16 de fevereiro de 2015

Albertino

Albertino Eduardo Ferreira Ventura Pereira, nasceu no dia 23 de Janeiro de 1950 em Aldoar na cidade do Porto.
Com 14 anos entrou para os juvenis do Leixões S.C., passou depois pelos juniores e na época de 1968/69 integrou a equipa principal do clube de Matosinhos. Em 1970/71 passou pelo G.D. Peniche mas na temporada seguinte voltou ao Leixões S.C., no entanto foi chamado a cumprir o serviço militar e mobilizado para a guerra colonial, isto no ano de 1972. seguiu para Angola onde foi radiotelegrafista e onde viu o lado mais terrível da guerra, mais tarde integrou a equipa do Recreativo de Uige tendo sido jogador-treinador e o melhor marcador da equipa e levou o pequeno clube angolano à subida à 2ª Divisão de Angola.
Em Agosto de 1974 regressou a Portugal e ao Leixões S.C. onde esteve até ao final da temporada de 1975/76.
No verão de 1976 Albertino esteve quase a concretizar o seu sonho, que era o de jogar no seu clube do coração, o Futebol Clube do Porto, na verdade chegou a concretizar o tal sonho mas apenas numa digressão que os portistas fizeram à Amrérica do Sul porque quando regressaram a Portugal, foi transferido para o Boavista F.C. No clube do Bessa esteve três temporadas e conquistou a Taça de Portugal da época de 1975/76 ao derrotar na Final o V. Guimarães por 2-1.
Em 1979/80 finalmente ingressou no F.C. Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões em jogos oficiais aconteceu no dia 15 de Setembro de 1979 no jogo da 4ª jornada do Campeonato Nacional de 1979/80, quando os portistas receberam e venceram o V. Setúbal por 3-1 no Estádio das Antas.
Ao serviço do F.C. Porto, Albertido disputou 57 partidas e apontou 11 golos. Venceu a Taça Associação de Futebol do Porto de 1980/81 e a Supertaça Cândido de Oliveira em 1981.
Foi um dos jogadores que disputou o jogo da 2ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus da temporada de 1979/80, quando o F.C. Porto foi a Itália vencer o A.C. Milão por 1-0, o que foi a primeira vitória fora na competição da história do F.C. Porto.
Em 1982/83 Albertino transferiu-se para o C.S. Marítimo, na temporada seguinte ingressou no A.D. Sanjoanense e em 1984/85 regressou ao Leixões S.C. onde terminou a sua carreira de futebolista no final dessa mesma época.
Abraçou mais tarde a carreira de treinador e passou pelo comando técnico do S.C. Covilhã na temporada de 1987/88.

Palmarés
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

3 comentários:

Pinto Felgueiras disse...

Albertino é um dos "nossos", efetivamente. Portista dos bons. E um grande valor, que faz parte da galeria dos bons futebolistas que integraram a equipa principal portista. E, antes ainda, foi um dos que já admiravamos quando jogavam em rivais, no caso dele o Leixões, e gostavamos que viesse então para o F C Porto. Depois, quando integrou a embaixada do F C Porto na digressão à América, por empréstimo, tivemos esperança que acabasse por ficar, o que afinal, só anos mais tarde se concretizou.
Também ainda jogava e igualmente começou a ser apreciado pela sua veia artística fora do campo, sendo atualmente um pintor conhecido publicamente, com quadros deveras apreciados, a pontos de já ter merecido algum destaque no Porto Canal.
Armando Pinto

Anónimo disse...

Aproposito do estado da arbitragem:

Lanço UM DESAFIO à Blogosfera Portista ( e Foruns) :

Repitam o que já fizeram ( e teve eco) aquando da "apitadela" , UNAM-SE e denunciem com os dados possíveis ( e são muitos ) esta "brincadeira"

Se o FCP parece não ter uma estratégia para tal ( nem de forma indireta) então que sejam estas corajosas, diligentes, dedicadas e atentas "organizações" portistas que façam .

E façam chegar (se possível) tal "trabalho" a tudo que é entidades importantes. E divulguem no.

Anónimo disse...

Tive o previlégio de conhecer este fabuloso jmgador em 1973 quando envergava a camisola do Clube Recreativo do Uige,no Estádio José Ferreira Lima. Na partida da seleçâo do uige comtra o FCP,espalhou o seu perfume,tendo marcado o golo da seleção,na vitória do FCP por 1-3. Este jogador deixou saudades nas terras cafeícolas do Uige. Hoje,o futebol português tem jmgadores,mas este são de contar com os dedos ou não há. Sou angolano,assíduo seguidor do futdbol luso. sou João Cristelo Carlos Angola