23 de janeiro de 2008

António Oliveira


António Oliveira nasceu a 10 de Junho de 1952 em Penafiel.
Com apenas 15 anos chegou ao Futebol Clube do Porto para ingressar nas camadas jovens.
Médio-ofensivo de grande qualidade, foi uma das grandes estrelas da equipa treinada por José Maria Pedroto.
Foi um dos principais responsáveis pela conquista do Campeonato Nacional 1977/78 pelo F.C. Porto depois de um jejum de 19 anos, ao ser titular em todos os jogos e com 19 golos marcados. Em 1978/79, voltou a repetir a vitória no campeonato nacional e a sagrar-se juntamente com a equipa do F.C. Porto em Bi-Campeão.
Na época seguinte, teve uma experiência não muito bem sucedida em Espanha, no Bétis de Sevilha, para onde foi com um contrato milionário já a época de 1979/80 tinha começado. No decorrer da mesma época, em Fevereiro de 1980, regressou ao F.C. Porto mas, na sequência do "Verão quente" daquele ano, abandonou as Antas e foi para o F.C. Penafiel como jogador-treinador.
Na época de 1981/82, ingressou no Sporting C.P. apenas como futebolista e na temporada seguinte ainda no clube de Alvalade, sagrou-se campeão mais uma vez.
Em 1982/83 no mês de Setembro já com o campeonato a decorrer, passou a ser treinador e jogador, (função que já tinha exercido no F.C. Penafiel), e venceu a Supertaça Cândido de Oliveira.
Em 1985/86 transferiu-se para o Marítimo S.C. onde abandonou a brilhante carreira de jogador e dedicou-se totalmente ao papel de treinador.
Passou por diversos clubes nacionais até em 1994 ser contratado para treinador da Selecção Nacional. Teve a sua estreia em Belfast num jogo contra a Irlanda do Norte que Portugal venceu por 2-1. Qualificou Portugal para o Campeonato da Europa a ter lugar em Inglaterra em 1996, onde a Selecção apresentou um bom futebol mas acabou por ser eliminada pela Republica Checa nos quartos de final.
No final do Euro-96, António Oliveira regressou ao Futebol Clube do Porto e venceu os dois Títulos Nacionais de 1996/97 e 1997/98, ao serviço dos Dragões venceu ainda a Taça de Portugal em 1998 ao derrotar na final o S.C. Braga.
Em 2000 voltou a ser o treinador da Selecção Nacional, mais uma vez qualificou Portugal desta vez para o Campeonato do Mundo da Coreira/Japão, mas a incursão pelo oriente foi uma desilusão e António Oliveira acabou por ser dispensado.
No princípio da temporada de 2003/04, Oliveira foi eleito presidente do Futebol Clube de Penafiel e teve como principal objectivo levar o clube ao escalão máximo do futebol nacional, o que se veio a concretizar. Mas na temporada de 2005/06 o F.C. Penafiel desce de divisão e Oliveira deixa o clube.

Palmarés como jogador
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

Palmarés como treinador
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

Agradecimento ao Fernando Moreira pela colaboração

9 comentários:

rui napalm disse...

Grande jogador e seleccionador
Bons anos com a garra de campeao

trve brother of Black Tyrant

AZUL DRAGÃO disse...

Como jogador foi um dos meus ídolos.
Mesmo quando perdíamos o OLIVEIRA era , muitas vezes , o melhor dos jogadores em campo.
Tecnicista de enorme qualidade.
Ao nível dos melhores de sempre !

Como treinador...
apenas uma palavra: DESTEMIDO !

Ricardo Vara disse...

Excelente iniciativa Paulo. No futuro, o seu blog será certamente uma das fontes do meu "Paixão pelo Porto". Espero encontrar aqui algumas histórias para a minha rubrica o «cromo do dia».
Abraço. Ricardo Vara.

Dragões Azuis disse...

Só pude assistir à brilhante carreira do A.Oliveira como treinador mas sei que nos seus tempos de jogador foi grande jogador e fez muitas coisas boas pelo FCP.

Já adicionei o blog nos links do meu.
Abraço Azul e Branco

http://www.dazuis08.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Caro Paulo, permite-me uma correcção; o A.Oliveira foi bi-campeão pelo F.C.Porto em 77/78 e 78/79 tendo ingressado no Bétis na época 79/80, tendo regressado ao clube azul e branco na mesma época, que para nosso mal não culminou na conquista do tri.
Uma curiosidade; donde vem essa paixão pelo River?
Vou passar a frequentar o teu blog.
Um abraço

Paulo Moreira disse...

dragao vila pouca obigado pela currecção. E desculpem o erro.

Ésta paixão pelo river, tem um culpado que se chama: Lucho González. Quando ele chegou ao FCP vi um video sobre o River que me cativou. A partir desse momento, senti curiosidade para começar a pesquisar mais, e neste momento posso dizer que o River Plate é o meu segundo clube.

Posso aqui dizer que os adeptos do River ainda têm o Lucho em muito boa concideração, enquanto o Farías já divide mais os adeptos.

Paulo Pereira disse...

Uma grande mágoa: não o ter visto a jogar ao vivo, logo ele k foi um executante brilhante...

Como treinador, estará para sempre ligado umbilicalmente ao Penta, participando na conqista de dois campeonatos...

Como Seleccionador, teve a infelicidade do chapéu de Poborsky no Euro-96, k o afastou duma provável presença na final. Isso, aliado ao facto de não ter o lobby na imprensa k tem, p.e., Humberto Coelho, ostracizam-no quando nos referimos aos bons seleccionadores k a Selecção já teve...

Polémico, frontal, julgo k terá pulso para continuar, caso seja esse o veredicto dos sócios do FCP, o caminho trilhado por PCosta.

Paulo Moreira disse...

Esqueci-me de referir no artigo uma coisa muito importante sobre a carreira de treinador do Antonio Oliveira que é a seguinte:
Foi ele que orientou a equipa do Porto a quando da histórica goleada por 5-0 no galinheiro :)

Gil disse...

Oliveira foi também mau para o F.C.Porto quando num jogo com o sporting, apareceu com a cabeça ligada dizendo que o grande Rudolfo lhe tinha aberto a cabeça... Veio mais tarde a saber-se que tinha sido tudo "fita"...