3 de julho de 2011

Nuno Espírito Santo

Nuno Herlander Simões Espírito Santo nasceu no dia 25 de Janeiro de 1974 em São Tomé, São Tomé e Príncipe.
Com 18 anos integrou o plantel principal do V. Guimarães para a temporada de 1992/93. Foi posteriormente emprestado durante uma época ao S.C. Vila Real para voltar ao clube da cidade de Guimarães na temporada seguinte onde actuou durante mais dois anos tendo começado a despertar a cobiça de vários clubes, entre eles o Futebol Clube do Porto. Mas o próximo destino de Nuno foi Espanha. No país vizinho jogou seis temporadas e representou o R.C. Deportivo da Coruña, Mérida U.D. e C.A. Osasuna.
No verão de 2002 transferiu-se para o F.C. Porto. No seu primeiro ano de estreia com a camisola dos Dragões, Nuno sagrou-se Campeão Nacional, conquistou a Taça de Portugal (competição onde marcou um golo de penalti contra o Varzim S.C. na vitória portista por 7-0), e venceu a Taça UEFA.
A temporada que se seguiu trouxe mais vitórias. Começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, seguiu-se a revalidação do campeonato nacional e terminou com a saborosa vitória em Gelsenkirchen na final da Liga dos Campeões.
2004/05 Começou igual à temporada anterior, com a vitória da Supertaça Cândido de Oliveira. Em Dezembro o F.C. Porto, na qualidade de Campeão Europeu, rumou ao Japão para medir forças com o Once Caldas, Campeão Sul-Americano. Aos 103 minutos, Nuno foi chamado para substituir Vítor Baía e teve dessa forma inesperada a responsabilidade de defender a baliza portista no desempate por penaltis que o F.C. Porto acabaria por vencer por 8-7.
Na época seguinte, Nuno transferiu-se para o F.K. Dínamo de Moscovo, para voltar a Portugal no início de 2007 onde representou o C.D. Aves.
Regressou ao F.C. Porto em 2007/08 para jogar mais três temporadas e onde voltou a vencer mais dois campeonatos nacionais, duas Taças de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira. No final da época de 2009/10 colocou um ponto final na sua carreira de jogador.
Na temporada seguinte fez parte da equipa técnica do seu antigo treinador, Jesualdo Ferreira, no Málaga C.F., tendo-se seguido o Panathinaikos A.O.
Em 2012/13, assumiu o comando técnico do Rio Ave F.C. Na temporada de 2013/14 conduziu o clube de Vila do Conde à final da Taça da Liga e à Final da Taça de Portugal. Em 2014/15 rumou a Espanha para comandar o Valencia C.F. tendo deixado o clube espanhol em Novembro de 2015.
Em Junho de 2015 regressa ao F.C. Porto para assumir o comando técnico da equipa principal dos Dragões.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
5 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

Não era um super guarda-redes, mas era uma boa alternativa e para além disso tinha o espírito do Dragão. Era muito importante no balneário. Acredito que um dia vai regressar...
Abraço

Anónimo disse...

Por se falar em... "espirito do Dragão".

Em tempos aqui fizeram efeméride ao (esse sim, com espirito de
"dragão")... WALDEMAR MOTA.

E não é que descobrimos um recorte
, que possuimos desde a sua morte, ("Norte Desportivo" de Abril/1966
).

Lá faz-se referência que o funeral
foi no Cemitério do Bonfim cujo corpo seria depositado em Jazigo de Familia (apesar de em série de blogs do género fazer referência que se encontra no Mausuléo do Clube em Agremonte - mentira).

Fizemos a respectiva "busca" e... confirmamos! Estál, de facto, no Bonfim (no último piso, virado para o... "Dragão")!

Pena que muito abandonado (a placa com o nome está partida a meio - recolocamos juntando-a)!

Nessa aqui anterior referência,até
"interveio" uma sua bisneta, Joana Mota, que agradeceu terem-se,ainda,
lembrado do bisavô!

Mas agora, gostaria de dizer-lhe que ele, WALDEMAR MOTA tem estado de facto esquecido mas não pelos
... portistas!

Será que poderia haver hipótese de se repetir a efeméride? Mais não fosse para um desejado "despertar de consciência"dos seus familiares!

Muito grato!

Anónimo disse...

O melhor período do Nuno como futebolista foi no Guimarães. Estava a jogar muito! Acho que se desaproveitou um grande redes, quando esteve "exilado" uma pancada de anos em Espanha e sem jogar.

Anónimo disse...

Por acaso acho que o Nuno comprometeu um pouco quando foi chamado a jogar pelo Porto, mas quando era preciso intervir no banco quando os ânimos aqueciam até dava bastante jeito...

RS