquita faz parte da história do clube como um dos pioneiros do futebol do clube e de Portugal.

10 de julho de 2017

Troféu La Carreta


O Troféu “La Carreta” foi uma oferta dos uruguaios do C.A. Peñarol ao Futebol Clube do Porto quando os portistas festejaram 100 anos.
Em Agosto de 1993 os Dragões organizaram o Torneio do Centenário, para festejar o seu aniversário. Com as partidas a terem lugar no Estádio das Antas e com a participação dos romenos do F.C. Steaua Bucuresti, dos brasileiros do Cruzeiro E.C. e do C.A. Peñarol. O F.C. Porto foi o grande vencedor da prova ao derrotar na final os brasileiros.
Quanto ao troféu oferecido pelos uruguaios ao F.C. Porto, é a réplica de um meio de transporte tradicional daquele país sul-americano. O monumento original e em tamanho real, pode ser visto em Montevideu e é da autoria do escultor José Belloni que concebeu a obra em 1934.

3 de julho de 2017

Augusto Pires de Lima

Augusto Pires de Lima foi o 20º Presidente do Futebol Clube do Porto.
Sucedeu a Ângelo César Machado em Julho de 1940 e ocupou o cargo de dirigente máximo dos Dragões até Setembro de 1941.
Nos 14 meses em que comandou o F.C. Porto, o Dr. Augusto Pires de Lima viu a equipa de futebol apenas a vencer o Campeonato do Porto.
A sua presidência veio a ficar marcada, tal como tinha acontecido com o seu antecessor, pelas quezílias entre o Norte e o poder da capital que só tinha olhos para os clubes de Lisboa.