2 de novembro de 2008

Juary


Juary Jorge dos Santos Filho nasceu no dia 16 de Junho de 1959 em S. João de Meriti; Brasil.
Iniciou-se na formação do Santos F.C. onde passou a profissional em 1977. No clube de São Paulo manteve-se durante três anos e venceu o Campeonato Paulista de 1978.
Na temporada de 1979/80 transferiu-se para o América do México e na época seguinte viajou para Itália onde representou o U.S. Avellino (1980/81 e 1981/82), Inter de Milão (1982/83), Ascoli (1983/84) e o U.S. Cremonese (1984/85).
Na temporada de 1985/86 chegou ao Futebol Clube do Porto e logo no primeiro jogo do campeonato disputado no Estádio das Antas contra o S.L. Benfica, Juary apontou o seu primeiro golo em jogos oficiais com a camisola azul e branca, num jogo em que o F.C. Porto venceu por 2-0. Ainda nessa temporada ficou para a memória de todos os portistas a partida da segunda-mão da Taça dos Clubes Campeões Europeus contra o F.C. Barcelona nas Antas, depois de ter perdido o primeiro jogo por 2-0. Juary entrou aos 66 minutos e marcou os 3 golos da vitória mas que não foram suficientes para eliminar os espanhóis que conseguiram marcar 1. No final dessa temporada, Juary sagrou-se Campeão Nacional e venceu também a Supertaça Cândido de Oliveira.
Na época de 1986/87 o pequeno brasileiro voltou a ser importante na caminhada europeia que levou o F.C. Porto à final de Viena onde derrotou os alemães do Bayern de Munique por 2-1, e onde Juary fez a assistência para o primeiro golo apontado por Madjer, e marcou o segundo.
Na temporada seguinte voltou a conquistar o Título de Campeão Nacional e a vencer a Taça de Portugal. Mas tal como tinha acontecido na época anterior, as principais conquistas foram alcançadas a nível internacional. Primeiro foi a épica vitória na Taça Intercontinental defronte do C.A. Peñarol do Uruguai num jogo disputado em Tóquio sobre um manto de neve. Um mês mais tarde nova conquista, desta vez na Supertaça Europeia onde o F.C. Porto defrontou e venceu os holandeses do Ajax F.C. por 1-0 nas duas mãos.
Ainda em 1988, Juary regressou ao Brasil onde representou a Associação Portuguesa dos Desportos.
No ano seguinte voltou ao seu clube de sempre, o Santos F.C., onde permaneceu até 1992, até que em 1993 terminou a sua carreira no São José Esporte Clube.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça dos Campeões Europeus
1 Supertaça Europeia
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Campeonato Paulista

5 comentários:

dragao vila pouca disse...

Aquilo a que se pode chamar e com toda a propriedade, a verdadeira arma secreta.
Em Brondby e na final da Taça dos Campeões, Juary foi decisivo.
Depois sa saída de A.Jorge e com Ivic, teve problemas, acabando por sair do F.C.Porto de forma um pouco apagada. Era rápido e explosivo e no contra-ataque era letal.
Um abraço

Anónimo disse...

Um jogador fabuloso.Bons Tempos!

Gabriela disse...

Um ratinho super sónico. Foi a nossa arma secreta na memorável noite de Viena.Que saudades deste campeão quando entrava era sempre golo certo.

Anónimo disse...

Parabéns gostei muito deste blog, noto que falta o nome de um jogador, o tal 115 Armando Manhiça.
Abraços

Anónimo disse...

Sou brasileiro, nascido e criado em Santos, terra do clube que projetou Juary. Vi Juary jogar e era realmente muito rápido e goleador. Quanto ao Porto, conheci o lindo estádio do Dragão em 2008 e sempre que posso, vejo jogos que são transmitidos aqui no Brasil. Saudades de Porto, cidade maravilhosa!