6 de fevereiro de 2011

Nascimento Cordeiro

José Maria Nascimento Cordeiro foi o 30º Presidente da história do Futebol Clube do Porto. Entre os anos de 1961 e 1965.
Em 1961 o clube atravessava sérias dificuldades financeiras. Foi então eleita uma Comissão Administrativa e o novo Presidente, Nascimento Cordeiro, conseguiu recuperar as finanças do clube numa época bastante difícil, já que qualquer que fosse a despesa necessária, era sempre um enorme problema.
Ainda assim foi no seu mandato que procedeu à iluminação do Estádio das Antas. A inauguração foi no dia 1 de Setembro de 1962 e o convidado foi o Club Atlético de Bilba.
Foi ainda durante o seu mandato que os portistas conseguiram a primeira vitória em provas da UEFA, aconteceu no dia 16 de Setembro de 1964 quando o O. Lyon perdeu por 3-0 na visita ao Estádio das Antas.

17 comentários:

Armando Pinto disse...

Pelo que rezam as crónicas e as reportagens jornalísticas desses tempos, Nascimento Cordeiro teve contudo um desinteresse assinalável pela memória do clube, tendo durante a sua gerência desaparecido muitas taças e recordações patrimoniais, por inércia organizativa, deixando ao deus dará as coisas do clube, além de ter começado nesse tempo o enfraquecimento da equipa de futebol, ao género de belenização (se fosse hoje dizia-se sportinguização), realtivamente aos adversários mais directos e históricos - como aconteceu com a venda ao Benfica do Serafim, por exemplo, enquanto não houve remodelação no plantel, etc.
Ficou ainda ligado a uma acção judicial que moveu ao clube...
Mas estas são acções que, por certo, merecerão outro desenvolvimento noutros comentários, limitando-me a levantar a ponta do véu, com o que foi do domínio público.

Anónimo disse...

Amigo Armando Pinto: fora outro a opinar(da maneira que o fez),e até admitiriamos por desconhecimento da história do Clube! Que é o que frequentementemente neste tipo de blogs se conatata!

Agora o amigo!!!


- "Nascimento Cordeiro teve contudo um desinteresse assinalável pela memória do clube"

Nada mais incorrecto! Antes pelo contrário; o desinteresse foi na ordem pessoal em se não aproveitar do Clube (ao contrário do que se passa nos dias de hoje).

Pegou no Clube (em 1961) numa das maiores crises da sua história após o ciclo "Yustrich/Gutman" (títulos de 1956/1959 e taças de 1956/1958).

Quiçá, por isso, a tal "venda" do Serafim (record para a época); com futebolistas em final de carreira, tipo Virgílios, Migueis Arcanjo, Carlos Duartes, Perdigões, e, sobretudo, Hernânis;

Surgiriam, todavia, nas suas gerências, os Américos, os Pintos, os Nóbregas, os Azumires, os Festas, etc., etc.; esteve mesmo a conquistar um título (época de Jorge Hourt) não fôra termos sido ROUBADOS nas Antas num penalti fantasma asssinalado por Reinaldo Silva.

É grosseira MENTIRA a questão do desaparecimento das taças e outras recordações (estará o amigo a referir-se aos tempos que correm?)
porque esse "episódio" aconteceu exactamente no mandato posterior quando o respectivo presidente (Afonso Pinto de Magalhães) quiz (e concretizou) fazer um novo com... o seu nome


... continua

Armando Pinto disse...

Respondo ao comentário do amigo anónimo sem ter lido ainda a continuação do seu comentário, apenas que não sei se vou poder navegar na internet nas próximas horas.
Eu bem sabia que bastava levantar a ponta do véu, como disse. Sobre tudo isso que afirmei, é o que consta do livro "6 Anos de Progresso na Vida Gloriosa do F. C. Porto", de Rodrigues Teles; mas também pelo que na época acompanhei através do jornal do clube, O Porto (muitos anos antes de nele ter colaborado, portanto), como ainda pel' O Norte Despoortivo, etc. Aliás a acção que ele (Nascimento Cordeiro)moveu ao F. C. Porto ficou-lhe muito mal e mesmo que tivesse alguma razão, o que não entendo, nunca um bom Portista deveria ter feito aquilo...
Seja como for não se pode misturar alhos com bogalhos, que é como quem diz com o que então aconteceu e desapareceu... e agora. Pronto a minha opinião está dada e encerrado o assunto, da minha parte. Até porque só levantei o assunto por saber de antemão que ia dar pano para mangas e assim as gerações do presente poderiam ter ideia que antigamente aconteciam coisas estranhas, fosse como fosse.

Abraço.

Anónimo disse...

... continuação


« Mas estas são acções que, por certo, merecerão outro desenvolvimento noutros comentários, limitando-me a levantar a ponta do véu, com o que foi do domínio público »


Do dominio público foi,sem dúvida, a "campanha" orquestrada entre Pinto de Magalhães e o seu amigo do "Norte Desportivo" (J. Alves Teixeira) para denegrir a imagem de Nascimento Cordeiro quando este "exigiu" do Clube quantias que tinha adiantado, em letras (na electrificação do Estádio) e dinheiro (emprestado).

- (ainda nos recordamos bem desse tempo em que esses doispersonagens
assistiam juntos aos jogos de basquetebol entre o FC Porto e o Vasco da Gama e/ou BPM ostilizando
,com risos, a nossa equipa) - foi um àparte...


De tal forma que para complementar esse denegrir de imagem, deixou o seu sussessor, que José Nascimento Cordeiro recorresse a uma execução judicial que daria em penhora das Taças e Troféus (daí a confusão do seu insinuado desaparecimento de taças não é???).

Em Assembleia Geral (com proposta de irradiação-reprovada), decidido ficaria os sócios pagarem uma cota suplementar de 5$00 até perfazer o valor da penhora.

Quando Nascimento Cordeiro recebeu os montantes em causa, ofereceu-os à Sociedade Protectora ds Animais. Sabia? Isto traduz o alto indice de valor humano com que Nascimento Cordeiro se destacava.

E se não sabia, saberá agora algo que a si, amigo Armando Pinto, bem sabemos, que lhe dizia muito (mas já não diz???).

Foi na gerência de José Nascimento Cordeiro que foi refundado o... JORNAL O PORTO, sob a direcção do seu vice-presidente Dr.Raúl Castro e que durou até à sua definitiva
... extinção.

E lembramos-lhe ainda que não foi só a electrificação do Estádio da sua "autoria", mas também, a pista de ciclismo.

Desportivamente florescia oandebol
de 7 e 11 (que em 1997 alguém quiz extinguir) a natação, o ciclismo,o óquei campo e o voleibol (estas últimas já extintas...).

Eramos na altura, talvez, o Clube mais eclético do país... e sem as instalações a que as gerências anteriores nunca cuidaram!

No futebol, em 1962/63 estivemos quasi quasi (com a história já contada) e em 1964 iriamos à final da Taça num jogo (2-6) que embora derrotados em números contudentes é bom recordar, que assistiu, como nós, como se passou. Logo aos 5m o nosso jogador Jaime(o "ventoínha")
seria expulso por, sómente, chamar a atenção do árbitro que o Eusébio tinha colocado a bola (para um livre) 3 metros adiante do local da falta... um pequeno exemplo.


A seguir a Nascimento Cordeiro(1966
/72 -gerêcia de Pinto de Magalhães
) se conhece a história do Clube veja o que se passou; subida ao
"poder" do Dr. Américo Sá "eleito"
pela Assembleia Delegada para numa
"Comissão Administrativa" gerir o Clube numa outra das suas grandes crises...

Vá lá! Ganhou-se uma Taça (1968)...



PS.- José Nascimento Cordeiro está sepultado no Prado do Repouso (em jazigo de familia-junto ao chamado
"cruzeiro"); quando por lá passar vamos "dizer-lhe" como o outro...
"perdoa-lhes que não sabem o que
dizem...";

Anónimo disse...

- "6 Anos de Progresso na Vida Gloriosa do F. C. Porto", de Rodrigues Teles; possuimos tal livro "encomendado" por Afonso Pinto de Magalhães...


- "pelo que na época acompanhei através do jornal do clube, O Porto"; na época? na sua época? lembramo-nos bem dela...

- "como ainda pel' O Norte Despoortivo"; ainda bem que que nos antecipamos a falar desse jornal...


- "a acção que ele (Nascimento Cordeiro)moveu ao F. C. Porto ficou-lhe muito mal e mesmo que tivesse alguma razão, o que não entendo, nunca um bom Portista deveria ter feito aquilo..."; nem o amigo nem eu; e sabe porquê? Ao contrário de Nascimento Cordeiro nós eramos (e seremos ainda) uns tesos...


- "não se pode misturar alhos com bogalhos, que é como quem diz com o que então aconteceu e desapareceu
... e agora"; ai não? estamos entendidos...


- "gerações do presente poderiam ter ideia que antigamente aconteciam coisas estranhas, fosse como fosse"; só antigamente? E agora?


Estranhamos nem só uma "palavra" (letra) para a falta do Museu com a consequente interrogação onde e como estão as Taças, Troféus, etc...

Será pelos nomes (José e/ou Jorge) serem diferentes? Um era mecenas e outro é... administrador!


PS.- É, de facto, matéria de "pano
para mangas". Não concordamos que seja, todavia, tema para dar como
... finda. É eterno para quem se interessa pela(real)vida do Clube que se gosta, se devota,e se adora
de forma... graciosa (antes pelo contrário)!!!

Armando Pinto disse...

Sem mais polémicas estéreis, mas apenas para vincar que o que escrevo é sempre com fundamento no que está escrito, remeto ao que publico no meu blogue - onde postei algumas das páginas do livro que referi.
Abraço.
http://www.longara.blogspot.com/

Anónimo disse...

Histórias (verdadeiras) do Clube são... "polémicas estéreis"?

Entendemos! Se entendemos!!!


Temos, repetimos, o citado livro; assim como repetimos, igualmente, que foi... encomendado!

Não se chamasse o amigo Armando Pinto (sabendo-se quem é... há muitos e muitos anos) e ficariamos de "bôca aberta".


Um abraço e viva a História do FC PORTO, mesmo sem Taças, Troféus e outras Recordações... em 2011.

dragao vila pouca disse...

Paulo, tenho dificuldades em comentar, primeiro porque não me arvoro em conhecedor profundo ou quase único conhecedor, da história do F.C.Porto, depois porque tenho alergia a alguns anónimos que não perdem uma oportunidade para destilar os seus ódios de estimação.

Tal como o Armando, também ouvi dizer mal de Nascimento Cordeiro, mas perante tanta sabedoria, acho que me informaram mal.

Um abraço

Anónimo disse...

Ao proprietário deste blog a nossa homenagem por ter considerado o sr Nascimento Cordeiro como que uma
... "Estrela do FCPorto".

Um blog que serve o Clube e não o próprio (...ao contrário de outros como "feira de vaidades").


Fundamentar com o que... escrevem outros não é correcto; e então a memória? E as convicções próprias?

Já viram se hoje em dia se tem o mesmo comportamento??? Os livros que se escrevem...

Por isso é que o nosso (actual) presidente já está "enforcado" há muito pelos livros..."encomendados"


Fizemo-nos entender amigo Armando Pinto?

Em defesa do FC Porto e daqueles a quem o serviu por paixão e de forma desinteressada, sempre os defenderemos nem que para isso sejamos "rotulados" de polémico... estérel.

Paulo Moreira disse...

O que procuro divulgar aqui é personagens (neste caso), que de alguma maneira ficaram na história do clube.
É claro que alguns são mais estrelas do que outros.

Dragão Azul Forte disse...

A história faz-se com o que se ouve, com o que se lê e com a nossa experiência (vivência). Sopesando ideias e confrontando opiniões. Com discernimento e espírito crítico. Com o cruzamento de dados de fontes diferentes. Se a paixão existe, que é o caso, nem assim será de descurar a preocupação com a verdade, com o método, com a análise crítica de causas e efeitos.
Ninguém se pode arrogar de ter a verdade absoluta, muito menos em assuntos que são, pela sua natureza, de interpretação variada e/ou subjectiva.

Sobre o teor dos comentários do Sr. “Anónimo”: eu gosto de um discurso claro, directo e objectivo. Sem subterfúgios, sem picardias, sem indirectas “inteligentes” e nunca sob a capa do anonimato. O que se viu deste Senhor, nos comentários a este e ao post anterior, é que aprecia o confronto usando a palavra como arma de arremesso. Talvez se deleite com o insulto. Eu não respondo a pessoas que agem assim e, por isso, não dei réplica à provocação que me fez no penúltimo post do Paulo Moreira. Estou aqui apenas para saudar os meus amigos Paulo Moreira, Armando Pinto e Manuel Vila Pouca. E dizer que, tal como Vila Pouca, “tenho alergia a alguns anónimos que não perdem uma oportunidade para destilar os seus ódios de estimação”. Aliás, diga-se, se o Sr. “Anónimo” tentasse a gracinha no blogue deste SENHOR, não tinha hipóteses…

Quero acrescentar: pelo que sei, Nascimento Cordeiro teve de tudo um pouco ao longo do seu mandato. Se o Sr. “Anónimo” descreve uma série de actos meritórios, não os nego. E muito menos nego ao Sr. “Anónimo” o direito de expressar a sua opinião. Mas também é inegável que a gerência de Nascimento Cordeiro foi desastrosa em muitas vertentes. É inegável que deixou o clube na penúria e com os credores a fecharem todas as portas. E mais não digo. Poderei ser insultado.

Um abraço ao Sr. “Anónimo”, a Paulo Moreira, a Armando Pinto e a Manuel Vila Pouca.

Anónimo disse...

«... também ouvi dizer mal de Nascimento Cordeiro, mas perante tanta sabedoria, acho que me informaram mal ...»

É! De quando em vez um "banhinho de humildade" não faz mal nenhum. Nós próprios POR VEZES também precisamos.

Não se trata de sabedoria, trata-se de conhecimento da História do NOSSO Clube alicerçada na memória e em... documentos (insuspeitos e não "encomendados").

Daqui a uns anos (já cá não estará
), quando já não se puder defender,
do (actual)presidente dirão coisas muito piores...

Coragem é dizê-las... HOJE!

Adiante!


«... alguns anónimos que não perdem uma oportunidade para destilar os seus ódios de
estimação ...»

É! se calhar é o que poderá mesmo transparecer! Porquê? Por falta
de democracia nalguns outros blogs (que não este); não se devem limitar a dizer amém amém...


«... personagens (neste caso), que de alguma maneira ficaram na história do clube ...»

Isto sim! São palavras sábias!



PS - Um abraço ao amigo Armando Pinto que "proporcionou" (mais alguns) conhecer parte da história do NOSSO Clube... o FC PORTO!

Anónimo disse...

É um dragão... "azul forte" mas sómente isso! Sem memória!!!


De forma educada lhe responderemos já que, democráticamente, o amigo Paulo Moreira a isso permite!


Até já...

Anónimo disse...

Amigo "Dragão Azul Forte":
(é uma forma de anonimato...)


- « A história faz-se com o que se ouve, com o que se lê e com a nossa experiência (vivência) »

Correcto! E, já agora, com o que se vê (ou não se vê – vide inexistência do nosso Museu)


- « Ninguém se pode arrogar de ter a verdade absoluta, muito menos em assuntos que são, pela sua natureza, de interpretação variada e/ou subjectiva »

De novo... correcto! Mas se esteve atento, verificará de onde proveio a arrogância; nós limitamo-nos a constatar com... factos indesmentíveis do antes e pós a gerência de Nascimento Cordeiro, sem ignorar que a sua própria não foi um mar de rosas, sobretudo desportivamente no que ao futebol disse respeito, com as atenuantes referidas (grandes nomes em decadência e continuidade dos “roubos de igreja); mas já quanto ao ecletismo e ao património, o FC Porto enriqueceu-se na gerência de Nascimento Cordeiro, isso é indesmentível, quer queiram quer não, é só conhecer a história...


- « eu gosto de um discurso claro, directo e objectivo. Sem subterfúgios, sem picardias, sem indirectas “inteligentes” e nunca sob a capa do anonimato »

Ainda, de novo... correcto! Claro, directo e objectivo, quererá ainda mais? Com subterfúgios, picardias e indirectas? Inteligentes, ainda por cima? Não! Não merecemos tal! O que aqui (e noutros locais) nos move é a paixão e a verdade em favor da história do... FC Porto! Anonimato? Que interesse têm os nomes? Paulo, Armando ou Manuel? O que interessa são os comportamentos. Democráticos, educados e respeitosos... Não acha? Quer um exemplo? O amigo mesmo o diz: "Aliás, diga-se, se o Sr. “Anónimo” tentasse a gracinha no blogue deste SENHOR, não tinha hipóteses".

Mais palavras (letras) para quê??? É preciso dizer algo mais?

Um abraço!

Anónimo disse...

nao sejam mauzinhos.lembram-se de pinto da costa ter dito, após ter tomado posse no primeiro mandato, que nem crédito tinham na farmácia para comprar medicamentos para os futebolistas? qual foi a gerência que o antecedeu? e a anterior a essa que foi dirigida por um banqueiro durante os tais 6 anos dourados retratados no livro que armando pinto referiu?o pecado de nascimento cordeiro foi ter exigido o que era dele.

Anónimo disse...

Quis o acaso que encontrasse esta publicação e os seus comentários.
Por uma razão de justiça, cumpre-me informar o seguinte :
O Senhor JOSÉ MARIA DO NASCIMENTO CORDEIRO foi , sem qualquer dúvida , um sócio digno de enquadrar o Quadro de Honra do F.C.do Porto , Clube que dele se deve orgulhar .
Amou o FC do Porto , serviu-o desinteressadamente ,como o fizeram figuras gradas daquele tempo, v.g. Cesário Bonito , Sebastião Ribeiro ,Lima Lobo, Ponciano Serrano e tantos outros.
Merece pois fazer parte da constelação deste grande Clube que é o F.C. do Porto.
Porém e para reposição da verdade histórica , apenas dois esclarecimentos :
1. O Senhor Nascimento Cordeiro só accionou judicialmente o F.C.Porto , depois de esgotadas todas as possibilidades negociais que ofereceu aos dirigentes que lhe sucederam. Só quando aqueles lhe negaram o reembolso dos valores por ele avançados para a electrificação do estádio,construção da pista de tartan e outras despesas devidamente documentadas , com argumentos falaciosos e tendenciosos , pondo até em causa a sua honorabilidade .
E ainda antes de o fazer, aconselhou-se com outros Portistas de mérito - Dr. Ponciano Serrano e Arqº Lima Lobo - que o incentivaram a avançar ,para , no mínimo repor a sua honorabilidade.
Mais não fez do que repor a legalidade factual.
2.Os valores recebidos foram , como já foi dito , por um dos comentadores , para a Sociedade Protectora dos Animais e com a atitude daquela direcção de então, do FCPORTO , fizeram com que este Nobre Clube perdesse a quinta do Monte da Costa ,propriedade com cerca de dois hectares,pertença daquele Senhor Nascimento Cordeiro, que a iria doar ao seu Clube do coração, com a finalidade de nela ser construído o Lar do Jogador do F.C.Porto .
Acabou por dela beneficiar a Sociedade Protectora dos Animais .
Como Victor Hugo , também o Senhor Nascimento Cordeiro entendeu que "quanto mais conhecia os homens ,mais gostava dos animais"
E tinha razão , digo eu , decorridos mais de 25 anos sobre o seu passamento , ainda vê a história ser detractada.
O Senhor NASCIMENTO CORDEIRO foi um verdadeiro amante do FCPORTO e no seu decesso, levou-o no coração .
E já agora , apenas um pequeno aparte , para que conste : O Senhor Jorge Nuno Pinto da Costa , compareceu no seu funeral, ocorrido no dia 5 de Maio ,do já longinquo ano de 1984 . São assim os verdadeiros PORTISTAS .
BEM HAJA SENHOR NASCIMENTO CORDEIRO!
Descanse em Paz !

Renato Cerqueira disse...

AMIGOS eu sou Sócio do F.C.P.desde 1964 com as minhas cotas em dia só escrevo este meu comentário o Seguinte NÃO CONCORDEI com atitude do Mascimento Cordeiro em ter levado o meu F.CP. para tribunal e depois ter se feito muito benemérito foi dar o dinheiro associação dos Animais ele deu note não foi o dinheiro mas sim o meu e sócios como eu que pagaram os tais 5 escudos por mês isto sim é a realidade