20 de julho de 2008

Rui Barros


Rui Gil Soares de Barros nasceu no dia 24 de Novembro de 1965 em Lordelo.
Começou a jogar no Aliados de Lordelo por volta dos 12 anos, depois ainda passou pelo Rebordosa A.C. e pelo Paços de Ferreira F.C. já como júnior. Foi então contratado pelo Futebol Clube do Porto onde foi Campeão Nacional de juniores.
Na época de 1985/86 passou a sénior e foi emprestado ao S.C. Covilhã.
Na temporada seguinte foi de novo emprestado mas desta vez ao Varzim S.C. onde foi Campeão da Zona Norte da 2ª Divisão.
Em 1987/88 fez parte do plantel do F.C. Porto pela primeira vez onde se juntou a muitos jogadores que na época anterior tinham vencido a Taça dos Campeões Europeus. Neste seu ano de estreia com a camisola dos Dragões, Rui Barros sagrou-se Campeão Nacional e ajudou o F.C. Porto a vencer a Taça de Portugal ao derrotar no estádio do Jamor o Vitoria de Guimarães por 1-0. Antes, em Dezembro, já tinha estado em Tóquio para disputar a Taça Intercontinental que os portistas ganharam ao vencerem o C.A. Peñarol do Uruguai por 2-1. Mas o momento alto da sua ainda curta carreira no Futebol Clube do Porto aconteceu na 1ª mão da Supertaça Europeia quando a equipa comandada por Tomislav Ivic foi a Amesterdão vencer o Ajax F.C. por 1-0 com o golo da autoria de Rui Barros. Na 2ª mão disputada no estádio das Antas, nova vitória dos Dragões por 1-0. No final do seu primeiro ano com a camisola azul e branca, Rui Barros despertou o interesse da Juventus F.C. que o levou para Itália.
No clube italiano ficou durante duas temporadas e venceu a Taça UEFA e a Taça de Itália. No verão de 1990 mudou-se para o A.S. Mónaco de Arsène Wenger onde Venceu a Taça de França e foi finalista da Taça dos Vencedores das Taças em 1992 que acabaria por perder frente ao Werder Bremen.
Na época de 1993/94 transferiu-se para o O. Marselha onde teve Paulo Futre como companheiro de equipa.
Em 1994/95 regressou ao Futebol Clube do Porto onde nas 5 temporadas seguintes sagrou-se Penta-Campeão, venceu 2 Taças de Portugal e 3 Supertaças.
Na época de 1999/2000 pendurou as chuteiras e passou a integrar a equipa técnica do F.C. Porto desde 2006/07, ano em que treinou temporariamente os portistas no jogo da Supertaça que os Dragões venceram o Vitoria de Setúbal por 3-0. Continuou a fazer parte das várias equipas técnicas que passaram pelos Dragões e em Janeiro de 2016 foi de novo chamado a comandar a equipa principal.

Palmarés como jogador
1 Taça Intercontinental
1 Supertaça Europeia
1 Taça UEFA
6 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça de Itália
1 Taça de França

Palmarés como treinador
1 Supertaça Cândido de Oliveira

3 comentários:

Anónimo disse...

O blog que faltava original...

estou tambem a trabalhar no meu
sobre a divulgação do FCP além fronteiras....

http://consuladoazul.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Sabias que o Rui esteve para, quando saiu dos Juniores, ser definitivamente dispensado.Foi o treinador o Grande em todos os sentidos, António Feliciano que disse que era um crime dispensar um jogador daquela qualide e ele, ficou.
Depois é uma linda história do jogador, do homem e do profissional.
Pequeno Grande Rui.
Um abraço

Paulo Moreira disse...

Que ele esteve para ser dispensado eu não sabia, mas ainda bem que ficou no FCP.

abraço