13 de maio de 2013

José Magalhães Bastos

José Magalhães Bastos foi um defesa que jogou nas primeiras equipas da história do Futebol Clube do Porto.
Viveu de perto as primeiras conquistas do clube ao vencer a Taça Clube União do Norte e depois a Taça José Monteiro da Costa.
Foi numa edição dessa Taça, que José Magalhães Bastos teve uma atitude que mereceu vários elogios. Na época, as equipas não costumavam entrar em campo como agora sucede. Os jogadores entravam como lhes apetecia, uns agora, outros logo. Magalhães Bastos, como académico, trazia a sua capa por cima do equipamento, e os estudantes contavam com ele para jogar contra o F.C. Porto, o seu grupo de sempre. Os próprios portistas tiveram o seu receio. O árbitro do encontro apitou para alinhar os jogadores e todos os olhares se fixaram no grande defesa portuense. Este, muito calmo, possivelmente risonho, o que nele era muito habitual, dirigiu-se para um dos lados do campo, tira de cima do corpo de magnifico atleta a capa que o cobria, entregou-a a um amigo e partiu com a equipa gloriosa do F.C. Porto a tomar o seu posto na defesa sagrada da sua bandeira.
Foi um momento de extraordinária emoção. Amadores puríssimos, alguns rapazes não reprimiram as lágrimas, pois custava-lhes muito perder a companhia de um elemento que estimavam profundamente. E os estudantes simpáticos de Coimbra compreenderam que esta atitude revelava o Homem que mais tarde viria a ser um Juiz distintíssimo.
Mas as conquistas não se ficaram por essas duas Taças. Em 1915 e a juntar à vitória no Campeonato do Norte de Portugal, ganhou a Taça de Honra, Taça Jornalistas Sportivos e Taça Salão Sport. Conquistou também vários Campeonatos do Porto e a Taça Associação de Futebol do Porto.
Esteve também presente em Lisboa, em 1920, na primeira vitória do F.C. Porto sobre o S.L. Benfica por 3-2.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto
2 Taças Associação de Futebol do Porto

fonte: Diário de Noticias

1 comentário:

dragao vila pouca disse...

Grande história. Bons tempos, mas uma cultura portista que perdura e que nos distingue.

Abraço