31 de agosto de 2008

Rui Filipe


Rui Filipe Tavares de Bastos nasceu no dia 8 de Março de 1968 em Vale de Cambra.
Deu os primeiros pontapés na bola no A.D. Valecambrense até despertar a cobiça do Futebol Clube do Porto, clube para o qual se mudou na temporada de 1889/90. Foi depois emprestado, primeiro ao S.C. Espinho e na temporada seguinte ao Gil Vicente F.C.
Na época de 1991/92, Rui Filipe passou a integrar o plantel portista que era comandado pelo técnico brasileiro Carlos Alberto Silva, e pela primeira vez sagrou-se Campeão Nacional.
Na temporada seguinte e ainda com o treinador brasileiro, os Dragões voltam a conquistar o Título Nacional ao que juntaram a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira.
Na época de 1993/94 Rui Filipe ajudou a conquistar a Taça de Portugal, que o F.C. Porto venceu ao derrotar o Sporting C.P. na finalíssima por 2-1. Ainda nessa temporada e na sua participação na Liga dos Campeões, e já com Bobby Robson no comando técnico, o F.C. Porto realizou um dos seus mais brilhantes jogos ao vencer na Alemanha o Werder Bremen por 5-0 com Rui Filipe a sair do banco e a inaugurar o marcador.
Na temporada de 1994/95, Rui Filipe começava a ser um dos pilares do meio-campo dos Dragões. E foi ele que na primeira jornada contra o S.C. Braga marcou o primeiro golo da vitória do F.C. Porto por 2-0, contribuindo assim para a conquista do título de Campeão Nacional. Poucos dias depois os portistas visitaram o estádio da Luz para o jogo da primeira-mão da Supertaça Cândido de Oliveira que terminou com um empate por 1-1. De novo Rui Filipe apontou o golo portista. Um golo cheio de classe e talento onde o ainda jovem jogador, apenas com uma simulação tirou o famoso guarda-redes Preud´Homme do caminho da bola. Nesse mesmo jogo Rui Filipe viu o cartão vermelho que lhe impediu de ser convocado para a partida contra o S.C. Beira-Mar. No fim de semana desse jogo teve um acidente que o vitimou.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

5 comentários:

dragao vila pouca disse...

O Rui era conhecido meu e amigo do meu cunhado e tinha estado em nossa casa umas semanas antes de morrer a jogar a sueca, jogo que ele, exímio jogador, adorava.
Com Robson estava em grande e ia renovar o contrato com o F.C.Porto.
Tinha força, técnica, era humilde e tinha tudo para vir a ser um jogador como o seu ídolo - A.André - que tantos bons conselhos lhe deu.
Um abraço

Anónimo disse...

Amigo:


Que pena.

Só agora «descobrimos» esta mais que excelente página... «Estrelas do FCP».

Deu para dar uma ligeira vista de olhos, mas, já nos fascinamos, sobretudo, por reviver os grandes Virgilios, Jaburus, Hernânis, Pingas, Acácios Mesquitas, etc..

E o Pavão? Penso que ainda não está.

E, esse sim, morto com a gloriosa camisola do FC Porto em pleno mitoco, e saudoso, Estádio das Antas.

Muito obrigado.

Anónimo disse...

Amigos:

Acabamos de «descobrir» o Pavão.

Desculpem.

Pena que estejam os elogios mais focados nos aspectos fúnebres que desportivos.

Por exemplo:

Em relação à sua estreia nos séniores do FC Porto, tudo certo mas ele destacar-se-ia na marcação impecável a Mário Coluna.

Sobre os 2-0 os golos foram obtidos pelo bracarense Carlos Batista (a residir em Braga) e pelo transmontano Nóbrega (a residir, aqui, na Rua do Falcão).

E, ainda, sobre a sua estreia internacional na equipa «A», que foi em Lourenço Marques (hoje Maputo), frente ao Brasil (derrota por 0-2), sendo substituído pelo Artur Jorge, que diria ao «Record» ter ido substituir, injustamente, o... «melhor jogador em campo» (possuimos esse «recorte»).

Aliás, nesse jogo, o Rolando recusou-se entrar a 2 minutos do fim dizendo para o seleccionador (JM Antunes»)... «entre você».

Cumprimentos.

Pete disse...

Foi um dos momentos mais dolorosos que eu vivi como portista.

macedo disse...

se bem me lembro desse dia estava em Aveiro para assistir ao jogo com o beira mar quando se deu a noticia , fiquei muito triste na altura rui prometia muita qualidade no futebol se não fosse o cartão vermelho mostrado injustamente na luz ainda podíamos ter esse herói do nosso lado.