26 de abril de 2009

Vermelhinho

Carlos Manuel Oliveiros da Silva (Vermelhinho), nasceu no dia 9 de Março de 1959 em São João da Madeira.
Iniciou a carreira futebolística em 1977/78 no A.D. Sanjoanense, onde esteve durante quatro temporadas, como uma passagem pelo C.D. Paços de Brandão pelo meio. Em 1980/81 mudou-se para o R.D. Águeda onde jogou três épocas.
A meio da temporada de 1982/83 chegou ao Futebol Clube do Porto. A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 20 de Fevereiro de 1983 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o S.C. Espinho por 3-1, num jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal de 1982/83.
Na temporada seguinte venceu a Taça de Portugal, a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça Associação de Futebol do Porto. Mas essa época de 1983/84 ficou marcada pela primeira presença do F.C. Porto numa Final Europeia, no caso a Taça dos Clubes Vencedores das Taças, para lá chegar os Dragões tiveram que eliminar o G.N.K. Dínamo Zagreb, Glasgow Rangers F.C., Shakhtar Donestsk F.C. e o Aberdeen F.C.. Foi precisamente no jogo da 2ª mão contra o Aberdeen F.C. que Vermelhinho ficou para sempre na memória dos adeptos portistas ao fazer um magnífico chapéu ao guarda-redes escocês desde o meio-campo, num jogo disputado num terreno difícil, numa noite de nevoeiro cerrado. Na final em Basileia, o F.C. Porto já não foi feliz e perdeu para os italianos da Juventus F.C. por 2-1.
Em 1984/85, Vermelhinho repetiu a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira e sagou-se pela primeira vez Campeão Nacional, Título que voltou a conquistar na temporada seguinte. Em 1986/87 venceu de novo a Supertaça Cândido de Oliveira, mas a cereja no topo do bolo chegou com a conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus, à qual Vermelhinho deu o seu contributo. Na temporada de 1987/88, Vermelhinho foi emprestado ao G.D. Chaves. Ficou na história do clube transmontano que pela primeira vez disputou uma prova europeia. Na temporada seguinte regressou às Antas mas deixou os Dragões no fim dessa época. Ao serviço do F.C. Porto, Vermelhinho jogou durante 6 temporadas, conquistou 8 Títulos, disputou 123 partidas oficiais e marcou 28 golos.
Em 1989/90 transferiu-se para o S.C. Braga, seguiu-se o S.C. Espinho, e em 1992/93 voltou ao A.D. Sanjoanense onde jogou até à temporada de 1994/95, altura em que abandonou a sua carreira de futebolista. Vermelhinho foi também internacional e vestiu a camisola da Selecção de Portugal por duas vezes.

Palmarés
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

4 comentários:

RicFCP disse...

Aquele golo ao Aberdeen colocou-o para sempre no patamar dos históricos do FCP. E não nos podemos esquecer que faz parte do primeiro 11 portista numa final europeia.

Jean Carlo disse...

Hola. Hemos diseñado una nueva página de fútbol. Sus creadores son: Andre, David ( creador de sevillafcelmejor.blogspot.com) y yo (Jean Carlo, creador de: www.amantesalfutbol.blogspot.com y www.lomejordelecuador.blogspot.com ). Espero que lo disfruten, comenten y muy pronto voten. Ecuador (yo), Venezuela (David), Perú (Andre) y España (David) se han unido a esta página para informar a nuestros fans. Gracias. A continuación la nueva página que nos une en el fútbol a todos:

www.3amigosunidosporelfutbol.blogspot.com

Saludos.

dragao vila pouca disse...

Não era um grande craque, mas tinha lampejos disso mesmo. De facto, aquele golo de Aberdeen, fica para a História e tem o simbolismo de ter sido numa noite de nevoeiro.
Depois saiu pel aporta pequena e perdi-lhe o rasto, embora nos últimos tempos tenha aparecido a falar do F.C.Porto e a ver o F.C.Porto.

Um abraço

Nuno disse...

Ainda me lembro do lance como se fosse hoje e ouvir o meu pai comentar o lance com "O que é que aquele gajo vai fazer ?! Passa a bola !!!", tinha ele desaparecido ao defesa escoçês ao fazer um "nó" (bola por um lado e foge por outro na lateral), depois foi vê-lo correr sózinho para a baliza e na saída expontânea de Jim Leighton (o mítico guarda-redes da selecção da escócia) fez-lhe um chapéu monumental ...

Grande momento !

Abraço.